Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Noctiden

Noctiden - Bula do remédio

Noctiden com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Noctiden têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Noctiden devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Biolab

Apresentação de Noctiden

Comprimido revestido 10 mg. Caixa com 10 e 20 comprimidos.

Noctiden - Indicações

Noctiden está indicado no tratamento da insônia ocasional, transitória ou crônica.

Contra-indicações de Noctiden

Noctiden está contra-indicado nos seguintes casos: Hipersensibilidade ao zolpidem ou a qualquer um dos componentes da fórmula.

Advertências

A causa primária da insônia deve ser identificada sempre que possível e tratada antes da prescrição de um hipnótico. A falta de efeito do tratamento após 7 a 14 dias de uso pode indicar a presença de um distúrbio psiquiátrico primário ou uma desordem física devendo o paciente ser reavaliado. Pediatria – Este medicamento é contra-indicado para crianças. Geriatria (idosos) – Recomenda-se um acompanhamento mais estrito neste tipo de paciente. A posologia preconizada para pacientes acima de 65 anos deve ser rigorosamente seguida. Insuficiência renal/hepática – Este medicamento é contra-indicado para pacientes com insuficiência hepática severa.

Uso na gravidez de Noctiden

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Na ausência de teratogenicidade em animais não seria esperada a ocorrência de mal formação fetal em humanos, pois de acordo com os conhecimentos atuais, substâncias que causam mal formações fetais na espécie humana sempre demonstram ser teratogênicas em estudos qualificados feitos em pelo menos duas espécies animais. Do ponto de vista clínico, existem dados insuficientes para se avaliar o risco de mal formação fetal ou toxicidade do zolpidem quando utilizado durante a gravidez. Portanto como medida de precaução, deve-se evitar a administração do zolpidem no primeiro trimestre. Caso necessário, podese administrar a menor dose terapêutica de Noctiden durante o último trimestre de gravidez, pois existe a possibilidade de ocorrer a hipotonia, hipertemia ou distúrbio respiratório nos recém-nascidos de mães tratadas com altas doses de benzodiazepínicos ou similares. Lactação – Deve-se evitar o uso de Noctiden durante a lactação.

Interações medicamentosas de Noctiden

a) Associações a serem evitadas Deve ser evitada a ingestão de Noctiden juntamente com bebidas alcoólicas ou de medicamentos contendo álcool. O álcool promove uma intensificação do efeito sedativo das benzodiazepinas ou de substâncias relacionadas, com reflexo sobre a vigilância, aumentando o risco na condução de veículos ou na operação de máquinas. b) Associações a serem monitoradas cuidadosamente - derivados morfínicos (analgésicos, antitussígenos, terapia de substituição) e barbitúricos: aumento do risco de depressão respiratória, o que poderá ser fatal em casos de superdosagem. - outros depressores do sistema nervoso central: derivados morfínicos (analgésicos, antitussígenos, terapia de substituição), barbitúricos, antidepressivos sedativos, anti-histamínicos sedativos, ansiolíticos neurolépticos, clonidina e derivados, talidomida: aumento da depressão do sistema nervoso central e perda da capacidade de vigília podem ser perigosos para quem dirige veículos ou trabalha com máquinas. - clozapina: aumenta o risco de colapso circulatório e parada cardíaca e/ou respiratória.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Noctiden

As seguintes reações adversas estão relacionadas com a dose e a suscetibilidade de cada paciente, usualmente ocorrendo na hora seguinte à administração de Noctiden, caso o paciente não vá para o leito e adormeça imediatamente: episódios de confusão, reações do tipo paradoxal ou psiquiátrica, sensação de vertigem, instabilidade na marcha, tonteira, ataxia, cefaléia, sonolência diurna, perda da capacidade de vigília, fraqueza muscular e diplopia. Essas reações ocorrem com mais freqüência em pacientes idosos e no início da terapia. Foram relatadas alguns casos de: astenia, distúrbios gastrintestinais, alterações de libido e reações cutâneas. Uma depressão pré-existente pode ser revelada durante o uso com zolpidem. Sendo a insônia um possível sintoma de depressão, deve ser feito uma reavaliação do paciente, caso esse sintoma persista.

Noctiden - Posologia

Noctiden deve ser administrado imediatamente antes de deitar. A duração do tratamento deve ser a mais curta possível, não devendo ultrapassar 4 semanas: - insônia ocasional: de 2 a 5 dias. - insônia transitória: de 2 a 3 semanas. Em alguns casos pode ser necessário ultrapassar o período de 4 semanas. Isso só deverá ser feito após uma reavaliação do estado clínico do paciente. Adultos: Abaixo de 65 anos, 1 comprimido de 10 mg ao dia. Crianças: Este medicamento é contra-indicado para crianças. Idosos: Adultos acima de 65 anos ou com insuficiência hepática: ½ comprimido (5 mg) por dia. A dose somente deve ser aumentada para um comprimido (10 mg) em casos excepcionais. Em todos os casos, a dosagem não deve exceder a 10 mg por dia.

Superdosagem

Como para todos os casos de superdosagem, a possibilidade de intoxicação por múltiplas drogas deve ser sempre considerada, pois tal condição pode piorar o prognóstico. Os sinais de superdosagem com zolpidem são primeiramente caracterizados por depressão do sistema nervoso central, variando de sonolência ao coma. Em doses de até 400 mg, o prognóstico sempre tem sido favorável. Na superdosagem com zolpidem, associado a outros depressores do sistema nervoso central ou álcool, tem sido referida sintomatologia severa e potencialmente fatal. Em casos de superdosagem, as seguintes medidas usuais de precaução devem ser implementadas. • Transferência do paciente para um centro especializado. • Monitoramento dos parâmetros cárdio-respiratórios. • Uso de soluções para perfusão, caso necessário. • Em caso de superdosagem detectada dentro da primeira hora, o procedimento de indução ao vômito deve ser realizado, desde que o paciente esteja consciente; caso contrário, deve-se realizar lavagem gástrica e uma adequada proteção das vias aéreas. • Após uma hora, a administração de carvão aditivado pode reduzir a absorção. • O flumazenil pode ser útil para o diagnóstico e/ou tratamento da superdosagem intencional ou acidental por benzodiazepínicos e similares. • O efeito colateral do flumazenil pode promover o surgimento de sintomas neurológicos (convulsões).

Noctiden - Informações

Noctiden é um agente hipnótico pertencente ao grupo das imidazopiridinas. Estudos experimentais demonstraram que zolpidem promove um efeito sedativo em doses muito inferiores aquelas necessárias para obtenção de um efeito anticonvulsivante, relaxante muscular ou ansiolítico. Esses efeitos são devidos a uma atividade agonista seletiva sobre um receptor GABA-ÔMEGA, que modula a abertura do local do cloro. O zolpidem é um agonista preferencial da subclasse de receptores ômega 1 (BZD1). No homem, zolpidem encurta o tempo de indução do sono, reduz o número de despertares noturnos e aumenta a duração total do sono, melhorando sua qualidade. Esses efeitos estão associados a um perfil eletro encefálico específico, diferente daquele observado com benzodiazepinas. Estudos em laboratório de sono mostraram que zolpidem prolonga o estágio II do sono bem como os estágios de sono profundo (III e IV). Na dosagem recomendada, o zolpidem não possui efeito sobre a duração total do sono paradoxal (fase REM). Absorção: Após administração oral, o zolpidem apresenta uma biodisponibilidade de aproximadamente 70%, com as concentrações plasmáticas máximas sendo alcançadas entre 0,5 e 3 horas. Distribuição: Em doses terapêuticas, zolpidem possui farmacocinética linear. A ligação às proteínas plasmáticas é da ordem de 92% e o volume de distribuição em adultos é de 0,54+0,2 I/kg. Eliminação: O zolpidem é metabolizado no fígado e eliminado na forma de metábólitos inativos, na urina (aproximadamente 60%) e nas fezes (aproximadamente 40%), não possuindo efeito inativo indutivo sobre as enzimas hepáticas. A meia-vida plasmática é, em média, de 2,4 horas (0,7 a 3,5 horas). Em pacientes idosos, observa-se uma diminuição na depuração hepática, havendo um aumento de cerca de 50% nas concentrações de pico, sem prolongamento significativo na meia-vida (média: 3 horas). O volume de distribuição apresenta-se reduzido em 0,34+0,05I/Kg. Na presença de insuficiência renal, com ou sem diálise, ocorre uma leve diminuição na depuração renal, mas os outros parâmetros cinéticos não são alterados. O zolpidem não é dialisável. A biodisponibilidade encontra-se aumentada em pacientes com insuficiência hepática. A depuração é considerável reduzida e a meia-vida prolongada (aproximadamente 10 horas).

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal