Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Relifex - Bula do remédio

Relifex com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Relifex têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Relifex devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Gsk

Apresentação de Relifex

emb. c/ 10 ou 20 comp. de 500 mg.

Relifex - Indicações

Relifex é indicado no tratamento da artrite reumatóide, osteoartrite, afecções periarticulares agudas tais como bursite, tendinite, sinovite, espondilite, tenossinovite, capsulite do ombro, estiramento muscular, entorse e lesões agudas decorrentes da prática de esportes. Relifex é indicado no tratamento das condições agudas, atuando como agente antiinflamatório, antiexsudativo, analgésico e antipirético. Relifex poderá ser usado como medicação única, ou como medicamento complementar, junto com a terapia específica, sempre que necessária, como por exemplo, nas enfermidades de etiologia bacteriana, associado a antibióticos. São também indicações terapêuticas: dismenorréia e enxaquecas.

Contra-indicações de Relifex

Relifex é contra-indicado a pacientes com úlcera péptica ativa, dano hepático severo (por exemplo: cirrose) e hipersensibilidade à droga. Relifex é contra-indicado a pacientes em que a aspirina ou outros NSAIDS induzem à asma, urticária ou a outros tipos de reações alérgicas. Reações asmáticas fatais foram relatadas em pacientes recebendo NSAIDS.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Relifex

Geralmente, Relifex é muito bem tolerado. Como outras drogas da mesma classe, não está livre de efeitos colaterais. Estes efeitos podem causar desconforto e as reações adversas mais freqüentemente apontadas tinham relação com o trato gastrintestinal. Foram elas: dAs reações adversas relatadas com mais freqüência associadas ao uso de nabumetona são : Gastrintestinais: úlcera gástrica, hemorragia gastrintestinal, diarréia, dispepsia, náusea, constipação, flatulência, dor abdominal, teste positivo de sangue oculto nas fezes, boca seca, gastrite, estomatite, vômito. Dermatológicas: eritema multiforme, síndrome de stevens-johnson, necrólise epidérmica tóxica, fotossensibilidade, rash, prurido e edema. Corpo como um todo: anafilaxia, reação anafilactóide, angioedema. Urogenitais: síndrome nefrótica, insuficiência renal. Hematológicas: trombocitopenia. Sistema nervoso: confusão, cefaléia, vertigem, fadiga, sudorese aumentada, insônia, nervosismo, sonolência, zumbido e visão turva. Pacientes sofrendo de visão turva e/ou diminuída podem necessitar de exame oftalmológico. Enquanto que aqueles que sentem vertigens podem ficar impossibilitados de operar com máquinas ou dirigir veículos motorizados. Os metabólitos conjugados e oxidados do 6mna são eliminados principalmente pelos rins. Não foi estudada a proporção com que os metabólitos inativos podem acumular-se em pacientes com insuficiência renal. Como acontece com outras drogas cujos metabólitos são Excretados pelos rins, deve-se considerar a possibilidade de que as reações adversas possam ser atribuídas a esses metabólitos.

Relifex - Posologia

A dose diária recomendada de Relifex é de dois comprimidos (1 g), pela via oral, numa única tomada, à noite. Entretanto, em pacientes jovens ou naqueles portadores de afecções agudas, inclusive traumatismos esportivos, pode ser dada uma dose de reforço de dois comprimidos (1 g), prosseguindo-se o tratamento com dois comprimidos (1 g) a cada noite. Nos casos de sintomatologia grave ou persistente ou durante exacerbações agudas, pode ser dada uma dose matinal adicional de um ou dois comprimidos (500mg ou 1g). A dosagem total não deve ultrapassar 2 g diários. Como acontece com muitas drogas de ação prolongada, os níveis sangüíneos do princípio ativo de Relifex atingem valores mais elevados em pacientes idosos. Assim, nesses pacientes, um aumento na dosagem de Relifex acima de 1 g/dia não deve ser necessário e não é recomendável. Em alguns casos 500 mg são suficientes para se obter resultados satisfatórios. É pouco provável que pacientes com peso inferior a 50 kg necessitem de doses superiores a 1g. Como a absorção de Relifex não é prejudicada por alimentos ou leite, ele pode ser tomado antes, durante ou após uma refeição, segundo preferência do paciente ou a critério médico. Os compostos alcalinos, os salicilatos e o paracetamol não têm efeito sobre sua absorção. Os comprimidos devem ser deglutidos inteiros, sem mastigar. Crianças: Não se dispõe de dados clínicos suficientes para recomendar o uso de Relifex para crianças.

Relifex - Informações

Relifex contém como princípio ativo a nabumetona, quimicamente a 4-(6-metoxi-2-naftil)butan-2-ona, antiinflamatório não-esteróide (NSAID) com propriedades analgésica e antipirética. Nabumetona é uma fraca inibidora da síntese das prostaglandinas e após sua administração faz-se presente no estômago como um composto não-ácido. Esta combinação de propriedades explica a ausência de efeitos irritantes gástricos em animais e nos estudos clínicos. Estudos realizados com nabumetona, após administração oral, revelam que ela é bem absorvida por esta via e metabolizada em larga escala, sendo a primeira etapa de seu metabolismo realizada no fígado. O seu principal metabólito plasmático foi identificado como o ácido 6-metoxi-2-naftilacético (6MNA) que se liga altamente às proteínas plasmáticas e é um potente inibidor da síntese de prostaglandinas. Sua principal via de eliminação é a renal e sua meia-vida plasmática é de cerca de 24 horas. Embora o modo de ação da nabumetona não seja totalmente conhecido, as evidências disponíveis indicam-nos que sua atividade reside, sobretudo, na propriedade de seu metabólito. Relifex não afeta o tempo de sangramento e tem pouco efeito sobre a agregação plaquetária.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal