Feed

Já é assinante?

Entrar

Noctal - Bula do remédio

Noctal com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Noctal têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Noctal devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Abbott

Referência

estazolam

Apresentação de Noctal

emb. c/ 20 compr. de 2 mg

Noctal - Indicações

Noctal está indicado como agente hipnótico nas insônias leves a moderadas, caracterizadas por dificuldade em adormecer, despertar freqüente à noite ou despertar demasiadamente cedo pela manhã. Noctal pode ser usado em casos clínicos agudos e crônicos, em que se necessita um sono reparador, inclusive nos estados de ansiedade e distúrbios emocionais em que manifestem insônia. Noctal pode também ser usado para induzir o sono em pacientes ansiosos na véspera de cirurgia, devido a seu efeito já na primeira noite de administração.

Contra-indicações de Noctal

Noctal é contra-indicado em pacientes com conhecida hipersensibilidade à droga, em pacientes com miastenia grave, em pacientes com função respiratória severamente deprimida.

Advertências

GERAIS: O PREJUÍZO NO DESEMPENHO MOTOR E/OU COGNITIVO, ATRIBUÍDO AO EFEITO CUMULATIVO DE BENZODIAZEPÍNICOS E SEUS METABÓLITOS ATIVOS, APÓS VÁRIOS DIAS DE USO CONTINUADO EM DOSES RECOMENDADAS, DIZ RESPEITO A CERTOS PACIENTES VULNERÁVEIS (POR EXEMPLO, ÀQUELES ESPECIALMENTE SENSÍVEIS AOS EFEITOS DOS BENZODIAZEPÍNICOS OU ÀQUELES COM CAPACIDADE REDUZIDA PARA METABOLIZÁ-LOS E ELIMINÁ-LOS) (VER POSOLOGIA). PACIENTES IDOSOS, DEBILITADOS OU AQUELES COM DISFUNÇÃO RENAL OU HEPÁTICA DEVEM SER ADVERTIDOS SOBRE ESTES RISCOS E ORIENTADOS PARA MONITORAREM A SI MESMOS, PARA SINAIS DE SEDAÇÃO EXCESSIVA OU PARA OUTRAS ALTERAÇÕES DA CONDIÇÃO PRÉVIA. O ESTAZOLAM PARECE CAUSAR DEPRESSÃO RESPIRATÓRIA DOSE-RELACIONADA, O QUE GERALMENTE NÃO TEM RELEVÂNCIA CLÍNICA NOS PACIENTES COM FUNÇÃO RESPIRATÓRIA NORMAL E QUE FAZEM USO DE DOSES RECOMENDADAS. ENTRETANTO, NOS PACIENTES COM FUNÇÃO RESPIRATÓRIA COMPROMETIDA PODE HAVER ALGUM RISCO E OS MESMOS DEVEM SER MONITORADOS ADEQUADAMENTE. COMO CLASSE, OS BENZODIAZEPÍNICOS TÊM A CAPACIDADE DE DEPRIMIR O IMPULSO RESPIRATÓRIO; ENTRETANTO, NÃO HÁ DADOS DISPONÍVEIS SUFICIENTES PARA CARACTERIZAR OS POTENCIAIS RELATIVOS DE DEPRESSÃO DO IMPULSO RESPIRATÓRIO, EM DOSES CLÍNICAS RECOMENDADAS. ASSIM COMO COM OUTROS BENZODIAZEPÍNICOS, O ESTAZOLAM DEVE SER ADMINISTRADO COM CAUTELA NOS PACIENTES QUE TENHAM SINAIS OU SINTOMAS DE DEPRESSÃO. A TENDÊNCIA SUICIDA PODE ESTAR PRESENTE NESSES PACIENTES E DEVEM SER TOMADAS MEDIDAS PROTETORAS. A SUPERDOSAGEM INTENCIONAL É MAIS COMUM NESTE GRUPO DE PACIENTES; PORTANTO, SEMPRE A MENOR QUANTIDADE POSSÍVEL DESTA MEDICAÇÃO DEVE SER PRESCRITA PARA PACIENTES DEPRIMIDOS. ESTAZOLAM DEVE SER USADO COM CAUTELA EM PACIENTES COM HISTÓRIA DE GLAUCOMA DE ÂNGULO FECHADO, POIS OS BENZODIAZEPÍNICOS PODEM RARAMENTE APRESENTAR EFEITOS ANTICOLINÉRGICOS. CARCINOGÊNESE, MUTAGÊNESE E FERTILIDADE: ESTUDOS DE CARCINOGENICIDADE FORAM REALIZADOS EM ANIMAIS POR DOIS ANOS E NÃO FORAM OBSERVADAS EVIDÊNCIAS DE CARCINOGÊNESE. HOUVE MAIOR INCIDÊNCIA DE NÓDULOS HIPERPLÁSICOS DE FÍGADO EM FÊMEAS DE RATOS QUE RECEBERAM DOSES MÉDIAS E ALTAS DA MEDICAÇÃO, PORÉM O SIGNIFICADO DESTES NÓDULOS É DESCONHECIDO ATÉ O MOMENTO. FORAM REALIZADOS VÁRIOS TESTES IN VITRO E IN VIVO PARA AVALIAR O POTENCIAL MUTAGÊNICO DO ESTAZOLAM, QUE NÃO FOI EVIDENCIADO. A FERTILIDADE EM RATOS MACHOS E FÊMEAS NÃO FOI AFETADA POR DOSES ATÉ 30 VEZES MAIS ALTAS QUE AS DOSES GERALMENTE RECOMENDADAS PARA HUMANOS.

Uso na gravidez de Noctal

EFEITOS TERATOGÊNICOS POTENCIAIS (VER CONTRA-INDICAÇÕES). SOBRE OUTROS EFEITOS, DEVEMOS CONSIDERAR QUE O CONCEPTO, DE MÃE QUE FAZIA USO DE BENZODIAZEPÍNICOS, PODE TER RISCO DE DESENVOLVER SINTOMAS DE ABSTINÊNCIA DURANTE O PERÍODO PÓS-NATAL. HIPOTONIA NEONATAL FOI RELATADA EM UM CONCEPTO DE MÃE QUE RECEBEU BENZODIAZEPÍNICOS DURANTE A GRAVIDEZ. O ESTAZOLAM NÃO TEM USO ESTABELECIDO PARA TRABALHO DE PARTO E NASCIMENTO. A RESPEITO DE LACTAÇÃO, NÃO FORAM REALIZADOS ESTUDOS EM HUMANOS, PORÉM ESTUDOS DE LACTAÇÃO EM RATAS INDICAM QUE O ESTAZOLAM E/OU SEUS METABÓLITOS SÃO SECRETADOS NO LEITE. O USO DE ESTAZOLAM EM MULHERES QUE AMAMENTAM NÃO É RECOMENDADO.

Interações medicamentosas de Noctal

Se Noctal® (estazolam) for administrado concomitantemente a outros fármacos que atuem sobre o SNC, a farmacologia destes deve ser cuidadosamente considerada. A ação dos benzodiazepínicos pode ser potencializada por anticonvulsivantes, anti-histamínicos, barbitúricos, inibidores da MAO, álcool, narcóticos, fenotiazinas, medicações psicotrópicas e outros fármacos que produzam depressão do sistema nervoso central. Os fumantes têm a depuração de benzodiazepínicos aumentada, se comparados com os não-fumantes; fato que foi constatado nos estudos com estazolam (ver Farmacologia clínica).

Reações adversas / Efeitos colaterais de Noctal

Os efeitos colaterais relatados são sensação de ataxia, vertigens, cefaléia e sonolência residual pela manhã. Nesses casos, a dose deve ser reduzida. Outros efeitos com incidência menor que 1% foram: indisposição geral, dor articular, distúrbios gastrintestinais, sensação de dormência, irritabilidade e emocionalismo. Houve, na experiência prévia acumulada, algumas observações de aumentos da TGO e TGP, de diminuição do número de eritrócitos e leucócitos, e de hipotensão.

Noctal - Posologia

A dose de Noctal deve ser ajustada de acordo com a idade, condições do paciente e doença. Nos casos comuns de insônia, a dose deve ser de 1 comprimido à hora de deitar. Para insônia em pacientes idosos ou debilitados, dose inicial de 0,5 a 1 mg é recomendada, com posterior aumento gradual, se necessário. Como indutor do sono na noite de véspera de cirurgia, é recomendado 1 comprimido no momento de deitar.

Superdosagem

Assim como com outros benzodiazepínicos, a experiência com estazolam indica que as manifestações de superdosagem incluem sonolência, voz pastosa, confusão, distúrbios de coordenação motora e depressão respiratória, culminando em coma. Pacientes recuperaram-se de superdosagem de até 40 mg. Assim como no tratamento de superdosagem intencional com qualquer outro fármaco, deve-se ter em mente que múltiplos agentes podem ter sido ingeridos. Deve ser realizada imediatamente a limpeza gástrica, por emese induzida, lavagem ou ambas. A manutenção adequada da ventilação é essencial. São indicadas medidas gerais de suporte, incluindo monitoração freqüente dos sinais vitais e observação constante do paciente. A administração de fluidos deve ser feita por via intravenosa, para manter a pressão sangüínea e estimular a diurese. A validade da diálise no tratamento de superdosagem com benzodiazepínicos não foi determinada. O médico deve considerar o contato com Centros de Informação Toxicológica para ter acesso a informações atualizadas no manejo e tratamento da superdosagem com produtos hipnóticos. O flumazenil, um antagonista específico dos receptores benzodiazepínicos, é indicado para a reversão completa ou parcial dos efeitos sedativos dos benzodiazepínicos, e pode ser usado em situações quando a superdosagem com benzodiazepínicos é confirmada ou apenas suspeita. Antes da administração do flumazenil, algumas medidas necessárias devem ser instituídas, assegurando desobstrução das vias aéreas, ventilação e acesso venoso. O flumazenil é utilizado como mediação adjunta (e não como substituto) para um manejo adequado da sedação, depressão respiratória e outros efeitos residuais dos benzodiazepínicos, por um determinado período após o tratamento. O médico que assiste o paciente deve estar ciente de que há risco de convulsão, pela associação de flumazenil e antidepressivos tricíclicos em superdosagem, particularmente naqueles pacientes usuários crônicos de benzodiazepínicos. A bula completa do flumazenil deve ser consultada antes do seu uso, principalmente as Contraindicações, Advertências e Precauções.

Características farmacológicas

Estazolam, um derivado triazolobenzodiazepínico, é um agente hipnótico oral. É um pó branco, fino, inodoro, solúvel em álcool e praticamente insolúvel em água. O nome químico do estazolam é 8-cloro-6-fenil-4-H-striazolol[ 4,3-a][1,4]benzodiazepina e sua fórmula empírica é C16H11ClN4. Farmacologia clínica Farmacocinética: a absorção dos comprimidos de estazolam é equivalente à das soluções orais. A ligação a proteínas plasmáticas do estazolam é de 93% independentemente da concentração. Em indivíduos saudáveis, que receberam até três vezes a dose recomendada de estazolam, os picos de concentração plasmática do fármaco ocorreram, em média, 2 horas após a ingestão (variação de 30 minutos a 6 horas) e foram proporcionais à dose administrada, sugerindo farmacocinética linear, em relação à variação de dose testada. A variação da estimativa da meia-vida de eliminação é de 10 a 24 horas. A depuração de benzodiazepínicos é acelerada em fumantes, se comparada a nãofumantes, e há evidências de que isto ocorre com estazolam. Esta diminuição da meia-vida, presumivelmente devida à indução enzimática causada pelo fumo, é consistente com outros fármacos que têm características de depuração hepática similares. Em todos os tipos de pacientes, e com qualquer dose utilizada, a meia-vida de eliminação parece independer da dose. Em estudo com pacientes idosos (59 a 68 anos), os picos de concentração do estazolam foram similares àqueles de pacientes jovens, com a média de meia-vida de eliminação de 18,4 horas (variação de 13,5 a 34,6 horas). O estazolam é extensivamente metabolizado, e seus metabólitos são excretados principalmente na urina. Menos de 5% de uma dose de 2 mg de estazolam são excretados na urina sem metabolização, e somente 4% da dose aparece nas fezes. O principal metabólito é o 4’-hidroxi-estazolam e, após 8 horas da administração, chega a 12% da concentração do composto principal. Um metabólito secundário, o 1-oxo-estazolam, tem alguma atividade farmacológica, porém a baixa potência e reduzida concentração predizem que sua contribuição para o efeito hipnótico do estazolam é insignificante. Relação entre taxas de eliminação dos hipnóticos benzodiazepínicos e seus perfis de efeitos indesejáveis: o tipo e a duração dos efeitos hipnóticos e o perfil dos efeitos indesejados durante a administração de benzodiazepínicos podem ser influenciados pela meia-vida biológica do fármaco administrado e por qualquer metabólito ativo formado. Se as meias-vidas são longas, o fármaco ou metabólitos podem acumular-se durante os períodos de administração noturna e podem ser associados a prejuízo cognitivo e/ou de performance motora durante as horas de vigília: a possibilidade de interação com outros fármacos psicoativos ou álcool estará aumentada. Por outro lado, se as meias-vidas são curtas, o fármaco ou metabólitos serão eliminados antes da ingestão da próxima dose, fazendo com que os efeitos relacionados com sedação excessiva ou depressão do sistema nervoso central sejam mínimos ou inexistentes. Entretanto, o uso noturno por um período prolongado pode desenvolver tolerância farmacodinâmica ou adaptação a alguns efeitos dos hipnóticos benzodiazepínicos. Se o fármaco tiver meia-vida de eliminação rápida, é possível que possa ocorrer uma deficiência relativa do fármaco ou de seus metabólitos ativos (isto é, em relação ao seu receptor) em alguns pontos no intervalo entre as administrações noturnas. Esta seqüência de eventos pode contabilizar dois achados clínicos, que ocorrem após várias semanas de uso noturno de benzodiazepínicos de eliminação rápida, que são o aumento dos despertares no último terço da noite e o aumento da ansiedade, em um grupo específico de pacientes. Eficácia: estudos clínicos placebo-controlados foram realizados em pacientes com insônia crônica, com comprovação consistente da superioridade do estazolam sobre o placebo, tanto na indicação do sono quanto na duração do mesmo.

Resultados de eficácia

Noctal® (estazolam) é um hipnótico, indicado para pessoas com insônia. Os sinais de melhora, em alguns casos, já são notados nos primeiros dias do tratamento; em outros casos, é necessário um tempo maior para obter os efeitos benéficos. Seu médico orientará no seu caso específico.

Modo de usar

A dose de Noctal® (estazolam) deve ser ajustada de acordo com a idade, condições clínicas e patologia do paciente. A dose inicial recomendada para adultos é 1 mg ao deitar; entretanto, alguns pacientes podem necessitar de dose de 2 mg. Em pacientes idosos saudáveis, 1 mg também é a dose inicial apropriada, sendo que aumentos posteriores devem ser feitos com extremo cuidado. Em pacientes idosos franzinos ou debilitados deve-se considerar a dose inicial de 0,5 mg.

Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

USO PEDIÁTRICO: NÃO FORAM ESTABELECIDAS A SEGURANÇA E EFICÁCIA EM CRIANÇAS ABAIXO DE 18 ANOS. USO GERIÁTRICO: APROXIMADAMENTE 18% DOS PACIENTES QUE PARTICIPARAM DOS ESTUDOS CLÍNICOS PRÉ-COMERCIALIZAÇÃO DE ESTAZOLAM TINHAM 60 ANOS OU MAIS. O PERFIL DE EVENTOS ADVERSOS NÃO DIFERIU SUBSTANCIALMENTE DO OBSERVADO EM PACIENTES JOVENS. ENTRETANTO, DEVE-SE TOMAR CUIDADO AO PRESCREVER BENZODIAZEPÍNICOS PARA PACIENTES IDOSOS FRANZINOS OU DEBILITADOS (VER POSOLOGIA).

Armazenagem

conservar em temperatura ambiente (15- 30ºC) e proteger da luz e umidade. Guardado nessas condições, o medicamento se manterá próprio para consumo pelo prazo de validade indicado na embalagem.

Noctal - Informações

Noctal (estazolam) é um derivado benzodiazepínico com predominante atividade hipnótico-sedativa. Farmacologicamente, possui ainda, em menor grau, outras atividades comuns aos benzodiazepínicos: ação ansiolítica, anticonvulsivante e relaxante muscular. O efeito hipnótico de Noctal é notado já a partir da primeira noite de ingestão, conforme demonstrado em estudos de laboratório de sono e em estudos clínicos. Esses mesmos estudos em laboratórios de sono comprovaram não haver diminuição do sono REM com o uso de Noctal, ao mesmo tempo em que se aumenta o tempo total do sono. Noctal é absorvido rapidamente pelo duodeno, sendo detectado no sangue após 30 minutos; sofre biotransformação extensa, sendo eliminado em pequena quantidade como estazolam intato (0,85% na urina e 0,5% nas fezes). Sua vida média é de 12 a 20 horas. Dessa forma, nem Noctal nem seus metabólitos são acumulados no sangue após doses múltiplas, mas níveis plasmáticos constantes são alcançados em 3 dias ou menos. Sua ligação às proteínas é de pouca extensão.

Dizeres legais

MS: 1.0553.0045 Farm. Resp.: Fabio Bussinger da Silva CRF-RJ nº 9277 Abbott Laboratórios do Brasil Ltda. Estrada dos Bandeirantes, 2400 – Rio de Janeiro – RJ CNPJ: 56.998.701/0012-79 – INDÚSTRIA BRASILEIRA Sob licença de Takeda Pharmaceutical Company Limited - Osaka - Japão VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA. O ABUSO DESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR DEPENDÊNCIA Nº do lote, data de fabricação e validade: vide rótulo e cartucho.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal