FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Somalgin Cardio

Somalgin Cardio - Bula do remédio

Somalgin Cardio com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Somalgin Cardio têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Somalgin Cardio devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Ems

Referência

Acido Acetilsalicílico 100 mg

Apresentação de Somalgin Cardio

-Comprimidos revestidos dupla camada, com 81 mg de ácido acetilsalicílico em formulação tamponada, em embalagens com 4, 10, 30, 32 e 60 comprimidos.
-Comprimidos revestidos dupla camada, com 100 mg de ácido acetilsalicílico em formulação tamponada, em embalagens com 4, 32 e 60 comprimidos.
-Comprimidos revestidos dupla camada, com 200 mg de ácido acetilsalicílico em formulação tamponada, em embalagens com 4, 10, 30, 32 e 60 comprimidos.
-Comprimidos revestidos dupla camada, com 325 mg de ácido acetilsalicílico em formulação tamponada, em embalagens com 4, 32 e 60 comprimidos.

Somalgin Cardio - Indicações

Somalgin Cardio é indicado para reduzir o risco destaques isquêmicos transitórios recorrentes (AITs); nos pacientes com histórico de isquemia cerebral transitória devido à embolia fibra inoplaquetária, assim como para reduzir o risco de infarto do miocárdio (IM), fatal ou não; nos pacientes com história de infarto prévio o u de angina pectoris instável. Prevenção de trombose coronariana em pacientes com fatores de risco, prevenção de trombose venosa e embolia pulmonar.
Somalgin Cardio é também indicado como medicação analgésica, antitérmica e anti-inflamatória. Utilizado para o alívio das dores de cabeça, mal-estar, febre das gripes e dos resfriados comuns, e nas condições febris de maneira geral; nas dores musculares fortes a moderadas; no alívio temporário das dores moderadas da artrite, reumatismo, lumbago, ciática; nas dores de dente, neuralgias e neurites; nas dores funcionais da menstruação; na insônia decorrente de estados dolorosos leves; no mal-estar e nas febres pós-imunizações.

Contra-indicações de Somalgin Cardio

Somalgin Cardio é contraindicado a todos os pacientes com hipersensibilidade ao ácido acetilsalicílico, a qualquer componente da fórmula e a produtos que contenham anti-inflamatórios não esteroidais (por exemplo: diclofenaco, piroxicam, meloxicam, dipirona, paracetamol, ibuprofeno, nimesulida), medicamentos usados para controlar a inflamação.
Somalgin Cardio também é contraindicado na asma induzida pela administração de salicilatos, úlceras pépticas ativas, diátese hemorrágica, no último trimestre da gravidez, em combinação com metotrexato em dose de 15 mg/semana o u mais, síndrome de Reye e doença viral.

Advertências

Nos dois primeiros trimestres da gravidez, Somalgin Cardio só deverá ser usado por recomendação médica, em casos de absoluta necessidade.
No caso de Dengue deve-se evitar o uso de Somalgin Cardio, já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas.
O ácido acetilsalicílico não deve ser utilizado em pacientes predispostos a dispepsias ou portadores de alguma lesão da mucosa gástrica conhecida.
Somalgin Cardio mesmo em doses baixas pode aumentar o tempo de sangramento, principalmente em hemofílicos, deficientes de vitamina K, doenças hepáticas e pessoas que estejam fazendo uso de anticoagulante.
A administração deve ser cautelosa nos pacientes com função renal comprometida, particularmente nas crianças, e sempre que o paciente estiver desidratado.
Pacientes que consomem três ou mais doses de bebida alcoólica todos os dias estão sujeitos a hemorragia caso utilizem este medicamento.
Somalgin Cardio não deve ser utilizado por períodos prolongados sem a orientação médica.
Gravidez e lactação: Durante a gravidez ou amamentação, consulte seu médico antes de utilizar Somalgin Cardio. Sabe-se que o ácido acetilsalicílico, quando administrado continuamente e em altas doses, pode provocar problemas no parto e/ou no recém-nascido. Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após seu término. Informar ao médico se estiver amamentando.

Crianças ou adolescentes não devem usar esse medica mento para catapora ou sintomas gripais antes que um médico seja consultado sobre a síndrome de Reye, uma rara, mas grave doença associada a esse medicamento.

Interações medicamentosas de Somalgin Cardio

Interações Medicamento – Medicamento
-Risco aumentado de sangramento: anisindiona, heparina, estreptoquinase e varfarina;
-Redução da eficácia de outros medicamentos: captopril, delapril, enalaprilato, maleato de enalapril, imidapril, temocapril;
-Redução dos níveis de salicilato no plasma do efeito antiplaquetário do ácido acetilsalicílico: ranitidina;
-Aumento no risco de desenvolvimento da Síndrome de Reye: vacina para os vírus da gripe e varicela;
-Risco aumentado de sangramento de hematoma no caso de anestesia neuroaxial: ardeparina, certoparina, dalteparina, danaparoide, enoxaparina, nadroparina, parnaparina, prednisolona, prednisona, reviparina e tinzaparina;
-Redução do efeito antiplaquetário do ácido acetilsalicílico: Ibuprofeno;
-Risco aumentado de sangramento: citalopram, clovoxamina, desvenlafaxina, dicumarol, duloxetina, eptifibatide, escitalopram, femoxetina, flesinoxano, fluoxetina, fluvoxamina, gingko, milnaciprana, nefazodona, paroxetina, sertralina, tecneteplase, ticlopidina, tirofibana, venlafaxina, verapamil e zimeldina;
-Prolongamento no tempo de sangramento: diltiazem;
-Risco aumentado de ulceração gastrointestinal e c oncentração subterapêutica de ácido acetilsalicílico: betametasona, cortisona, deflazacorte, dexametasona, hidrocortisona, metilprednisolona, parametasona e triancinolona;
-Risco aumentado de sangramento gastrointestinal: celecoxibe e rofecoxibe;
-Hemorragia gastrointestinal: piroxicam;
-Hipoglicemia: clorpropamida e tolbutamida;
-Risco aumentado de hipoglicemia: gliburida;
-Redução da eficácia da outra droga: furosemida, lisinopril e corticosteroides;
-Toxicidade pela outra droga: metotrexato (leucopenia, trombocitopenia, anemia, nefrotoxicidade, ulcerações de mucosa);
-Aumento nas concentrações de nitroglicerina e depressão adicional da função plaquetária: nitroglicerina;
-Níveis séricos aumentados de urato: fenilbutazona;
-Reversão dos efeitos uricosúricos da outra droga: probenecida;
-Aumento na toxicidade por salicilato: tamarindo;
-Aumento nas concentrações de ácido valpróico livre: ácido valpróico;
Interação Medicamento – Substância Química
- Álcool: riscos de hemorragia
Interações Medicamento – Planta Medicinal
- Risco aumentado de sangramento: anis, arnica, astragalus, bilberry (mirtilo), black currant (cassis), bladderwrack (tipo de algas marrons), bogbean (Menyanthes), boldo, borage, chaparral, curcumin, dente-de-leão, gengibre, guggul, hawthorn, kava, licorice (Alcaçuz), matricária, meadowsweet, motherwort, óleo de cravo, prímula, skullcap, Arranhadura de gato, capsaicina.

Interações Medicamento - Alimento
Risco aumentado de sangramento: aipo e alho.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Somalgin Cardio

Reações muito comuns (>1/10): dor abdominal com cólicas, diarreia, disgeusia, condições hipersecretóri as gástrica, irritação gastrointestinal, azia, náuseas, vômitos.
Reação comum (>1/100 e <1/10): obstipação.
Reações raras (> 1/10.000 e < 1/1.000): alteração d a função hepática e renal, alcalose, dermatite alérgica, reações alérgicas, anafilaxia, anemia, angioedema, anorexia, broncoespasmo, transtorno de eletrólitos, transtornos de apreensão, hepatite medicamentosa, dispepsia, hipercalemia, dispneia, eritema, impactação fecal, gastrite, hemorragia gastrointestinal, perfuração gastrointestinais, úlcera gastrointestinal, hematoma, anemia hemolítica, hipermagnesemia, nefrite intersticial, hemorragia intracraniana, pedra nos rins, leucopenia, prurido de pele, púrpura, sangramento retal, exantema cutâneo, inchaço dos tornozelos ou pés, desordem trombocitopênica, zumbido, urticária e sibilos.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária-NOTIVISA, disponível em http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Somalgin Cardio - Posologia

Somalgin Cardio comprimido revestido deve ser ingerido com um pouco de líquido, durante ou após as refeições.
Nas patologias abaixo, são recomendadas as seguintes doses para adultos:
Prevenção primária de infarto do miocárdio em pessoas com risco moderado ou alto de eventos cardiovasculares: Dose diária de 81 a 162 mg.
Angina estável crônica: Dose diária de 81 a 162 mg.
Síndromes coronarianas agudas (angina instável, infarto agudo do miocárdio): Dose imediata de 81 a 325mg, seguida por dose diária de 81 a 162 mg.
Prevenção secundária de infarto do miocárdio: Iniciar com dose diária de 162 a 325 mg, e manter indefinidamente com 81 a 162 mg/dia.
Prevenção primária de AVC (acidente vascular cerebral) em pacientes que apresentaram AIT (ataques isquêmicos transitórios) ou antes e após endarterectomia carotídea: Dose diária de 81a 325 mg.
AVC agudo isquêmico (em pacientes que não receberão trombólise): Iniciar com dose diária de 162 a 325 mg, preferencialmente nas primeiras 48 horas do evento.
Prevenção secundária de AVC não-cardio embólico (ate rotrombótico, lacunar ou criptogênico): Dose diária de 81 a 325 mg.
Prevenção de tromboembolismo após cirurgia vascular ou outras intervenções: Dose diária de 81 a 325 mg.
Prevenção de trombose venosa profunda e embolia pulmonar após imobilização prolongada: Dose diária de 81 a 200 mg ou 325 mg em dias alternados.
Para ação analgésica, antipirética e anti-inflamatória:
Adultos: 2 comprimidos de 325 mg inicialmente como dose de ataque e 1 comprimido de 325 mg a cada 6 ou 8 horas como manutenção.

Crianças:
Somalgin Cardio 100 mg:
Crianças até 1 ano de idade: a critério médico.
Crianças de 1 a 2 anos: 1 comprimido.
Crianças de 3 a 5 anos: 1 a 2 comprimidos.
Crianças de 6 a 9 anos: 2 a 3 comprimidos.
Crianças de 10 a 12 anos: 4 a 5 comprimidos.

Estas doses podem ser repetidas até 3 vezes ao dia, podendo variar segundo orientação médica.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Superdosagem

A superdose por salicilatos pode resultar de uma superdose aguda ou intoxicação crônica. Mesmo na ausência de sinais ou sintomas de uma intoxicação, procurar imediatamente um médico ou um Centro de Intoxicações.
O tratamento da intoxicação com o ácido acetilsalicílico depende da extensão, do estágio e dos sintomas clínicos do quadro.
Superdose aguda - Neste caso, os sintomas que podem ocorrer são: alterações graves do equilíbrio ácido - básico que são complicadas com hipertermia e desidratação. Alcalose respiratória ocorre mais cedo enquanto a hiperventilação está presente, mas é rapidamente seguida por acidose metabólica. Hipoglicemia, erupções de pele, zumbido, náuseas, vômitos, distúrbios visuais e auditivos, cefaleia, tontura, confusão e hemorragia gastrointestinal também podem ocorrer.
Intoxicação crônica - Neste caso, os sintomas que podem ocorrer são: delírio, tremor, dispneia, sudorese, hipertermia e coma.
Em casos de intoxicação aguda, recomendam-se as medidas usuais para reduzir a absorção do princípio ativo, para acelerar a excreção e monitorar o balanço hídrico e eletrolítico e para normalizar a temperatura e a atividade respiratória.
Em caso de superdose acidental, procurar auxílio médico imediatamente.
A intoxicação em idosos e, sobretudo em crianças pequenas (superdose terapêutica ou envenenamento acidental, que é frequente) deve ser temida, pois pode ser fatal.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Características farmacológicas

O ácido acetilsalicílico é absorvido no trato gastrointestinal e amplamente distribuído para todos os tecidos e fluidos corporais, inclusive no sistema nervoso central, no leite materno e nos tecidos fetais. As concentrações mais altas são encontradas no plasma, fígado, córtex renal, coração e pulmões. A ligação dos salicilatos às proteínas plasmáticas é dependente da concentração. Em doses baixas (< 100 mcg/ml), aproximadamente 90% do salicilato no plasma estão ligados à albumina, enquanto que em concentrações mais altas (> 400 mcg/ml), somente 75% estão ligados.
Ele é rapidamente hidrolisado no plasma em ácido salicílico, tanto que seus níveis plasmáticos são essencialmente indetectáveis após 1 - 2 horas da ingestão da dose. O ácido salicílico tem meia-vida plasmática de aproximadamente 6 horas. Para doses tóxicas seguidas (10 – 20 g) a meia-vida plasmática pode ser aumentada par mais de 20 horas. A taxa de eliminação da droga é constante em relação à concentração plasmática. A excreção renal da droga inalterada depende do pH urinário. Na medida em que o pH urinário chega em torno de 6,5, o clearance renal do salicilato livre aumenta de menos de 5% para mais de 80%.
O ácido acetilsalicílico afeta a agregação plaquetária pela inibição irreversível da cicloxigenase. Es te efeito perdura por toda a vida plaquetária, prevenindo a formação do fator tromboxano A2, responsável pela agregação plaquetária.
A administração de ácido acetilsalicílico em conjunto com agentes tamponadores pode reduzir a incidência de efeitos colaterais, além de teoricamente promoverem o aumento do pH gástrico, levando o percentual de ácido acetilsalicílico na ormaf ionizada, o que evita ou minimiza a irritação direta da mucosa gástrica. Uma outra vantagem está no fato das formulações de ácido acetilsalicílico tamponado serem absorvidas mais rapidamente do que as não-tamponadas, o que se deve a uma taxa de dissolução mais rápida e a um esvaziamento gástrico mais rápido.
Estudo realizado comparando uma formulação contendo 325 mg de ácido acetilsalicílico com outra contendo 325 mg de ácido acetilsalicílico + 100 mg de hidróxido de magnésio + 50 mg de succinato de alumínio mostrou biodisponibilidade equivalente entre ambas, além da formulação tamponada ter atingido pico de concentração plasmática mais rapidamente. Estes resultados estiveram
associados a uma maior taxa de dissolução e a um maior valor de pH com a formulação tamponada, quando comparada à formulação usual.
Outro estudo comprovou que o ácido acetilsalicílico tamponado com glicinato de alumínio e carbonato de magnésio mostrou, após 2 horas, nível de salicilato idêntico a dois tipos de comprimidos de ácido acetilsalicílico sem antiácidos, e que este nível era atingido mais rapidamente com os comprimidos tamponados.
O ácido acetilsalicílico age como analgésico através de mecanismo central e periférico e como antipirético devido ao seu efeito sobre o centro termorregulador.
O ácido acetilsalicílico inibe a síntese das prostaglandinas e de tromboxano A2, prevenindo a agregação plaquetária responsável pela formação de trombos, que podem estar relacionados c om o infarto do miocárdio e com acidentes vascular e cerebrais (AVCs).
O glicinato de alumínio e o carbonato de magnésio, dois potentes antiácidos, interagem entre si constituindo um sistema tampão que evita a ação gastrolesiva do ácido acetilsalicílico, promovendo ao mesmo tempo, sua absorção em velocidade duas vezes maior.

Resultados de eficácia

O estudo ISIS-2 avaliou, de forma randomizada, a aspirina comparada com placebo e os efeitos separados e combinados de estreptoquinase (SK) IV e aspirina oral em 17.187 pacientes com IAM. Demonstrou-se uma redução relativa da mortalidade de 23% (2p<0,00001) no grupo aspirina, de 25% (2p<0,00001) no grupo SK, e de 42% (2p<0,00001) no grupo aspirina e SK combinados, comparados com o grupo controle.
A aspirina acrescentou benefício à SK em todos os subgrupos examinados. No seguimento de quatro anos houve manutenção do benefício. Uma revisão sistemática dos estudos randomizados de terapia antiplaquetária, avaliando os feitos da aspirina no período pós- infarto para determinar a incidência de eventos vasculares (óbito vascular, IAM não-fatal ou AVC não-fatal), demonstrou em cerca de 20 mil pacientes com história prévia de IAM, uma redução significante de 31% do risco de reinfarto não fatal (2p< 0,00001. Esses dados indicam que a aspirina deve ser utilizada em todos os pacientes com IAM, com início mais precoce possível e seu uso mantido por longo prazo.
Em estudo realizado para avaliar a eficácia e tolerabilidade da aspirina versus placebo, concluiu-se que uma dose de 1000 mg de aspirina foi eficaz e segura no tratamento da enxaqueca aguda em pacientes adequadamente selecionados.
1Avezum, Á.; Cavalcanti, A.B.; Sousa, A. G.; Farsky, P. S. e Knobel, M.. Terapêutica adjuvante no infarto agudo do miocárdio: recomendações baseadas em evidências. Revista Ass. Méd. Brasil 2000; 46(4): 363-8.
2Richard, B.; Lipton, M.D.; Goldstein, M.D. ET AL. A aspirina é eficaz para o tratamento da enxaqueca aguda. Headache 2005; 45:283-292.

Armazenagem

Manter a temperatura ambiente (15ºC a 30ºC). Proteger da luz e manter em lugar seco O prazo de validade do produto é de 36 meses a partir da data de fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vi de embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Este medicamento se trata de um comprimido revestido branco, circular e biconvexo.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Dizeres legais

Reg. MS: nº 1.3569.0647
Farm. Resp.: Dr. Adriano Pinheiro Coelho - CRF/SP: 22.883
Registrado por: EMS SIGMA PHARMA LTDA
Rod. Jornalista F. A. Proença, Km 08 Bairro Chácara Assay – Hortolândia/SP CEP. 13186-901
C.N.P.J.: 00.923.140/0001-31INDÚSTRIA BRASILEIRA
Fabricado por: EMS S/A
Hortolândia – SP
SAC: 0800-191222
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Somalgin Cardio - Bula para o Paciente

1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?
Somalgin Cardio é indicado como analgésico (alivia a dor), anti-inflamatório e antipirético (antifebril), na prevenção do infarto do miocárdio, em função de sua ação antiplaquetária e na profilaxia de tromboses venosas (formação de coágulo na veia), da isquemia cerebral (interrupção do fluxo sanguíneo ao cérebro ), embolia pulmonar (bloqueio da artéria pulmonar).

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?
O ácido acetilsalicílico age como analgésico através de mecanismo central e periférico e como antipirético (antifebril) devido ao seu efeito sobre o centro termorregulador.
O ácido acetilsalicílico previne a agregação plaquetária responsável pela formação de trombos, que podem estar relacionados com o infarto do miocárdio e com acidentes vasculares cerebrais (AVCs).
O glicinato de alumínio e o carbonato de magnésio, dois potentes antiácidos, constituem um sistema tampão que diminui a lesão gástrica do ácido acetilsalicílico, promovendo ao mesmo tempo uma absorção mais rápida.

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
Somalgin Cardio é contraindicado a todos os pacientes com hipersensibilidade ao ácido acetilsalicílico, a qualquer componente da fórmula e a produtos que contenham anti-inflamatórios não esteroidais (por exemplo: diclofenaco, piroxicam, meloxicam, dipirona, paracetamol, ibuprofeno, nimesulida), medicamentos usados para controlar a inflamação.
Somalgin Cardio também é contraindicado na asma induzida pela administração de salicilatos, úlceras pépticas ativas, diátese hemorrágica, no último mestretri da gravidez, em combinação com metotrexato e m dose de 15 mg/semana ou mais, síndrome de Reye e doença viral.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
Nos dois primeiros trimestres da gravidez, você só deverá usar Somalgin Cardio por recomendação médica, em casos de absoluta necessidade.
No caso de Dengue deve-se evitar o uso de Somalgin Cardio, já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas.
O ácido acetilsalicílico não deve ser utilizado em pacientes predispostos a dispepsias (indigestão) ou portadores de alguma lesão da mucosa gástrica conhecida.
Pacientes que consomem três ou mais doses de bebida alcoólica todos os dias estão sujeitos à hemorragia caso utilizem este medicamento.
Somalgin Cardio mesmo em doses baixas pode aumentar o tempo de sangramento, principalmente em hemofílicos, deficientes de vitamina K, doenças hepáticas e pessoas que estejam fazendo uso de anticoagulante.
A administração deve ser cautelosa nos pacientes com função renal comprometida, particularmente nas crianças, e sempre que o paciente estiver desidrata do.
Somalgin Cardio não deve ser utilizado por períodos prolongados sem a orientação médica.
Gravidez e lactação: Durante a gravidez ou amamentação, consulte seu médico antes de utilizar Somalgin Cardio. Sabe-se que o ácido acetilsalicílico, quando administrado continuamente e em altas doses, pode provocar problemas no parto e/ou no recém-nascido. Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após seu término. Informa ao médico se estiver amamentando.

Crianças ou adolescentes não devem usar esse medica mento para catapora ou sintomas gripais antes que um médico seja consultado sobre a síndrome de Reye, uma rara, mas grave doença associada a esse medicamento.

Interações Medicamento – Medicamento
-Risco aumentado de sangramento: anisindiona, heparina, estreptoquinase e varfarina;
-Redução da eficácia de outros medicamentos: captopril, delapril, enalaprilato, maleato de enalapril, imidapril, temocapril;
-Redução dos níveis de salicilato no plasma do efe ito antiplaquetário do ácido acetilsalicílico: ranitidina;
-Aumento no risco de desenvolvimento da Síndrome de Reye: vacina para os vírus da gripe e varicela;
-Risco aumentado de sangramento de hematoma no caso de anestesia neuroaxial: ardeparina, certoparina, dalteparina, danaparoide, enoxaparina, nadroparina, parnaparina, prednisolona, prednisona, reviparina e tinzaparina;
-Redução do efeito antiplaquetário do ácido acetilsalicílico: ibuprofeno;
-Risco aumentado de sangramento: citalopram, clovoxamina, desvenlafaxina, dicumarol, duloxetina, eptifibatide, escitalopram, femoxetina, flesinoxano, fluoxetina, fluvoxamina, gingko, milnaciprana, nefazodona, paroxetina, sertralina, tecneteplase, ticlopidina, tirofibana, venlafaxina, verapamil e zimeldina;
-Prolongamento no tempo de sangramento: diltiazem;
-Risco aumentado de ulceração gastrointestinal e concentração subterapêutica de ácido acetilsalicílico: betametasona, cortisona, deflazacorte, dexametasona, hidrocortisona, metilprednisolona, parametasona e triancinolona;
-Risco aumentado de sangramento gastrointestinal: celecoxibe e rofecoxibe;
-Hemorragia gastrointestinal: piroxicam;
-Hipoglicemia: clorpropamida e tolbutamida;
-Risco aumentado de hipoglicemia: gliburida;
-Redução da eficácia da outra droga: furosemida, lisinopril e corticosteróides
-Toxicidade pela outra droga: metotrexato (leucopenia, trombocitopenia, anemia, nefrotoxicidade, ulcerações de mucosa);
-Aumento nas concentrações de nitroglicerina e depressão adicional da função plaquetária: nitroglicerina;
-Níveis séricos aumentados de urato: fenilbutazona;
-Reversão dos efeitos uricosúricos da outra droga: probenecida;
-Aumento na toxicidade por salicilato: tamarindo;
-Aumento nas concentrações de ácido valpróico livr e: ácido valpróico;
Interação Medicamento – Substância Química
-Álcool: riscos de hemorragia
Interações Medicamento – Planta Medicinal
-Risco aumentado de sangramento: Anis, Arnica, Astragalus, Mirtilo, Cassis, Fucus Vesiculosus, Menyanthes, Boldo, Borage, Chaparral, Açafrão, Dente-de-leão, Gengibre, Guggul, Alcaçuz, Matricária, Hamma Melis, Motherwort, Óleo de cravo, Prímula, Solidéu, Unha de gato e Capsaicina.

Interações Medicamento - Alimento
- Risco aumentado de sangramento: aipo e alho.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
Manter a temperatura ambiente (15ºC a 30ºC). Proteger da luz e manter em lugar seco.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vi de embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Somalgin Cardio é um comprimido revestido branco, circular e biconvexo.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
Somalgin Cardio comprimido revestido deve ser ingerido com um pouco de líquido, durante ou após as refeições.
Nas patologias abaixo, são recomendadas as seguintes doses para adultos:
Prevenção primária de infarto do miocárdio em pessoas com risco moderado ou alto de eventos cardiovasculares: Dose diária de 81 a 162 mg.
Angina estável crônica: Dose diária de 81 a 162 mg.
Síndromes coronarianas agudas (angina instável, infarto agudo do miocárdio): Dose imediata de 81 a 325 mg, seguida por dose diária de 81 a 162 mg.
Prevenção secundária de infarto do miocárdio: Iniciar com dose diária de 162 a 325 mg, e manter indefinidamente com 81 a 162 mg/dia.
Prevenção primária de AVC (acidente vascular cerebral) em pacientes que apresentaram AIT (ataques isquêmicos transitórios) ou antes e após endarterectomia carotídea: Dose diária de 81 a 325 mg.
AVC agudo isquêmico (em pacientes que não receberão trombólise): Iniciar com dose diária de 162 a 325 mg, preferencialmente nas primeiras 48 horas do evento.
Prevenção secundária de AVC não-cardioembólico (ate rotrombótico, lacunar ou criptogênico): Dose diária de 81 a 325 mg.
Prevenção de tromboembolismo após cirurgia vascular ou outras intervenções: Dose diária de 81 a 325 mg.
Prevenção de trombose venosa profunda e embolia pulmonar após imobilização prolongada: Dose diária de 81 a 200 mg ou 325 mg em dias alternados.
Para ação analgésica, antipirética e anti-inflamatória:
Adultos: 2 comprimidos de 325 mg inicialmente como dose de ataque e 1 comprimido de 325 mg a cada 6 ou 8 horas como manutenção.
Crianças:
Somalgin Cardio 100 mg:
Crianças até 1 ano de idade: a critério médico.
Crianças de 1 a 2 anos: 1 comprimido.
Crianças de 3 a 5 anos: 1 a 2 comprimidos.
Crianças de 6 a 9 anos: 2 a 3 comprimidos.
Crianças de 10 a 12 anos: 4 a 5 comprimidos.
Estas doses podem ser repetidas até 3 vezes ao dia, podendo variar segundo orientação médica.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do s eu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
Tome a dose assim que se lembrar. Entretanto, se estiver próximo o horário da dose seguinte, salte a dose esquecida e continue o tratamento conforme prescrito. Não utilize o dobro da dose para compensar uma dose esquecida.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?
Reações muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): dor abdominal com cólicas , diarreia, disgeusia (perda de paladar), condições hipersecretórias gástrica, irritação gastrointestinal, azia, náuseas, vômitos.
Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos paciente s que utilizam este medicamento): constipação (prisão de ventre).
Reações raras (ocorrem entre 0,01% e 0,1% dos pacie ntes que utilizam este medicamento): alteração da função hepática e renal, alcalose (aumento do pH do sangue), dermatite alérgica (irritação da pele), reações alérgicas, anafilaxia (reação alérgica), anemia, angioedema (inchaço localizado abaixo da pele), anorexia (transtornos alimentares), broncoespasmo (estreitamento transitório das vias a éreas), transtorno de eletrólitos, transtornos de apreensão, hepatite medicamentosa, d ispepsia (indigestão), hipercalemia, dispneia (falta de ar), eritema (coloração avermelhada da pele), impactação fecal (endurecimento das fezes), gastrite,
hemorragia gastrointestinal (sangramento), perfuração gastrointestinais, úlcera gastrointestinal, hematoma (acúmulo de sangue num órgão ou tecido), anemia hemolítica (tipo de anemia), hipermagnesemia (concentração sérica alta de magnésio), hemorragia intracraniana (sangramento no interior do crânio), pedra nos rins, leucopenia (diminuição de glóbulos branco s do sangue), prurido de pele (coceira intensa), púrpura (manchas na pele de coloração roxa), sangramento re tal (eliminação de sangue através do ânus), exantema cutâneo (erupção da pele), inchaço dos tornozelos o u pés, desordem trombocitopenia (desordens de coagulação), zumbido, urticária (coceira) e sibilos (ronquidão).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?
A superdose por salicilatos pode resultar de uma superdose aguda ou intoxicação crônica. Mesmo na ausência de sinais ou sintomas de uma intoxicação, procurar imediatamente um médico ou um Centro de Intoxicações.
O tratamento da intoxicação com o ácido acetilsalicílico depende da extensão, do estágio e dos sintomas clínicos do quadro.
Superdose aguda - Neste caso, os sintomas que podem ocorrer são: alterações graves do equilíbrio ácido - básico que são complicadas com hipertermia (aumento da temperatura do corpo) e desidratação. Alcalose respiratória ocorre mais cedo enquanto a hiperventilação (frequência respiratória aumentada) está presente, mas é rapidamente seguida por acidose metabólica. Hipoglicemia (quantidade de açúcar no sangue menor que a normal), erupções de pele, zumbido, náuseas, vômitos, distúrbios visuais e auditivos, cefaleia (dor de cabeça), tontura, confusão e hemorragia gastrointestinal também podem ocorrer.
Intoxicação crônica - Neste caso, os sintomas que podem ocorrer são: delírio, tremor, dispneia (dificuldade de respirar), sudorese (excesso de suor), hipertermia e coma.
Em casos de intoxicação aguda, recomendam-se as medidas usuais para reduzir a absorção do princípio ativo, para acelerar a excreção e monitorar o balanço hídrico e eletrolítico e para normalizar a temperatura e a atividade respiratória.
Em caso de superdose acidental, procurar auxílio médico imediatamente.
A intoxicação em idosos e, sobretudo em crianças pequenas (superdose terapêutica ou envenenamento acidental, que é frequente) deve ser temida, pois pode ser fatal.

Data da bula

21/09/2016

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal