Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Maxitrol

Maxitrol - Bula do remédio

Maxitrol com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Maxitrol têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Maxitrol devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Alcon

Referência

sulfato

Apresentação de Maxitrol

fr. plásticos conta-gotas c/ 5ml e bisn. c/ 3,5g.

Maxitrol - Indicações

Nas condições inflamatórias oculares que respondam aos esteróides e onde exista infecção bacteriana ocular ou risco de infecção. Os esteróides oculares são indicados nas condições inflamatórias das pálpebras e conjuntiva bulbar, córnea e segmento anterior do globo, onde se aceita o risco inerente ao uso de esteróides em certas conjuntivites infectadas para se obter diminuição do edema e inflamação. Maxitrol é também indicado na uveíte anterior crônica e traumas corneanos causados por queimaduras químicas, por radiação ou térmicas, e também em casos de corpo estranho. O uso da combinação com antiinfeccioso é indicado onde o risco de infecção é grande ou quando se suspeita que um número de bactérias potencialmente perigoso estará presente no olho. Maxitrol é ativo contra Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Haemophilus influenzae, Klebsiella / Enterobacter sp, Neisseria sp e Pseudomonas aeruginosa. Este produto não dá cobertura adequada contra Serratia marcescens e Streptococci, inclusive Streptococcus pneumoniae.

Contra-indicações de Maxitrol

Ceratite epitelial por herpes simples (ceratite dendrítica), vaccinia, varicela e outras doenças virais da córnea e conjuntiva. lnfecções oculares por micobactérias. Doenças micóticas oculares. Hipersensibilidade aos componentes da fórmula (a hipersensibilidade aos componentes antibióticos é mais comum que aos outros componentes). O uso dessas associações é sempre contra-indicado após remoção não complicada de corpo estranho da córnea.

Advertências

NÃO DEVE SER INJETADO. O uso prolongado pode suprimir a resposta do hospedeiro e, portanto, aumentar o perigo de infecções oculares secundárias. Nas doenças que causam adelgaçamento da córnea ou da esclera são conhecidos casos de perfuração com o uso de esteróides tópicos. Em condições purulentas agudas dos olhos, os esteróides podem mascarar infecção ou exacerbar infecções existentes. O emprego de esteróides no tratamento do herpes simples requer grande cautela. Se o produto for utilizado por 10 dias ou mais, a pressão intra-ocular deve ser rotineiramente avaliada, embora isso se torne difícil no caso de crianças e pacientes que não colaboram. O uso prolongado pode resultar em glaucoma com dano ao nervo óptico, defeitos na acuidade e nos campos visuais e formação de catarata subcapsular posterior. O sulfato de neomicina pode causar sensibilização cutânea. PRECAUÇÕES: A repetição da prescrição inicial por mais de 20 ml no caso do colírio e 8 g no caso da pomada deve ser feita pelo médico somente após examinar o paciente com o auxílio de magnificação, tal como à biomicroscopia por lâmpada de fenda e, se necessário, por coloração com fluoresceína. Deve-se considerar a possibilidade de infecções micóticas persistentes da córnea após administração prolongada de esteróides.

Uso na gravidez de Maxitrol

Não se determinou a segurança do uso intensivo ou prolongado de esteróides tópicos em gestantes.

Interações medicamentosas de Maxitrol

INFORME SEU MÉDICO SOBRE QUALQUER MEDICAMENTO QUE ESTEJA USANDO, ANTES DO INÍCIO, OU DURANTE O TRATAMENTO.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Maxitrol

A reação mais comum aos antiinfecciosos é a sensibilização. As reações devidas ao componente esteróide são: elevação da pressão intra-ocular com possível desenvolvimento de glaucoma e dano ao nervo óptico. Formação de catarata subcapsular posterior e retardo na cicatrização. Seu uso prolongado pode levar ao desenvolvimento de infeccões oculares secundárias por agentes oportunistas não sensíveis, inclusive fungos. A possibilidade de invasão micótica deve ser considerada em qualquer ulceração corneana persistente que esteja sendo tratada com esteróides.

Maxitrol - Posologia

Suspensão: Agitar bem antes de usar. Instilar 1 ou 2 gotas topicamente no saco conjuntival. Em casos graves, as gotas podem ser administradas de hora em hora, diminuindo-se gradativamente a dosagem até a interrupção quando se notar melhora da inflamação. Em casos leves, as gotas podem ser utilizadas de 4 a 6 vezes por dia. Pomada: Aplicar aproximadamente de 1 a 1,5cm da pomada no saco conjuntival 3 a 6 vezes por dia, ou a critério médico. Quando se observar uma resposta clínica satisfatória, a dose deve ser reduzida gradativamente até uma aplicação diária por vários dias. Para maior comodidade, a suspensão pode ser usada durante o dia e a pomada à noite, ao deitar-se.

Características farmacológicas

Farmacologia Clínica: Os corticóides atuam suprimindo a resposta inflamatória a uma variedade de agentes e, provavelmente, retardam o processo de cicatrização. Como os corticóides podem inibir o mecanismo de defesa do corpo contra infecções, pode ser aconselhável o uso concomitante de um antimicrobiano se essa inibição for considerada clinicamente significante em um caso particular. A administração de corticóide e antimicrobiano combinados em um mesmo medicamento tem a vantagem da maior conveniência e aceitação pelo paciente. Além disso, assegura-se a dosagem apropriada de cada droga, compatibilidade dos componentes na mesma formulação e, em especial, que o volume correto de droga seja dispensado e retido. A potência relativa dos corticóides depende da estrutura molecular, concentração e da sua liberação do veículo.

Resultados de eficácia

Nas condições inflamatórias oculares que respondam aos esteróides e onde exista infecção bacteriana ocular ou risco de infecção. Os esteróides oculares são indicados nas condições inflamatórias das pálpebras e conjuntiva bulbar, córnea e segmento anterior do globo, onde se aceita o risco inerente ao uso de esteróides em certas conjuntivites infectadas para se obter diminuição do edema e inflamação. Maxitrol é também indicado na uveíte anterior crônica e traumas corneanos causados por queimaduras químicas, por radiação ou térmicas, e também em casos de corpo estranho.

Modo de usar

Suspensão: Agitar bem antes de usar. Instilar 1 ou 2 gotas topicamente no saco conjuntival. Em casos graves, as gotas podem ser administradas de hora em hora, diminuindo-se gradativamente a dosagem até a interrupção quando se notar melhora da inflamação. Em casos leves, as gotas podem ser utilizadas de 4 a 6 vezes por dia. Pomada: Aplicar aproximadamente de 1 a 1,5 cm da pomada no saco conjuntival 3 a 4 vezes por dia, ou a critério médico. Quando se observar uma resposta clínica satisfatória, a dose deve ser reduzida gradativamente até uma aplicação diária por vários dias.Para maior comodidade, a suspensão pode ser usada durante o dia e a pomada à noite, ao deitar-se.

Armazenagem

Conserve o produto em temperatura ambiente (ambiente com temperatura entre 15 e 30ºC).

Maxitrol - Informações

Os corticóides atuam suprimindo a resposta inflamatória a uma variedade de agentes e, provavelmente, retardam o processo de cicatrização. Como os corticóides podem inibir o mecanismo de defesa do corpo contra infecções, pode ser aconselhável o uso concomitante de um antimicrobiano se essa inibição for considerada clinicamente significante em um caso particular. A administração de corticóide e antimicrobiano combinados em um mesmo medicamento tem a vantagem da maior conveniência e aceitação pelo paciente. Além disso, assegura-se a dosagem apropriada de cada droga, compatibilidade dos componentes na mesma formulação e, em especial, que o volume correto de droga seja dispensado e retido.

Dizeres legais

MS 1.0023.0081 Suspensão Oftálmica Estéril MS 1.0023.0081.003-9 Pomada Oftálmica Estéril Farm. Resp.: Lygia C. Piazza - CRF-SP n° 8066 ALCON LABORATÓRIOS DO BRASIL LTDA. Av. N.S. da Assunção, 736 05359-001 São Paulo - SP CNPJ 60.412.327/0013-36 Indústria Brasileira VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA CONSERVAR EM TEMPERATURA AMBIENTE ENTRE 15 A 30ºC Lote, fabricação e validade: Vide cartucho. Serviço de Atendimento ao Consumidor: 0800 707 7908 sacbrasil@alconlabs.com www.alconlabs.com.br © 2004, 2008 Alcon, Inc. Alcon® ALCON LABORATÓRIOS DO BRASIL LTDA.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal