Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Toragesic Solução

Toragesic Solução - Bula do remédio

Toragesic Solução com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Toragesic Solução têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Toragesic Solução devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Sigma

Referência

Solução

Apresentação de Toragesic Solução

Solução injetável 30mg/mL: caixa contendo 3 ampolas de 1 mL.
Solução injetável 60mg/2 mL: caixa contendo 3 ampolas de 2 mL.
Uso Adulto e Pediátrico
Uso Intramuscular / Intravenoso

Toragesic Solução - Indicações

Toragesic® está indicado para o controle, a curto prazo, da dor aguda, de moderada a severa intensidade. No caso de dor muito intensa, Toragesic® pode ser utilizado como complemento a um analgésico opiáceo.

Contra-indicações de Toragesic Solução

- História ou problema de ulceração péptica ou sangramento gastrintestinal;
- Suspeita ou confirmação de sangramento cérebro-vascular;
- Diátese hemorrágica, incluindo distúrbios de coagulação;
- Pacientes sob uso de anticoagulantes, incluindo baixa dose de heparina (2500-5000 unidades a cada 12 horas);
- Toragesic® é contra-indicado como profilático na analgesia antes e durante a realização de cirurgias, devido à inibição da agregação plaquetária e conseqüente aumento do risco de sangramento;
- Pacientes em pós-operatório com um alto risco de hemorragia ou homeostase incompleta;
- Hipersensibilidade ao trometamol cetorolaco, a qualquer um dos ingredientes da fórmula ou a outros AINEs, em pacientes onde o ácido acetilsalicílico ou os inibidores da síntese de prostaglandinas induzam reações alérgicas (reações anafiláticas severas têm sido observadas em tais pacientes);
- Portadores de polipose nasal e asma brônquica concomitantes, pelo risco de apresentarem reação alérgica intensa;
- Tratamento concomitante com outros AINEs, pentoxifilina, probenecida ou sais de lítio;
- Hipovolemia ou desidratação; - Insuficiência renal grave ou moderada (creatinina sérica 160 micromol/l);
- História de asma;
- Toragesic® é contra-indicado em administração neuroaxial (epidural ou intratecal), devido à presença de álcool;
- Durante a gravidez, parto ou lactação;
- Crianças menores de 2 anos de idade

Advertências

Os médicos devem estar cientes de que o alívio da dor para alguns pacientes pode não ocorrer em até 30 minutos após a administração IM ou IV. Uso em idosos: Pacientes com idade acima de 65 anos, comparados aos pacientes jovens, podem apresentar um grande risco de apresentar eventos adversos. Os riscos relacionados à idade são comuns para todos os AINEs. Comparado a adultos jovens, o idoso apresenta uma meia-vida do trometamol cetorolaco aumentada no plasma e uma redução do clearance. A dose diária total de Toragesic® IM/IV não deve exceder 60 mg. Efeitos gastrintestinais: Toragesic® pode causar irritação gastrintestinal, úlceras ou sangramentos em pacientes com ou sem história de sintomas prévios, como todo AINE. Pacientes idosos e debilitados são mais propensos a desenvolver estas reações. A incidência aumenta com a dose e a duração do tratamento. Em um estudo de vigilância não-randomizado em hospital, pós-marketing, foi relatado o aumento do risco de sangramento gastrintestinal clinicamente sério, em pacientes com menos de 65 anos de idade e que receberam uma dose média maior que 90 mg de trometamol cetorolaco Intramuscular, comparado com aqueles pacientes que receberam opiáceos via parenteral. Efeitos respiratórios: broncoespasmo pode ser precipitado em pacientes com história de asma. Efeitos renais: drogas que inibam a biossíntese de prostaglandinas (incluindo AINEs) apresentaram relatos de nefrotoxicidade incluindo nefrite glomerular, nefrite intersticial, necrose papilar renal, síndrome nefrótica e parada renal aguda. Deve-se ter cuidado em pacientes com falência renal ou hepática, uma vez que a utilização dos AINEs pode resultar em uma deterioração da função renal. Após uma dose de trometamol cetorolaco foram relatadas elevações da uréia sérica, creatinina e potássio, como com outras drogas que inibem a síntese das prostaglandinas. Pacientes com insuficiência renal: como o trometamol cetorolaco e seus metabólitos são excretados primariamente pelos rins, pacientes com insuficiência renal moderada a grave (creatinina sérica maior que 160 micromol/l) não devem receber Toragesic®. Pacientes com menor dano renal devem receber uma dose reduzida de trometamol cetorolaco (não exceder 60 mg/dia Intramuscular ou Intravenosa) e seu status renal deve ser monitorado de perto. Em pacientes sob condições que levam a uma redução do volume sanguíneo e/ou do fluxo de sangue renal, cuidados devem ser observados quanto às prostaglandinas renais, que apresentam um papel de suporte na manutenção da perfusão renal. Nestes pacientes, a administração dos AINEs pode causar uma redução, que é dose-dependente, na formação das prostaglandinas renais e pode precipitar lesão renal. Pacientes com grande risco desta reação são aqueles que apresentam diminuição da volemia devido à perda de sangue ou desidratação severa, pacientes com insuficiência renal, insuficiência cardíaca, idosos e aqueles tem uso de diuréticos. A descontinuação da terapia com AINEs é tipicamente seguida pelo restabelecimento do estado clínico pré-tratamento. A inadequada troca de sangue/fluido durante a cirurgia, conduzindo à hipovolemia, pode levar a uma insuficiência renal exacerbada quando Toragesic® é administrado. Portanto, a perda de volume deve ser corrigida e a uréia e a creatinina séricas devem ser monitoradas rigorosamente. Em pacientes em diálise renal, o clearance do trometamol cetorolaco foi reduzido a aproximadamente metade da taxa normal, e o aumento da meia-vida terminal foi de aproximadamente 3 vezes. Retenção de fluido e edema: retenção de fluido e edema foram relatados com o uso de Toragesic®, e portanto, deve ser utilizado com cuidado em pacientes com descompensação cardíaca, hipertensão ou condições similares. Uso em pacientes com insuficiência hepática: pacientes com função hepática prejudicada por cirrose não devem apresentar mudanças clínicas importantes no clearance do trometamol cetorolaco ou na meia-vida terminal. Elevações limítrofes de um ou mais testes da função hepática podem ocorrer. Estas anormalidades podem ser passageiras, manterem-se inalteradas ou podem evoluir com a terapia continuada. Nos estudos clínicos controlados, ocorreram elevações significativas (mais que três vezes a normal) da transaminase piruvato glutamato sérica ou da transaminase oxaloacetato glutamato sérica em menos de 1 % dos pacientes. Toragesic® deve ser descontinuado se ocorrerem sinais e sintomas clínicos ou manifestações sistêmicas consistentes com o desenvolvimento de doença hepática. Efeitos hematológicos: pacientes com distúrbios da coagulação sanguínea não devem receber Toragesic®. Pacientes sob terapia com anticoagulantes podem apresentar um aumento do risco de sangramento se Toragesic® for administrado simultaneamente. O uso concomitante de trometamol cetorolaco e uma dose baixa profilática de heparina (2500 – 5000 unidades a cada 12 horas) não foi estudado extensivamente e pode também estar associado com o aumento do risco de sangramento. Pacientes sob uso de anticoagulantes, ou que recebem baixa dose de heparina, não devem receber trometamol cetorolaco. Pacientes que estão recebendo outra terapia com drogas que interferem com a homeostase devem ser cuidadosamente observados se Toragesic® for administrado. Em estudos clínicos controlados, a incidência clínica significativa de sangramento pós-operatório foi menor que 1%. Trometamol cetorolaco inibe a agregação plaquetária e prolonga o tempo de sangramento. Em pacientes com função normal de sangramento, os tempos foram aumentados, mas não estavam fora da taxa normal de 2 a 11 minutos. Ao contrário dos efeitos prolongados do ácido acetilsalicílico, após a descontinuação do trometamol cetorolaco, o retorno da função plaquetária ao normal ocorre dentro de 24 a 48 horas. Em uma experiência pós-comercialização, a hemorragia local no pós-operatório foi relatada em associação com o uso Intramuscular ou Intravenosa imediato do Toragesic® durante a cirurgia. Portanto, o trometamol cetorolaco não deve ser usado como profilaxia analgésica antes ou durante o ato cirúrgico e no pós operatório em pacientes que apresentem alto risco de hemorragia ou homeostase incompleta. Deve-se ter cuidados quando a homeostase for crítica. Hematoma, epistaxe e outros sinais de hemorragia relatados com o uso de Toragesic®. Os médicos devem estar cientes da similaridade farmacológica do trometamol cetorolaco com outras drogas antiinflamatórias não-esteroidais que inibem a cicloxigenase e aumentam o risco de sangramento, particularmente nos idosos. O risco de sangramento gastrintestinal sério é dose-dependente. Isto é particularmente verdadeiro em pacientes idosos que receberam uma dose média diária máxima de 60mg/dia de Toragesic®. Toragesic® não é um agente anestésico e não possui efeito sedativo ou propriedades ansiolíticas; portanto, não é recomendado como medicação préoperatória como apoio de anestesia quando estes efeitos forem necessários. Gravidez e lactação: Não houve evidência de teratogenicidade em ratos ou coelhos estudados, com doses tóxicas maternas de trometamol cetorolaco. Foram verificados, em ratos, um prolongamento do período de gestação e/ou um atraso nos partos. Tem-se demonstrado que o trometamol e seus metabólitos passam para o feto e para o leite de animais. Trometamol cetorolaco tem sido detectado no leite humano em baixos níveis. A segurança na gravidez humana não foi estabelecida. Anormalidades congênitas foram relatadas quando associadas com a administração de AINEs no homem, porém, são baixos em freqüência e não seguem qualquer padrão discernível. Trometamol cetorolaco é, portanto, contra-indicado durante a gravidez, trabalho de parto ou em mães que estejam amamentando. Efeitos na habilidade de dirigir e operar máquinas: Alguns pacientes podem apresentar vertigem, sonolência, distúrbios visuais, dores de cabeça, insônia ou depressão com o uso de Toragesic®. Se pacientes apresentarem estes sintomas ou efeitos indesejáveis similares, não devem dirigir veículos ou operar máquinas. Incompatibilidades Toragesic® não deve ser misturado em um pequeno volume (por exemplo, seringa) com sulfato de morfina, hidrocloreto de petidina, hidrocloreto de prometazina ou hidrocloreto de hidroxizina, pois poderá ocorrer precipitação do trometamol cetorolaco.

Interações medicamentosas de Toragesic Solução

- O uso concomitante com outros AINE’s pode aumentar o risco de efeitos adversos;
- Adrenocorticóides, glicocorticóides: pode aumentar o risco de efeitos adversos gastrintestinais;
- Cumarínicos, indandiônicos, heparina e medicamentos trombolíticos (alteplase, anistrelase, estreptoquinase, uroquinase): podem ser perigosos devido à inibição plaquetária exercida pelos AINEs e também devido ao aumento do risco de ulcerações e hemorragias gastrintestinais;
- Medicamentos inibidores plaquetários: aumentam o risco de hemorragia devido ao efeito aditivo na inibição da agregação plaquetária;
- Cefamandol, cefoperazona, cefotetan, moxalactam ou plicamicina: aumentam o risco de úlceras gastrintestinais devido aos efeitos antiplaquetários e hipoprotrombinêmicos destes;
- Antidiabéticos orais ou insulina: aumentam o efeito hipoglicemiante, pois as prostaglandinas estão diretamente envolvidas no mecanismo regulador do metabolismo da glicose, e também, possivelmente, os antiinflamatórios nãoesteróides deslocam os antidiabéticos orais do complexo protéico plasmático; - Anti-hipertensivos: há uma redução ou reversão do efeito anti-hipertensivo devido, possivelmente, à inibição de prostaglandinas renais e/ou causar a retenção de sódio e de líquidos;
- Glicosídeos cardíacos: AINEs podem exacerbar a insuficiência cardíaca, reduzir a taxa de filtração glomerular e aumentar os níveis de glicosídios cardíacos no plasma;
- Diuréticos: pode haver diminuição da eficácia diurética e anti-hipertensiva e aumento do risco de insuficiência renal secundária, provavelmente devido à inibição da síntese de prostaglandinas renais;
- Colchicina: aumenta os riscos de hemorragias e ulcerações gastrintestinais;
- Compostos de ouro: comumente usados em associação para o tratamento de artrite podem aumentar o risco de efeitos adversos renais;
- Ciclosporina: aumenta a concentração sérica desta por inibição das prostaglandinas renais e aumenta o risco de nefrotoxicidade;
- Medicamentos potencialmente depressores medulares ou radioterapia: podem aumentar o risco de efeitos adversos hematológicos;
- Metotrexato: aumenta a gravidade dos efeitos adversos renais;
- Mifepristona: trometamol cetorolaco não deve ser administrado por 8 a 12 dias após sua administração, uma vez que pode reduzir os seus efeitos;
- Lítio: possivelmente aumenta a concentração sérica de equilíbrio do antimaníaco;
- Probenecida: aumenta os níveis plasmáticos e a meia-vida de trometamol;
- Quinolonas: aumento do risco de apresentar convulsões;
- Sulfimpirazona: aumenta o risco de ulcerações e hemorragia gastrintestinais.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Toragesic Solução

Os seguintes efeitos colaterais têm sido relatados com o uso de trometamol cetorolaco.
- Gastrintestinais: náusea, dispepsia, dor gastrintestinal, sangramento gastrintestinal, desconforto abdominal, hematêmese, gastrite, esofagite, diarréia, eructação, constipação, flatulência, saciedade, melena, úlcera péptica, ulceração gastrintestinal não-péptica, sangramento retal, estomatite ulcerativa, vômito, hemorragia, perfuração, pancreatite.
- Sistema nervoso central / musculoesquelético: ansiedade, sonolência, dor de cabeça, suor, boca seca, nervosismo, parestesia, distúrbios funcionais, pensamento anormal, depressão, euforia, convulsões, sede excessiva, dificuldade de concentração, insônia, mal-estar, fadiga, estimulação, vertigem, paladar e visão anormal, neurite óptica, mialgia, sonhos anormais, alucinações, hipercinesia, perda da audição, tinito, meningite asséptica, reações psicóticas.
- Renal: nefrotoxicidade incluindo aumento da freqüência urinária, oligúria, falência renal aguda, hiponatremia, hipercalemia, síndrome hemolíticourêmica, dor nos flancos (com ou sem hematúria), creatinina e uréia sérica aumentada, nefrite intersticial, retenção urinária, síndrome nefrótica.
- Cardiovascular / hematológica: rubor facial, bradicardia, palidez, púrpura, trombocitopenia, neutropenia, agranulocitose, anemia aplástica, hipertensão, palpitações, dor torácica.
- Respiratórias: dispnéia, edema pulmonar.
- Dermatológica: prurido, urticária, fotossensibilidade, síndrome de Lyell’s, síndrome de Stevens-Johnson, dermatites esfoliativas, erupção cutânea maculopapular.
- Reações de hipersensibilidade: anafilaxia, broncoespasmo, edema da laringe, hipotensão, rubor facial e erupções cutâneas. Tais reações podem ocorrer em pacientes com ou sem sensibilidade conhecida ao trometamol cetorolaco ou outras drogas antiinflamatórias não-esteroidais. Isto também pode ocorrer em indivíduos com uma história de angioedema, reatividade broncoespástica (por exemplo, asma e pólipo nasal). Reações anafiláticas podem ter um resultado fatal.
- Sangramento: ferida hemorrágica pós-operatória, hematoma, epistaxe, aumento do tempo de sangramento.
- Outros: astenia, edema, ganho de peso, anormalidades dos testes de função hepática, hepatite, falência do fígado, icterícia, febre. Foi relatado em alguns pacientes, dor no local da injeção.

Toragesic Solução - Posologia

Toragesic® deve ser administrado por injeção intramuscular ou bolus intravenoso. A dose em bolus intravenoso deve ser administrada por período mínimo de 15 segundos. A administração IM deve ser feita de forma lenta e profunda no músculo. Toragesic® não deve ser usado em administração epidural ou espinhal. O tempo de início de ação do efeito analgésico é similar para a administração Intramuscular e Intravenosa e é aproximadamente de 30 minutos, com o máximo de analgesia ocorrendo em 1 a 2 horas após sua administração. A duração média da analgesia é geralmente de 4 a 6 horas.
Dose Única (Intramuscular ou Intravenosa) Pacientes < de 65 anos de idade: Uma dose única de 30 a 60 mg IM de acordo com a intensidade da dor ou uma dose de 30 mg Intravenosa. Pacientes > 65 anos de idade, com menos de 50 Kg ou pacientes com insuficiência renal: Uma dose de 15 a 30 mg IM ou 15 mg Intravenosa. Crianças com 2 anos de idade: Uma dose IM de 0,5 a 1,0 mg/kg ou 0,5 mg/kg IV. A infusão endovenosa pode ser de 0,17 mg/kg/h. A dose máxima não deve exceder 30 mg IM e 15 mg Intravenosa.
Toragesic® injetável não é recomendado para crianças com menos de 2 anos de idade, pela experiência limitada com seu uso nesta faixa etária. É mais recomendável utilizar a via intravenosa em crianças, devido à dor.
Doses Múltiplas (Intramuscular ou Intravenosa) Pacientes < 65 anos de idade: A dose recomendada é de 30 mg Intramuscular a cada 6 a 8 horas, até um máximo de 90 mg/dia ou 30 mg como dose inicial Intravenosa em bolus, seguido de 30 mg a cada 6 – 8 horas conforme a necessidade até um máximo de 90 mg/dia; ou ainda 30 mg de dose inicial IV seguida de infusão contínua de até 3,75 mg/h em 250 ml de Soro Fisiológico a 0,9% em até 24 horas. A dose máxima diária parenteral não deve exceder 90 mg. Pacientes 65 anos de idade com menos de 50 Kg ou pacientes com insuficiência renal,: A dose recomendada é de 15 ou 30 mg IM ou 15 mg IV a cada 6 – 8 horas. A infusão contínua não é recomendada nesta população pela experiência limitada. A dose máxima diária parenteral não deve exceder 60 mg. Crianças 2 anos de idade: Doses múltiplas não são recomendadas em crianças.
Instruções Especiais de Dosagem: Idosos (65 anos de idade): Em pacientes acima de 65 anos o clearance do trometamol cetorolaco pode ser mais lento e esta população é mais sensível a efeitos adversos dos AINEs, portanto, deve-se ter cuidado extra e reduzir a dosagem nestes casos. Recomenda-se o valor mais baixo, dentro da variação de dosagem. Insuficiência Renal: Uma vez que Toragesic® e seus metabólitos são excretados basicamente pelos rins, em pacientes com clearance de creatinina reduzido, ocorrerá uma diminuição do clearance da droga. Toragesic® é contraindicado em casos de insuficiência renal moderada ou grave (creatinina sérica > 442 mcmol/L) e deve ser usado com cautela nos casos de insuficiência renal leve (creatinina sérica 170-442 mcmol/L); estes pacientes devem receber uma dose reduzida pela metade (não excedendo 45 mg/dia) e sua função renal deve ser cuidadosamente monitorada. Toragesic® não é significativamente dialisável. A dosagem deve ser ajustada de acordo com a gravidade da dor e a resposta do paciente. A administração de doses diárias múltiplas e contínuas do trometamol cetorolaco intramuscular ou intravenoso não deve exceder dois dias, devido ao aumento do risco de apresentar efeitos adversos. A via de administração parenteral deve ser substituída para oral assim que possível. O uso combinado do trometamol cetorolaco via parenteral e oral não deve exceder 5 dias. Os analgésicos opiáceos (por exemplo, a morfina, petidina) podem ser usados concomitantemente e podem ser necessários para efeitos analgésicos melhorados quando a dor é muito intensa. O trometamol cetorolaco não interfere com as ligações dos opiáceos e não exacerba a depressão respiratória ou a sedação relacionada aos opiáceos. Quando usados em associação com Toragesic® Intramuscular ou Intravenosa a dose diária de opiáceos é usualmente menor que a normalmente necessária.

Superdosagem

Doses de 360 mg administradas por via intramuscular, por um período superior a 8 horas em intervalo de 5 dias consecutivos, têm causado dores abdominais e úlceras pépticas, as quais têm sido sanadas após descontinuação da dosagem.
Um paciente apresentou náusea após 210 mg de cetorolaco e outro hiperventilação após 300 mg de cetorolaco.

Características farmacológicas

Propriedades farmacodinâmicas:
Toragesic® é um potente agente analgésico da classe dos antiinflamatórios não-esteroidais (AINE’s). Não é um opiáceo e não apresenta efeitos sobre os receptores opiáceos. Seu mecanismo de ação é através da inibição do sistema enzimático cicloxigenase e, conseqüentemente, da síntese de prostaglandinas. Pode ser considerado um analgésico de atividade periférica. Sua atividade biológica está associada com sua forma S. Toragesic® não apresenta propriedades sedativas ou ansiolíticas.
Propriedades farmacocinética
Após a administração intramuscular, o trometamol cetorolaco é rápida e completamente absorvido, com um pico médio de concentração plasmática de 2,2 mcg/ml ocorrendo em uma média de 50 minutos após dose única de 30 mg. As influências da idade, da função do fígado e dos rins sobre a meia-vida terminal plasmática, e a média total do clearance, são apresentadas na tabela abaixo (estimada para uma dose única de Toragesic® 30 mg IM). A administração intravenosa de uma dose única de 10 mg de Toragesic® resultou em um pico de concentração plasmática de 2,4 mcg/ml ocorrido em uma média de 5.4 minutos após a administração, com uma meia-vida terminal de eliminação no plasma de 5.1 horas, com uma média de volume de distribuição de 0.15 l/kg, e um total de clearance no plasma de 0,35 ml/min/kg. A farmacocinética do Toragesic® no homem é linear após doses únicas ou múltiplas. Os níveis steady-state do plasma são alcançados após doses a cada 6 horas por 1 dia. Nenhuma mudança ocorreu no clearance com a dosagem em uso prolongado. A rota primária de excreção do trometamol e seus metabólitos é renal: 91.4% (média) de uma dose aplicada é recuperada na urina e 6.1% (média) nas fezes. Mais de 99% do trometamol cetorolaco presente no plasma está ligado a proteínas sob uma ampla variação de concentração.

Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

Em pacientes com idade acima de 65 anos ou com menos de 50 Kg, não ultrapassar a dosagem máxima de 60mg/dia.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
MS nº 1.0583.0246
Farm. Resp. Maria Geisa Pimentel de Lima e Silva.
CRF – SP: nº 8.082
Fabricado e comercializado pela
EMS S/A
Rod. SP 101 – Km 08 – Hortolândia – SP
CEP: 13186-901
C.N.P.J.: 57.507.378/0001-01
Atendimento ao consumidor: 0800-191222
Caixa Postal 3 – Hortolândia – SP – CEP: 13186-901
sac.sigma@sigmapharma.com.br
GERMED FARMACÊUTICA LTDA.
Rod. SP 101 – Km 08 – Hortolândia – SP
CEP: 13186-901 -CNPJ: 45.992.062/0001-65
Indústria Brasileira

Toragesic Solução - Bula para o Paciente

Ação esperada do medicamento:
Toragesic® é um medicamento antiinflamatório não hormonal, de potente ação analgésica, usado para tratamento a curto prazo da dor aguda moderada a severa. Cuidados de armazenamento: Manter à temperatura ambiente (15oC a 30oC). Proteger da luz e manter em lugar seco.
Prazo de validade: O número do lote, as datas de fabricação e validade estão impressas na embalagem do produto. Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Gravidez e lactação: Informe seu médico se houver intenção de engravidar, a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se estiver amamentando. Trometamol cetorolaco é contra-indicado durante a gravidez, trabalho de parto ou a mães que estejam amamentando. Cuidados de administração: Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Interrupção do tratamento: Não interromper nem prolongar o tratamento sem conhecimento do seu médico.
Reações adversas: Informe seu médico sobre o aparecimento de reações desagradáveis como: - Vermelhidão na pele com ou sem coceira; - Rápido inchaço na face ou ao redor dos olhos; - Tensão no tórax ou problemas de respiração; - Dor de garganta ou febre; - Sangramento não usual ou hematoma; - Pele ou olhos amarelados; - Diminuição da quantidade de urina; - Dor de estômago ou vômito com sangramento; - Fezes com sangue vivo ou escurecido; - Náusea; - Diarréia; - Sonolência ou vertigem; - Dor de cabeça; - Inchaço dos pés ou pernas ou ganho de peso.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Uso concomitante com outras substâncias: Não tome este medicamento com produtos que contenham ácido acetilsalicílico ou outros antiinflamatórios. Evite ingerir bebidas alcoólicas enquanto estiver tomando este medicamento.

Contra-indicações e Precauções: Informe seu médico se estiver grávida ou amamentando, tiver problemas cardíacos, pressão alta, problemas no fígado ou nos rins, distúrbios de coagulação sangüínea, úlceras ou problemas no estômago. Não use este medicamento por mais de 5 dias a não ser que seu médico tenha autorizado. O trometamol cetorolaco pode causar sonolência e vertigem. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento. Não deve ser usado durante a gravidez e lactação. Durante o tratamento o paciente não deve dirigir ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

NÃO USE MEDICAMENTO SEM CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE.

Data da bula

22/03/2013

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal