Feed

Já é assinante?

Entrar

Loxonin - Bula do remédio

Loxonin com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Loxonin têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Loxonin devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Sankyo

Apresentação de Loxonin

Loxonin compr. é apres. em emb. c/ 15 ou 30 compr. de 60mg.

Loxonin - Indicações

Loxonin está indicado como antiinflamatório e analgésico no tratamento de artrite reumatóide, osteoartrite, periartrite escápulo-umeral, processos inflamatórios osteomusculares do pescoço, ombro, braço e lombalgias; como analgésico e antiinflamatório em pós-cirurgia, pós-traumatismo e pós-exodontia; como analgésico, antiinflamatório e antitérmico em processos inflamatórios agudos do trato respiratório superior (acompanhados ou não de bronquite aguda).

Contra-indicações de Loxonin

Loxonin está contra-indicado em: 1. Crianças e jovens abaixo de 18 anos de idade; 2. Gestantes no último trimestre da gravidez e durante o período de lactação; 3. Pessoas que apresentaram reações de hipersensibilidade ao loxoprofeno ou a qualquer um dos outros componentes da fórmula; 4. Portadores de úlcera péptica, graves distúrbios hematológicos, hepáticos ou renais; 5. Portadores de disfunções cardíacas graves; 6. Indivíduos com asma induzida por AINE.

Advertências

Loxonin deve ser administrado com cautela em: · Pessoas com úlcera associada ao tratamento prolongado com antiinflamatórios não-esteróides ainda que estejam em uso de misoprostol como medida profilática; · Pessoas com asma brônquica de qualquer causa; · Pessoas com disfunção cardíaca; · Casos de tratamento de doenças crônicas (por exemplo, artrite reumatóide ou osteoartrite), as seguintes precauções devem ser consideradas: Durante tratamento prolongado com Loxonin, exames laboratoriais, tais como urina tipo I, hemograma completo e enzimas hepáticas devem ser realizados periodicamente. Se forem observadas alterações, recomenda-se redução da dose ou interrupção do tratamento. As seguintes precauções devem ser tomadas durante o uso de Loxonin para o tratamento de doenças agudas: · Ponderar a gravidade da inflamação, dor e febre; · Priorizar o tratamento específico da causa da afecção. Durante o tratamento com Loxonin deve-se observar rigorosamente quanto à ocorrência de reações adversas. Pode ocorrer queda acentuada de temperatura, colapso, extremidades frias, etc. Loxonin pode mascarar os sinais e sintomas de infecção. Portanto, deve ser administrado concomitantemente com um agente antibacteriano apropriado quando se tratar de processo inflamatório de origem infecciosa. Neste caso, recomenda-se a administração e observação cuidadosa. O uso concomitante de Loxonin com outros agentes antiinflamatórios ou analgésicos deve ser acompanhado com maior cautela pois pode haver potencialização de efeitos. O uso de Loxonin , bem como de outros antiinflamatórios pode provocar alteração do controle da pressão artéria em indivíduos hipertensos sob tratamento.

Uso na gravidez de Loxonin

A segurança do uso de Loxonin na gestação não foi estabelecida, portanto, Loxonin somente deverá ser administrado a gestantes se os benefícios terapêuticos justificarem os riscos potenciais para o feto (particularmente no terceiro trimestre) bem como durante a lactação. Em experiências com ratos, o fármaco retardou o nascimento e foi detectado no leite. Além disso, quando administrado no final da gestação, induziu o fechamento do ducto arterioso nos fetos.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Loxonin

Freqüência de 0,1 a 1%: rash cutâneo, urticária, sonolência, edema, dor abdominal, desconforto gástrico, anorexia, náusea e vômito, diarréia, aumento das transaminases hepáticas, hematúria e proteinúria. Freqüência de 0,05 a 0,1%: prurido, úlcera péptica, obstipação, pirose, estomatite. Freqüência <0,05%: urticária, dispepsia, cefaléia, anemia, eosinofilia, aumento da fosfatase alcalina, palpitação e fogachos. Outras reações adversas clinicamente significantes: choque, sintomas anafilactóides, anemia hemolítica, leucopenia, trombocitopenia, síndrome de Stevens-Johnson, síndrome de Lyell (necrose epidérmica tóxica), insuficiência renal, síndrome nefrótica, nefrite intersticial, pneumonia intersticial (acompanhada de febre, tosse, dispnéia, eosinofilia, alterações radiológicas, etc.), sangramento gastrintestinal, disfunção hepática, icterícia, crise asmática e meningite asséptica (acompanhada de febre, cefaléia, náusea e vômito, rigidez da nuca, alterações na consciência). Estes casos devem ser observados cuidadosamente. A terapia deve ser descontinuada imediatamente e medidas apropriadas implementadas.

Loxonin - Posologia

Loxonin deve ser administrado por via oral, sendo deglutido com um pouco de água, preferencialmente após as refeições, a cada 8 horas. Em geral recomenda-se para o adulto a posologia de 1 comprimido (60 mg de loxoprofeno sódico), 3 vezes ao dia, por via oral. Em casos agudos poderá ser realizada uma única administração de 1 a 2 comprimidos (60-120 mg de loxoprofeno sódico), por via oral, ajustando-se a dose de acordo com a idade e os sintomas. Deve-se evitar ultrapassar a dose diária de 180 mg, bem como a administração em jejum. Conduta em caso de esquecimento da administração Se houver esquecimento da administração de uma dose, deve-se tomá-la assim que possível, caso não esteja perto da próxima tomada. Neste caso deve-se apenas tomar a próxima dose no horário correto.

Superdosagem

Não há relatos de superdosagem com Loxonin, porém em caso de ocorrência de ingestão acidental recomenda-se proceder ao esvaziamento gástrico, administração de carvão ativado para diminuir sua absorção e tratamento de suporte, com monitoração das funções vitais e assistência ventilatória, se necessário. Não é conhecido antídoto específico para o loxoprofeno sódico.

Loxonin - Informações

O loxoprofeno sódico é um antiinflamatório não-esteróide do grupo do ácido fenilpropiônico, com potente ação analgésica periférica, ação antiinflamatória e antitérmica. A principal vantagem do loxoprofeno sódico em relação aos outros antiinflamatórios não esteróides baseia-se no fato de que o fármaco é uma pró-droga e com isso possui uma menor atividade ulcerogênica gastrintestinal, resultando numa maior segurança. Seu efeito analgésico é 10 a 20 vezes mais potente do que outros antiinflamatórios não-esteróides, tais como: cetoprofeno, naproxeno e indometacina. O mecanismo de ação antiinflamatória foi demonstrado pela redução da biossíntese das prostaglandinas por inibição da cicloxigenase. Após administração oral, o loxoprofeno sódico é absorvido pelo trato gastrintestinal na sua forma não modificada e rapidamente convertido a seu metabólito ativo, um derivado alcoólico na forma trans- que inibe a biossíntese das prostaglandinas.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal