Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Tazocin - Bula do remédio

Tazocin com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Tazocin têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Tazocin devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Wyeth

Referência

Piperacilina e Tazobactam

Apresentação de Tazocin

Tazocin 2,25 g: fr.-ampola de dose única contém Piperacilina 2 g de piperacilina e Tazobactama 250 mg. Tazocin 4,5 g: fr.-ampola de dose única contém Piperacilina 4 g de piperacilina e Tazobactama 500 mg.

Tazocin - Indicações

Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) é indicado para o tratamento das seguintes infecções bacterianas sistêmicas e/ou locais causadas por microrganismos Gram-positivos e Gram-negativos aeróbios e anaeróbios sensíveis à piperacilina/tazobactam ou à piperacilina: Pacientes adultos 1. Infecções do trato respiratório inferior. 2. Infecções do trato urinário (complicada ou não complicada). 3. Infecções intra-abdominais. 4. Infecções da pele e suas estruturas. 5. Septicemia bacteriana. 6. Infecções ginecológicas, incluindo endometrite pós-parto e doença inflamatória pélvica (DIP). 7. Infecções neutropênicas febris, em associação a um aminoglicosídeo. 8. Infecções osteo-articulares. 9. Infeções polimicrobianas (microrganismos Gram-positivos/Gram-negativos aeróbios e anaeróbios). Crianças 1. Infecções neutropênicas febris em pacientes pediátricos, em associação a um aminoglicosídeo. 2. Infecções intra-abdominais em crianças com 2 anos ou mais. Tratamento presuntivo de infecções graves com Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) pode ser iniciado antes que os resultados dos testes de sensibilidade estejam disponíveis. Enquanto Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) está indicado somente para as condições listadas acima, as infecções causadas por organismos sensíveis à piperacilina também são sensíveis ao tratamento com Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) devido à presença de piperacilina. Portanto, o tratamento de infecções mistas causadas por organismos sensíveis à piperacilina e organismos produtores de beta-lactamase sensíveis à Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) não necessitam da adição de outro antibiótico. Testes apropriados de cultura e sensibilidade devem ser realizados antes do tratamento para identificar os organismos causadores das infecções e para determinar sua sensibilidade ao Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico). Devido a seu amplo espectro de ação contra organismos Gram-negativos e Gram-positivos anaeróbios e aeróbios, como mencionado acima, Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) é particularmente útil no tratamento de infecções mistas e no tratamento presuntivo antes da disponibilidade dos resultados dos testes de sensibilidade. O tratamento com Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) pode, contudo, ser iniciado antes dos resultados dos testes serem conhecidos. Modificação no tratamento pode ser necessária após conhecimento destes resultados, ou se não houver resposta clínica. Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) atua sinergicamente com aminoglicosídeos contra certas cepas de Pseudomonas aeruginosa. Esta terapia combinada tem tido sucesso, especialmente em pacientes com comprometimento imunológico. Ambas as drogas devem ser utilizadas em doses terapêuticas completas. Assim que os resultados de cultura e testes de sensibilidade estejam disponíveis, a terapia antimicrobiana deve ser ajustada. No tratamento de pacientes neutropênicos, doses terapêuticas completas de Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) e um aminoglicosídeo devem ser utilizadas. Deve-se levar em conta a possibilidade de hipocalemia em pacientes com baixa reserva de potássio, e periódicas determinações eletrolíticas devem ser feitas nestes pacientes.

Contra-indicações de Tazocin

Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) está indicado para o tratamento das seguintes infecções bacterianas sistêmicas e/ou locais por microrganismos sensíveis (confirmados ou suspeitos): 1. Infecções do trato respiratório inferior. 2. Infecções do trato urinário (complicada ou não-complicada). 3. Infecções intra-abdominais. 4. Infecções da pele e suas estruturas. 5. Septicemia bacteriana. 6. Infecções ginecológicas. 7. Infecções bacterianas em pacientes neutropênicos: Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) associado a aminoglicosídeo está indicado nas infecções bacterianas em pacientes neutropênicos. 8. Infecções osteoarticulares. 9. Infecções polimicrobianas: Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) está indicado nas infecções polimicrobianas, incluindo aquelas onde os organismos aeróbicos e anaeróbicos são suspeitos (pele e suas estruturas, intra-abdominal, trato respiratório superior e inferior, ginecológico). Enquanto Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) está indicado somente para as condições listadas anteriormente, as infecções causadas por organismos sensíveis à piperacilina também são sensíveis ao tratamento com Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) devido à presença de piperacilina. Portanto, o tratamento de infecções mistas causadas por organismos sensíveis à piperacilina e organismos produtores de b-lactamase sensíveis a Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) não necessita da adição de outro antibiótico. Testes apropriados de cultura e sensibilidade devem ser realizados antes do tratamento para identificar os organismos causadores das infecções e para determinar sua sensibilidade ao Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica). Devido a seu amplo espectro de ação contra organismos Gram-negativos e Gram-positivos, anaeróbicos e aeróbicos, como já mencionado, Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) é particularmente útil no tratamento de infecções mistas e no tratamento presuntivo antes da disponibilidade dos resultados dos testes de sensibilidade. O tratamento com Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) pode, contudo, ser iniciado antes dos resultados dos testes serem conhecidos. Modificação no tratamento pode ser necessária após conhecimento destes resultados, ou se não houver resposta clínica. Tratamento presuntivo de infecções graves com Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) pode ser iniciado antes que os resultados dos testes de sensibilidade estejam disponíveis. Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) atua sinergicamente com aminoglicosídeos contra certas cepas de Pseudomonas aeruginosa. Esta terapia combinada tem tido sucesso, especialmente em pacientes com comprometimento imunológico. Ambas as drogas devem ser utilizadas em doses terapêuticas completas. Assim que os resultados de cultura e testes de sensibilidade estejam disponíveis, a terapia antimicrobiana deve ser ajustada. Doses terapêuticas completas de Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) e um aminoglicosídeo devem ser utilizadas no tratamento de pacientes neutropênicos. Deve-se levar em conta a possibilidade de hipocalemia em pacientes com baixa reserva de potássio e periódicas determinações eletrolíticas devem ser feitas nestes pacientes.

Advertências

Antes do início do tratamento com Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico), os pacientes devem ser questionados detalhadamente sobre reações de hipersensibilidade anteriores a penicilinas, cefalosporinas ou outros alérgenos. Reações de hipersensibilidade (anafilática/anafilactóide incluindo choque) graves e ocasionalmente fatais foram relatadas em pacientes em tratamento com penicilinas, incluindo Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico). Essas reações são mais comuns em pessoas com história de sensibilidade a múltiplos alérgenos. Reações de hipersensibilidade graves exigem a descontinuação do antibiótico e podem necessitar da administração de epinefrina e de outras condutas de emergência. A colite pseudomembranosa induzida por antibiótico pode se manifestar por diarréia grave e persistente, que pode ser potencialmente fatal. Os sintomas da colite pseudomembranosa podem começar durante ou após o tratamento anti-bacteriano. A tampa do frasco-ampola contém borracha natural seca que pode causar reações de hipersensibilidade quando manuseado por pessoas com sensibilidade conhecida ou suspeita ao látex ou quando o produto é administrado a pessoas com essa sensibilidade.

Uso na gravidez de Tazocin

Gravidez - Os estudos em camundongos e ratos não demonstraram efeitos embriotóxicos ou teratogênicos da associação piperacilina/tazobactam. Não existem estudos adequados e bem-controlados com a associação piperacilina/tazobactam ou com a piperacilina ou o tazobactam em monoterapia em mulheres grávidas. A piperacilina e o tazobactam atravessam a placenta. Mulheres grávidas devem ser tratadas apenas se os benefícios previstos superarem os possíveis riscos à mulher e ao feto. Lactação - A piperacilina é excretada em baixas concentrações no leite materno; as concentrações de tazobactam no leite materno ainda não foram determinadas. As mulheres lactantes devem ser tratadas apenas se os benefícios previstos superarem os possíveis riscos à mulher e a criança.

Interações medicamentosas de Tazocin

A piperacilina quando utilizada concomitantemente à vecurônio têm sido relacionada a prolongamento do bloqueio neuromuscular do vecurônio. Devido à semelhança entre os mecanismos de ação, espera-se que haja prolongamento do bloqueio neuromuscular provocado por qualquer relaxante muscular não-despolarizante na presença de piperacilina. Durante a administração simultânea de heparina, anticoagulantes orais e outros medicamentos com potencial para alterar o sistema de coagulação sangüínea, incluindo a função trombótica, alguns parâmetros de coagulação deverão ser testados com maior freqüência e monitorizados regularmente (ver Precauções). A piperacilina pode reduzir a excreção do metotrexato, portanto os níveis séricos de metotrexato devem ser monitorizados para evitar toxicidade do medicamento. Como ocorre com outras penicilinas, a administração concomitante de probenecida e Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) prolonga a meia-vida e diminui a depuração renal da piperacilina e do tazobactam, entretanto não há alteração da concentração plasmática máxima de cada droga. A piperacilina em monoterapia ou em associação ao tazobactam não altera significantemente a farmacocinética da tobramicina em pacientes com função renal normal e com insuficiência renal leve ou moderada. A farmacocinética da piperacilina, do tazobactam e do metabólito M1 não sofreu alteração significante com a administração da tobramicina. Não foram observadas alterações farmacocinéticas entre Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) e vancomicina.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Tazocin

Durante estudos clínicos 2.621 pacientes no mundo todo foram tratados com Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) em estudos clínicos fase III. Em 3,2% dos pacientes tratados, Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) foi descontinuado devido a efeitos adversos envolvendo, primariamente, a pele (1,3%), incluindo eritema e prurido; o sistema gastrintestinal (0,9%), incluindo diarréia, náusea e vômito; e reações alérgicas (0,5%). As reações adversas locais relatadas sem relação definida com Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) foram flebite (1,3%), reações no local da injeção (0,5%), dor (0,2%), inflamação (0,2%), tromboflebite (0,2%) e edema (0,1%). Nos estudos clínicos (n = 830 pacientes), 90% dos efeitos adversos relatados foram transitórios e de natureza leve a moderada. Efeitos adversos clínicos: Baseado em pacientes de estudos clínicos (n = 1.063), os eventos de maior incidência sem relação definida com tratamento com Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) foram diarréia (11,3%); cefaléia (7,7%); constipação (7,7%); náusea (6,9%); insônia (6,6%); eritemas (4,2%), inclusive maculopapular, bolhoso, urticária e eczema; vômito (3,3%); dispepsia (3,3%); prurido (3,1%); alteração na consistência das fezes (2,4%); febre (2,4%); agitação (2,1%); dor (1,7%); monilíase (1,6%); hipertensão (1,6%); vertigem (1,4%); dor abdominal (1,3%); dor torácica (1,3%); edema (1,2%); ansiedade (1,2%); rinite (1,2%) e dispnéia (1,1%). Outros eventos adversos sistêmicos, relatados em 1,0% ou menos dos pacientes, estão listados a seguir por sistema. Inespecífico: Calafrio, dor nas costas, mal-estar. Sistema nervoso autônomo: Hipotensão, íleo paralítico, síncope. Cardiovascular: Taquicardia, incluindo supraventricular e ventricular; bradicardia; arritmia, incluindo fibrilação atrial, fibrilação ventricular, parada cardíaca, insuficiência cardíaca, insuficiência circulatória, infarto do miocárdio. Sistema nervoso central: Tremor, convulsão, vertigem. Gastrintestinal: Melena, flatulência, hemorragia, gastrite, soluço, estomatite ulcerativa, colite induzida por droga. Colite pseudomembranosa foi relatada por outro paciente durante os ensaios clínicos. O início dos sintomas da colite pseudomembranosa pode ocorrer durante ou após o tratamento antibacteriano (ver Advertências). Audição: Zumbido. Hipersensibilidade: Anafilaxia. Metabólico e nutricional: Hipoglicemia sintomática, sede. Musculoesquelético: Mialgia, artralgia. Plaquetas, Hemorragia, Coagulação: Embolismo mesentérico, púrpura, epistaxe, embolismo pulmonar (ver Precauções). Psiquiátrico: Confusão, alucinação, depressão. Reprodutor feminino: Leucorréia, vaginite. Respiratório: Faringite, edema pulmonar, broncoespasmo, tosse. Pele e apêndices: Prurido genital, diaforese. Sentidos especiais: Alteração do paladar. Urinário: Retenção, disúria, oligúria, hematúria, incontinência. Visão: Fotofobia. Vascular (extracardíaco): Vermelhidão. Eventos adversos observados em exames laboratoriais: Alteração nos parâmetros laboratoriais, sem relação com a droga, incluem: Hematológico: Diminuição na hemoglobina e hematócritos, trombocitopenia, aumento na contagem plaquetária, eosinofilia, leucopenia, neutropenia. Tanto a leucopenia quanto a neutropenia associadas com a administração de Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) parecem ser reversíveis e mais freqüentemente associadas com a administração prolongada, isto é, por mais de 21 dias de tratamento. Estes pacientes foram retirados do tratamento e alguns tiveram sintomas sistêmicos acompanhados (ex.: febre, tremores, calafrios). Coagulação: Teste de Coombs direto positivo, tempo de protrombina prolongado, tempo de tromboplastina parcial prolongado. Hepático: Elevações transitórias da AST (TGO), ALT (TGP), fosfatase alcalina, bilirrubina. Renal: Aumento na creatinina sérica e uréia (BUN). Urina tipo I: Proteinúria, hematúria, piúria. Outros eventos laboratoriais incluem anormalidades eletrolíticas (ex.: aumento e diminuição no sódio, potássio e cálcio), hiperglicemia, diminuição da proteína total ou albumina. As seguintes reações adversas também foram relatadas para piperacilina sódica estéril: Pele e apêndices: Eritema multiforme e síndrome de Stevens-Johnson foram raramente relatadas. Gastrintestinal: Hepatite colestática. Renal: Raramente, nefrite intersticial. Esquelético: Relaxamento muscular prolongado.

Tazocin - Posologia

Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) deve ser administrado por infusão intravenosa lenta num período acima de 20 a 30 minutos. Adultos e jovens com idade superior a 12 anos: A dose usual para adultos e jovens com função renal normal é de 4,5 g de Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica), administrada a cada oito horas. A dose diária depende da gravidade e localização da infecção e pode variar de 2,25 g a 4,5 g de Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica), administrada a cada seis, oito ou 12 horas. Crianças abaixo de 12 anos de idade: Até que mais experiências estejam disponíveis, Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) não deve ser utilizado em crianças abaixo de 12 anos de idade. Insuficiência renal: Em pacientes com insuficiência renal a dose intravenosa deve ser ajustada ao grau de disfunção renal. As doses diárias recomendadas são as seguintes: Para pacientes em hemodiálise a dose diária máxima é 8 g/1 g de Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica). Além disso, uma vez que a hemodiálise remove 30%-50% de piperacilina em 4 horas, uma dose adicional de 2 g/250 mg de Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) deve ser administrada após cada período de diálise. Para pacientes com insuficiências renal e hepática, medidas dos níveis séricos de Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica), quando disponíveis, poderão fornecer informações adicionais para o ajuste de dose. Duração do tratamento: Em infecções agudas o tratamento com Tazocin (piperacilina sódica/tazobactama sódica) deve durar, no mínimo, cinco dias e continuar por mais 48 horas após melhora dos sintomas clínicos ou da febre.

Superdosagem

Há relatos de superdosagem de Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) na experiência pós-comercialização. A maioria desses eventos, incluindo náuseas, vômitos e diarréia, foi relatada nas doses usuais recomendadas. Os pacientes podem apresentar excitabilidade neuromuscular ou convulsões se forem administradas doses acima das recomendadas por via intravenosa (particularmente na presença de insuficiência renal).

Características farmacológicas

Descrição Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) é uma associação antibacteriana injetável que consiste de um antibiótico semi-sintético, a piperacilina sódica e um inibidor da beta-lactamase, o tazobactam sódico, para administração intravenosa. O produto não contém conservantes. A piperacilina sódica é o (2S,5R,6R)-6-[(R)-2-(4-etil-2,3-dioxo-1- piperazinacarboxamido)-2-fenilacetamido]-3,3-dimetil-7-oxo-4-tia-1- azabiciclo[3.2.0]heptano-2-carboxilato de sódio. O tazobactam sódico é o (2S,3S,5R)-3-metil-7-oxo-3-(1H-1,2,3-triazol-1-ilmetil)-4-tia-1- azabiciclo[3.2.0]heptano-2-carboxilato-4,4-dióxido de sódio. A fórmula molecular da piperacilina sódica é C23H26N5NaO7S (peso molecular 539,5) e do tazobactam sódico é C10H11N4NaO5S (peso molecular 322,3). A piperacilina sódica é um pó cristalino branco, altamente solúvel em água, álcool e metanol; praticamente insolúvel em acetato de etila. O tazobactam sódico é um pó cristalino não-higroscópico branco a quase branco. Cada frasco-ampola contém 2,79 mEq (64 mg) de sódio por grama de piperacilina. Mecanismo de Ação A piperacilina é uma penicilina semi-sintética de amplo espectro, ativa contra muitas bactérias Gram-positivas e Gram-negativas anaeróbias e aeróbias, que exerce atividade bactericida pela inibição da formação do septo e síntese da parede celular. O tazobactam, um ácido triazolilmetil penicilânico sulfônico, é um potente inibidor de muitas beta-lactamases, incluindo as enzimas mediadas por plasmídeos ou por cromossomo, que freqüentemente causam resistências a penicilinas e cefalosporinas, inclusive as cefalosporinas de terceira geração. A atividade microbiológica intrínseca do tazobactam é muito baixa. A presença do tazobactam na formulação de Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) intensifica e amplia o espectro antibiótico da piperacilina, que passa a incluir muitas bactérias produtoras de beta-lactamase normalmente resistentes a esse antibiótico e outros beta-lactâmicos. Portanto, a piperacilina/tazobactam combina as propriedades de um antibiótico de amplo espectro com um inibidor da beta-lactamase. Distribuição Tanto a piperacilina como o tazobactam apresentam taxa de ligação às proteínas plasmáticas de aproximadamente 30%. Essa taxa de piperacilina ou de tazobactam não sofre alteração pela presença de outro composto. A taxa de ligação do metabólito do tazobactam é desprezível. Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) distribui-se amplamente por tecidos e fluidos corporais, incluindo mucosa intestinal, vesícula biliar, pulmão, bile e osso. As concentrações teciduais médias são normalmente 50% a 100% das observadas no plasma.

Resultados de eficácia

A cura ou a melhora clínica foi atingida em 85% a 94% dos pacientes com infecção do trato respiratório inferior comunitárias tratadas com várias doses da associação piperacilina/tazobactam. Na dose de 3/0,375 g a cada 6 horas, piperacilina/tazobactam foi significativamente mais eficaz que ticarcilina/ácido clavulânico 3/0,1 g, 4x/dia, em pacientes com pneumonia comunitária. As avaliações finais do estudo (geralmente 10 a 14 dias após a descontinuação do tratamento) mostraram respostas clínicas favoráveis em 84% e 64% dos que receberam piperacilina/tazobactam e ticarcilina/ácido clavulânico, respectivamente (p menor que 0,01). A associação piperacilina/tazobactam também atingiu uma taxa de erradicação bacteriana significativamente mais elevada do que ticarcilina/ácido clavulânico ao final do tratamento (91% vs. 68%; p menor que 0,01) e 10 a 14 dias depois (91% vs. 83%; p = 0,02). Em pacientes com pneumonia nosocomial associada a ventilação mecânica na unidade de terapia intensiva, a piperacilina/tazobactam 4/0,5 g, 4x/dia, + amicacina 7,5 mg/kg, 2x/dia, foi no mínimo tão eficaz quanto ceftazidima 1 g, 4x/dia, mais amicacina 7,5 mg, 2x/dia, com resultados clínicos e bacteriológicos bem-sucedidos documentados em 51% e 36% dos pacientes tratados com piperacilina/tazobactam e dos tratados com ceftazidima, 6 a 8 dias após o final do tratamento. A eficácia da piperacilina/tazobactam foi semelhante à de imipenem/cilastatina em pacientes com pneumonia nosocomial. Em pacientes com bronquite purulenta aguda adquirida no hospital ou pneumonia bacteriana aguda, piperacilina/tazobactam 3/0,375 g a cada 4 horas (+ tobramicina ou amicacina) foi significativamente mais eficaz que ceftazidima 2 g a cada 8 horas (+ tobramicina ou amicacina); a resposta clínica na avaliação final do estudo foi alcançada por 75% e 50% dos pacientes (p menor que 0,01). As taxas de erradicação bacteriana variaram de 76% a 100% em pacientes com infecções intra-abdominais tratados com piperacilina/tazobactam. A eficácia clínica da piperacilina/tazobactam foi semelhante à da clindamicina + gentamicina e em 1 estudo foi significativamente melhor que a de imipenem/cilastatina 0,5 g, a cada 8 horas (uma dose mais baixa que a recomendada em países fora da Escandinávia). A associação piperacilina/tazobactam (80/10 mg/kg, cada 8 horas) também foi benéfica no tratamento de crianças com apendicite ou peritonite, com cura ou melhora de 91% dos pacientes. Foram relatadas taxas de sucesso clínico de 41% a 83% em pacientes com neutropenia febril ou granulocitopenia, que receberam tratamento empírico com piperacilina/tazobactam 12-16/1,5-2 g/dia (em doses divididas) em associação a um aminoglicosídeo. Após 72 horas do início do tratamento, as taxas de resposta clínica foram significativamente mais elevadas em pacientes tratados com piperacilina/tazobactam + amicacina do que nos tratados com ceftazidima + amicacina (61% vs. 45% ou 54%; p menor ou igual a 0,05). Em pacientes semelhantes, a piperacilina/tazobactam em associação à gentamicina foi significativamente mais eficaz que a piperacilina/gentamicina; as taxas de resposta clínica de 83% e 48% (p menor que 0,001) foram relatadas em 72 horas. A eficácia da piperacilina/tazobactam em monoterapia foi semelhante à da ceftazidima + amicacina em pacientes com neutropenia febril com 81% e 83% de episódios febris que desapareceram em pacientes tratados com piperacilina/tazobactam e ceftazidima mais amicacina; o tempo mediano para redução da febre também foi semelhante nos 2 grupos de tratamento (3,3 vs. 2,9 dias).A associação piperacilina/tazobactam também demonstrou boa eficácia clínica e bacteriológica em pacientes com bacteremia e em pacientes com infecções de pele e tecidos moles, ginecológicas ou ósseas e articulares. A associação piperacilina/tazobactam também é um tratamento eficaz para pacientes com infecções do trato urinário com complicações e atingiu a cura ou melhora em 88% e 90,4% dos pacientes, 5 a 9 dias após o final do tratamento e em 80% ou mais dos pacientes, após 4 a 6 semanas de seguimento. As taxas de erradicação bacteriana após o mesmo período de seguimento foram de 79,6% e 73%; E. coli, K. pneumoniae e P. aeruginosa foram identificados como patógenos persistentes comuns.

Modo de usar

Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) deve ser administrado exclusivamente por via intravenosa. Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) deve ser administrado em infusão intravenosa lenta (p. ex., de 20-30 minutos) ou injeção intravenosa lenta (no mínimo, 3-5 minutos). A duração do tratamento deve ser definida com base na gravidade da infecção e nos progressos clínico e bacteriológico do paciente.

Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

Uso Geriátrico - Pacientes acima de 65 anos não correm maior risco de desenvolver efeitos adversos apenas devido à idade. No entanto, a dose deve ser ajustada em caso de insuficiência renal.

Armazenagem

conserve em temperatura ambiente por 24 horas, ou sob refrigeração (temperatura entre 2 e 8ºC) por 48 horas.

Tazocin - Informações

1. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA? Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) é uma associação antibacteriana injetável que consiste de um antibiótico, a piperacilina sódica, utilizada contra as principais bactérias sensíveis a este antibiótico causadoras de infecção, e um ácido, tazobactam sódico, que age inibindo a resistência que algumas bactérias adquirem ao antibiótico piperacilina.2. POR QUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO? Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) está sendo indicado para garantir ampla cobertura e mantê-lo eficaz em debelar as infecções causadas pelas bactérias sensíveis ao Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico). Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) é indicado para o tratamento das seguintes infecções bacterianas: Pessoas adultas 1. Infecções do trato respiratório inferior (pneumonias). 2. Infecções do trato urinário (complicada ou não complicada). 3. Infecções intra-abdominais. 4. Infecções da pele e suas estruturas. 5. Septicemia bacteriana. 6. Infecções ginecológicas, incluindo endometrite pós-parto e doença inflamatória pélvica (DIP). 7. Infecções neutropênicas febris, em associação a um aminoglicosídeo. 8. Infecções dos ossos e articulações. 9. Infecções polimicrobianas (mais de um microrganismo causador). Crianças 1. Infecções neutropênicas febris em pacientes pediátricos, em associação a um aminoglicosídeo. 2. Infecções intra-abdominais em crianças com 2 anos ou mais. Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) está indicado para as infecções listadas acima, mas bactérias sensíveis a algum de seus princípios ativos (piperacilina sódica e tazobactam sódico) também podem ser combatidas por Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico), por isso, infecções mistas causadas por estes tipos de bactérias podem ser tratadas com Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) sem o uso de um outro medicamento antibiótico adicional. Converse com o seu médico e se oriente para que tipo de infecção você está recebendo esse medicamento. 3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO? Contra-Indicações Este medicamento não deve ser usado em pacientes alérgicos ao antibiótico ou a um dos componentes do produto. Informe seu médico caso tenha tido alguma reação alérgica ou pouco comum a algum medicamento antibiótico. Não utilizar o antibiótico, sem antes conversar com o seu médico, se for diabético, se estiver em dieta com restrição de sal e se estiver tomando outros medicamentos. Não use esse antibiótico sem o conhecimento de seu médico.Advertências Antes do início do tratamento com Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico), seu médico deve questioná-lo se você já teve alguma vez qualquer tipo de reação alérgica a algum medicamento, pois reações alérgicas podem acontecer e essas reações são mais comuns em pessoas com história de alergia a vários tipos de alérgenos (medicamentos anti-alérgicos). A tampa do frasco-ampola contém borracha natural seca que pode causar reações alérgicas quando manuseado por pessoas com sensibilidade conhecida ou suspeita ao látex ou quando o produto é administrado a pessoas com essa sensibilidade. Precauções Ocorreram hemorragias em alguns pacientes tratados com antibióticos betalactâmicos. Essas reações são, às vezes, associadas a anormalidades nos testes de coagulação. Se essas reações ocorrerem, o médico deve ser informado. Leucopenia e neutropenia podem ocorrer, principalmente durante tratamento prolongado. Converse com seu médico sobre essas situações. Embora Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) possua características de baixa toxicidade do grupo das penicilinas, recomenda-se fazer exames periódicos para a avaliação das funções orgânicas dos rins, fígado e medula óssea quando o medicamento for usado por tempo prolongado. Como com qualquer antibiótico, deve-se considerar a possibilidade de aparecimento de microrganismos resistentes, que podem causar superinfecções, principalmente durante tratamento prolongado. Poderá ser necessário efetuar acompanhamento microbiológico a fim de detectar qualquer superinfecção importante. Caso isto ocorra, seu médico estará tomando as medidas necessárias para controlar esta superinfecção. Como com outras penicilinas, se doses maiores que as recomendadas forem administradas por via intravenosa (principalmente em pacientes com insuficiência renal), podem ocorrer excitabilidade neuromuscular (espécies de tremores) ou convulsões. Como com outras penicilinas semi-sintéticas, o tratamento com piperacilina tem sido associado com um aumento na incidência de febre e vermelhidão em pacientes com fibrose cística. Este produto pode aumentar a ingestão total de sal do paciente, portanto, isto deve ser considerado caso o paciente necessite de restrição de sal em sua dieta (como em pacientes hipertensos, por exemplo). Também pode ocorrer diminuição de potássio em pacientes com baixas reservas de potássio ou que recebem medicamentos concomitantes que podem diminuir os níveis de potássio; recomenda-se a determinação periódica de eletrólitos nesses pacientes. O uso de antibióticos em altas doses por curto período de tempo para tratar gonorréia pode mascarar ou atrasar os sintomas iniciais da sífilis. Portanto, antes do tratamento,os pacientes com gonorréia também devem ser avaliados para sífilis. Converse com seu médico em caso de qualquer lesão suspeita de alguma dessas doenças. Antes de iniciar o tratamento com Tazocin® (piperacilina sódica, tazobactam sódico) você deve informar ao seu médico se estiver nas seguintes condições: insuficiência renal, gravidez e lactação.

Dizeres legais

Registro MS – 1.2110.0095 Farm. Resp.: Edina S. M. Nakamura - CRF- SP nº 9258 Fabricado e embalado por: Wyeth Piperacillin, Division of Wyeth Holdings Corporation - Carolina, Porto Rico, EUA Importado e distribuído por: Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda. Rodovia Castelo Branco, km 32,5 - Itapevi - SP - Brasil CNPJ nº 61.072.393/0039-06 Logotipo do Serviço de Atendimento ao Consumidor – 08000 160625 VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA Data de fabricação, lote e validade: vide cartucho.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal