Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Rovamicina

Rovamicina - Bula do remédio

Rovamicina com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Rovamicina têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Rovamicina devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Sanofi

Apresentação de Rovamicina

cx. c/ 16 compr. a 1,5 M.U.I. de espiramicina.

Rovamicina - Indicações

- para os casos de infecções por microrganismos sensíveis à espiramicina, como os que causam: manifestações otorrinolaringológicas, broncopulmonares, cutâneas, genitais (em particular prostáticas), ósseas e estomatológicas. - em determinados casos, na profilaxia de meningite meningocócica. - na quimioprofilaxia de recaída de Reumatismo Articular Agudo em pacientes alérgicos à penicilina. - na toxoplasmose, em mulheres grávidas.

Contra-indicações de Rovamicina

Este medicamento é contra-indicado para indivíduos com hipersensibilidade comprovada aos macrolídeos em geral, à espiramicina ou aos demais componentes da fórmula.

Advertências

Foram relatados casos muito raros de hemólise aguda em pacientes com deficiência de glicose 6-fosfato desidrogenase, portanto, o uso de espiramicina nestes pacientes não é recomendado.

Uso na gravidez de Rovamicina

A segurança da espiramicina durante a gravidez não foi estabelecida em estudos clínicos controlados. Entretanto, vem sendo utilizada com segurança, há muitos anos, durante a gravidez. Lactação A espiramicina é excretada no leite materno, portanto, o seu uso em lactantes não é recomendado.

Interações medicamentosas de Rovamicina

Levodopa: inibição da absorção da carbidopa com diminuição dos níveis plasmáticos de levodopa. Os pacientes devem ser cuidadosamente monitorizados, devendo-se realizar ajuste posológico da levodopa quando necessário.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Rovamicina

· Efeitos Gastrintestinais: náusea, vômito, diarréia e casos muito raros de colite pseudo-membranosa; · Reações de hipersensibilidade: - rash, urticária e prurido; - muito raramente, angioedema; - choque anafilático; · Sistema nervoso central e periférico: casos ocasionais de parestesia transitória; · Sistema hepático: foram relatados casos muito raros de alterações nos testes de função hepática; · Efeitos hematológicos: foram relatados casos muito raros de hemólise aguda.

Rovamicina - Posologia

A posologia indicada é de: 4 a 6 comprimidos ao dia, divididos em 2 ou 3 administrações ao dia. Na profilaxia da meningite meningocócica: 2 comprimidos a cada 12 horas. Somente o seu médico poderá indicar a posologia mais conveniente para o seu caso. Os comprimidos devem ser ingeridos sem mastigar, com um copo de líquido.

Superdosagem

Não há antídoto específico para superdosagem de espiramicina. Em caso de suspeita relevante de superdosagem, recomenda-se tratamento sintomático e de suporte.

Rovamicina - Informações

A espiramicina é um antibiótico do grupo dos macrolídeos, constituído, principalmente, pela espiramicina l ou [didesoxi-3,6 (didesoxi-2,6-metil-3-L- ribohexopiranosil) oxi-4 dimetilamino-3 beta-D-glicopiranosil] oxi-6 (dimetilamino-5 metil-6 tetraidropiranil-2) oxo-10 formilmetil-7 hidroxi-4 metoxi-5 dimetil-9, 16 oxo-2 oxa-1 ciclohexadieno-11, 13 (massa molecular 843), e pelas espiramicina ll, seu monoéster acético (massa molecular 885) e espiramicina lll, seu monoéster propiônico (massa molecular 899), em quantidades menores. Seu espectro antibacteriano abrange: - Espécies habitualmente sensíveis (CMI < 2 mg/l): estreptococos, estafilococos meticilina-sensíveis, Rhodococcus equi, Branhamella catarrhalis, Bordetella pertussis, Helicobacter pylori, Campylobacter jejuni, Corynebacterium diphteriae, Moraxella, Mycoplasma pneumoniae, Coxiella burnetti, Chlamydiae, Treponema pallidum, Borrelia burgdorferi, leptospiras, Propionibacterium acnes, Actinomyces, Eubacterium, Porphyromonas, Mobiluncus, Mycoplasma hominis e Toxoplasma gondii; - Espécies moderadamente sensíveis: Neisseria gonorrhoeae, Vibrio, Ureaplasma urealyticum, Legionella pneumophila. - Espécies infreqüentemente sensíveis: Streptococcus pneumoniae, Enterococcus, Campylobacter coli, Peptostreptococcus, Clostridium perfringens. - Espécies resistentes (CMI > 4 mcg/ml): estafilococos meticilina-resistentes, enterobactérias, Pseudomonas, Acinetobacter, Nocardia, Fusobacterium, Bacteroides fragilis, Haemophilus influenza e H. parainfluenza. Como para uma determinada espécie não foi estabelecida a sensibilidade constante das cepas, somente um estudo da cepa in vitro poderá confirmar se ela é sensível, intermediária ou resistente.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal