Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Xilodase

Xilodase - Bula do remédio

Xilodase com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Xilodase têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Xilodase devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Apsen

Apresentação de Xilodase

Apresentação: bisn. c/ 15 g e 30 g (acompanhada de aplicadores e dedeiras descartáveis)

Xilodase - Indicações

Nas afecções do trato anorretal, Xilodase está indicada no tratamento das hemorróidas, fissura e prurido anal e no pós-operatório de hemorroidectomia. No tratamento das irritações da pele e das infecções cutâneas causadas por germes sensíveis à ação da neomicina.

Contra-indicações de Xilodase

Pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

Advertências

O uso tópico de antibiótico pode, ocasionalmente, favorecer o crescimento de microorganismos não suscetíveis, como fungos. Excepcionalmente poderá ocorrer casos de sensibilidade.

Uso na gravidez de Xilodase

Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando.

Interações medicamentosas de Xilodase

Xilodase não deve ser aplicada com outros produtos, pois a sua ação pode ser prejudicada. Os curativos, quando usada no pós-operatório, devem ser feitos antes da aplicação da pomada.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Xilodase

Ainda não são conhecidas a intensidade e freqüência das reações adversas.

Xilodase - Posologia

Uso tópico: Deve ser aplicada a intervalos regulares, durante o dia, de preferência. Se a superfície a tratar estiver aberta, ou houver cisão da pele, deve-se usar a pomada em pequenas camadas de cada vez, pois o seu efeito não depende da quantidade empregada e sim da continuidade do tratamento, que deve ser renovado à medida que se tomar necessário em cada caso. Afecções internas (anorretal): aplicação profunda de pomada, após evacuação prévia, 2 ou 3 vezes ao dia, até melhora dos sintomas; continuar o tratamento com uma aplicação, de preferência ao deitar. INSTRUÇÃO DE USO (Aplicação retal) Retire a tampa da bisnaga e atarraxe o aplicador, introduzindo-o a seguir, delicadamente, no ânus. Através de leve pressão sobre a bisnaga, a pomada flui uniformemente. A seguir desatarraxar o aplicador e tampar novamente a bisnaga.

Superdosagem

Não há relatos de superdose com a pomada Xilodase. Nos casos de aplicação exagerada e sobre grandes áreas, podem ocorrer reações de sensibilidade que devem ser tratadas com anti-histamínicos, observando-se os sinais vitais

Xilodase - Informações

Xilodase é uma pomada antiedematosa, antiinfecciosa e anestésica local, em cuja formulação associa a Neomicina, a Lidocaína e a Hialuronidase, em uma base de polietilenoglicóis, que facilitam a absorção percutânea dos princípios ativos. A Hialuronidase é uma enzima extraída dos testículos bovinos, que age por despolimerização do ácido hialurônico, um mucopolissacarídeo, componente essencial da substância fundamental do tecido conjuntivo. A Hialuronidase é um fator de difusão enzimático. A Hialuronidase facilita a difusão de várias substâncias através da pele e acelera os processos de reparação cutânea, devido a ativação das trocas nutritivas locais, provocadas pelo aumento de difusibilidade dos líquidos. A Hialuronidase reduz o edema anal pós-operatório e o prurido anal, por meio da sua ação tópica, diminuindo o edema intersticial. A Lidocaína proporciona uma eficaz analgesia local, sendo praticamente desprovida de ação irritante sobre os tecidos. A Lidocaína estabiliza a membrana neuronal e impede o início e a condução dos impulsos nervosos, instalando assim a ação anestésica local. A duração do efeito anestésico é muito superior a da procaína, e a ação do anestésico é extremamente rápida. A Lidocaína tópica tem a segurança e a eficácia comprovadas, pois é utilizada há mais de 4 décadas. A Neomicina é um antibiótico bactericida que age sobre grande parte de microorganismos gram-positivos e gram-negativos, responsáveis por infecções cutâneo-mucosas. A Neomicina possui um espectro de atividade antibacteriana maior do que o da penicilina, estreptomicina e bacitracina. Na forma de sulfato é muito estável, e não é inativada pelo pus, exsudatos, produtos do metabolismo bacteriano ou por enzimas. A Neomicina é um aminoglicosídeo que, transportado ativamente através da membrana bacteriana, inibe a síntese protéica. A Neomicina não é absorvida através da pele intata, mas pode ser facilmente absorvida através de grandes regiões expostas, queimadas ou com tecido de granulação.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal