FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Seronip - Bula do remédio

Seronip com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Seronip têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Seronip devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Uci

Referência

Sertralina

Apresentação de Seronip

Seronip 50 mg: caixas c/ 28 compr. rev.

Contra-indicações de Seronip

Em casos de hipersensibilidade à sertralina ou a qualquer componente da fórmula. O uso concomitante de Seronip com inibidores da monoamina oxidase (IMAO), antidepressivos tricíclicos e pimozida é contra-indicado.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Seronip

Seronip é um fármaco bem tolerado, apresentando baixa incidência de efeitos colaterais. Geralmente, os efeitos adversos são leves e transitórios não causando a suspensão da terapia. Pode ocorrer cefaléia, sonolência, insônia, tontura, tremor, náusea, dispepsia, boca seca, diarréia, fezes amolecidas, fadiga, agitação, aumento da sudorese, anorexia, diminuição do peso corpóreo, disfunção sexual (principalmente retardo na ejaculação), febre.

Seronip - Posologia

Adultos Depressão e transtorno obsessivo-compulsivo: 1 comprimido de Seronip (50 mg) ao dia. Transtorno do pânico: iniciar com meio comprimido de Seronip (25 mg) ao dia. Após sete dias, ajustar a dose para um comprimido (50 mg) ao dia. Este esquema de tratamento reduz a freqüência de efeitos colaterais característicos do distúrbio do pânico no início do tratamento. Recomenda-se elevar a dose para os pacientes que não responderem à dose diária inicial de 50 mg. O ajuste da dose deve ser realizado, no mínimo, após 7 dias de tratamento. A dose máxima de sertralina recomendada é de 200 mg ao dia. O início da ação terapêutica ocorre durante 7 dias de tratamento com a sertralina. Entretanto, períodos maiores são geralmente necessários, principalmente no transtorno obsessivo-compulsivo. Tratamento de manutenção: deve ser mantida a menor dose eficaz na terapia prolongada, com subseqüentes ajustes, dependendo da resposta clínica do paciente. Crianças A segurança e a eficácia do uso da sertralina foi estabelecida para pacientes pediátricos, com idades entre 6 a 17 anos, apenas para o tratamento do transtorno obsessivo-compulsivo. Crianças de 6 a 12 anos de idade: iniciar com meio comprimido de Seronip (25 mg) ao dia e aumentar a dose para 1 comprimido (50 mg) ao dia após 7 dias de tratamento. Crianças de 13 a 17 anos de idade: iniciar com 1 comprimido de Seronip (50 mg) ao dia. Recomenda-se elevar a dose para os pacientes que não responderem à dose diária inicial. O ajuste da dose deve ser realizado, no mínimo, após 7 dias de tratamento. A dose máxima de sertralina recomendada é de 200 mg ao dia. A farmacocinética da sertralina em pacientes pediátricos com transtorno obsessivo-compulsivo se mostrou comparável à observada em adultos (embora pacientes pediátricos metabolizem a sertralina mais rapidamente). Entretanto, doses mais baixas devem ser consideradas em pacientes pediátricos, devido ao menor peso corpóreo (especialmente entre 6 a 12 anos), a fim de evitar altas concentrações plasmáticas e o aparecimento de efeitos colaterais. Idosos: pacientes idosos devem seguir a posologia indicada para adultos. Insuficiência hepática: devido a sertralina ter extensa biotranformação hepática, deve ser administrada com cautela e acompanhamento médico em pacientes com insuficiência hepática, recomendando-se uma dose menor ou menos freqüente neste grupo de pacientes. Insuficiência renal: a eliminação da sertralina sob forma inalterada pela urina não é significativa. Em pacientes com insuficiência renal de grau leve a moderado (clearance de creatinina de 30 a 60 ml/min.) ou de grau moderado a grave (clearance de creatinina de 10 a 29 ml/min.) os parâmetros farmacocinéticos de dose múltipla (AUC0 - 24 ou Cmax) não foram significativamente diferentes quando comparados com indivíduos sadios. As meias-vidas foram similares e não houve diferenças na ligação às proteínas plasmáticas, indicando que não é necessário o ajuste da dose de sertralina com base no grau de insuficiência renal.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal