Feed

Já é assinante?

Entrar

Paracetamol e Cafeína

Paracetamol e Cafeína - Bula do remédio

Paracetamol e Cafeína com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Paracetamol e Cafeína têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Paracetamol e Cafeína devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Referência

Excedrin ( Novartis )

Apresentação de Paracetamol e Cafeína

500 mg de paracetamol e 65 mg de cafeína/comprimido - Embalagens com 1 ou 5 blísteres com 4 comprimidos revestidos - Embalagens com 2 blísteres com 10 comprimidos revestidos

Paracetamol e Cafeína - Indicações

EXCEDRIN é indicado como analgésico. Para o alívio temporário de dores de cabeça, sinusites, resfriados, dores musculares, cólicas menstruais, dores de dente e dores artríticas de baixa intensidade.

Contra-indicações de Paracetamol e Cafeína

EXCEDRIN não deve ser administrado a pacientes com hipersensibilidade conhecida a algum dos componentes da fórmula.

Advertências

Este produto deve ser administrado com cautela em pacientes com função renal ou hepática comprometidas. Embora haja poucos relatos de disfunção hepática nas doses habituais de paracetamol, é aconselhável monitorar a função hepática nos casos de uso prolongado de EXCEDRIN. EXCEDRIN não deve ser utilizado juntamente com outros medicamentos que contenham paracetamol em sua fórmula, devido ao aumento do risco de toxicidade hepática. No caso de superdose acidental, o médico deve ser procurado, mesmo não havendo qualquer sinal ou sintoma. Como com qualquer medicamento, o médico deve fornecer orientação adequada em caso de gravidez ou lactação antes de a paciente usar este produto. Este produto não deve ser utilizado para dor por mais de 10 dias ou para febre por mais de 3 dias, a não ser a critério médico. Persistência ou piora da dor ou da febre, ou o aparecimento de novos sintomas ou ocorrência de vermelhidão ou edema são sinais que podem indicar uma condição clínica grave. Em caso de dor de dente, o dentista deve ser consultado. Não use outro produto que contenha paracetamol.

Uso na gravidez de Paracetamol e Cafeína

Como com qualquer medicamento, o médico deve fornecer orientação adequada em caso de gravidez ou lactação antes de a paciente usar este produto.

Interações medicamentosas de Paracetamol e Cafeína

Devido à ação de potencialização de anticoagulantes cumarínicos, não deve ser usado concomitantemente a esses medicamentos. Deve ser usado com cautela em pacientes que fazem uso regular de álcool, barbitúricos, antidepressivos tricíclicos e carbamazepina devido ao risco de sobrecarga metabólica ou possível agravamento de comprometimento hepático já existente. Em relação ao paracetamol, pode haver interações de severidade menor com alguns benzodiazepínicos e, de severidade moderada com: cimetidina, ciprofloxacina, clozapina, teofilina e verapamil. A dose recomendada deste produto contém cafeína equivalente a uma xícara de café. Limitar o uso de medicamentos, alimentos e bebidas contendo cafeína durante o uso deste produto, pois o excesso de cafeína pode causar nervosismo, irritabilidade, insônia e, ocasionalmente, taquicardia. A cafeína pode interagir, em moderado grau, com carbamazepina, isoniazida, fenitoína, varfarina e zidovudina.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Paracetamol e Cafeína

Raramente se observaram reações de hipersensibilidade, mas se isto ocorrer, deve-se interromper a administração da droga. Também foram mencionados outros efeitos adversos, como dor abdominal, hipotermia, palpitação. A literatura a respeito do paracetamol relata casos de trombocitopenia, pancitopenia, agranulocitose, anemia hemolítica e metahemoblobinemia. Reações cutâneas têm sido relatadas e incluem, principalmente, eritema e urticária. Em relação à cafeína, podem ocorrer casos de distúrbios gastrointestinais e disfunção renal. há casos raros (2,2%) de coagulação intravascular disseminada. em alguns estudos clínicos envolvendo cafeína foram relatados hipoglicemia e hiperglicemia. doses moderadas podem causar prolongamento do intervalo QRS.

Paracetamol e Cafeína - Posologia

1 dose = 2 comprimidos. Adultos: 2 comprimidos de 6 em 6 horas enquanto persistirem os sintomas ou a critério médico. Não ingerir mais de 8 comprimidos em 24 horas.

Superdosagem

A acetilcisteína é o antídoto para superdosagem de paracetamol. O paracetamol é rapidamente absorvido no trato gastrintestinal superior. Os picos plasmáticos ocorrem entre 30 e 60 minutos após doses terapêuticas, normalmente dentro de 4 horas após superdosagem. A substância original - não tóxica - é metabolizada extensamente no fígado, formando principalmente os conjugados de sulfato e glicuronida, que também não são tóxicos e são excretados rapidamente na urina. Uma pequena fração da dose ingerida é metabolizada no fígado pela função mista oxidase do citocromo P-450 para formar um metabólito intermediário reativo potencialmente tóxico, que se conjuga de preferência com a glutationa hepática e forma derivados não-tóxicos de cisteína e ácido mercaptúrico, excretados pelos rins. Doses terapêuticas de paracetamol não saturam o sistema de conjugação glicuronida/sulfato e não resultam na formação de metabólito reativo suficiente para depletar as reservas de glutationa. Entretanto, após a ingestão de altas doses (150 mg/kg ou mais), as vias de conjugação glicuronida/sulfato ficam saturadas resultando em grande fração de droga sendo metabolizada através da via do citocromo P-450. O aumento da formação de metabólitos reativos pode depletar as reservas hepáticas de glutationa, com subseqüente ligação dos metabólitos a moléculas protéicas dentro dos hepatócitos, resultando em necrose celular. A acetilcisteína demonstrou reduzir a extensão do dano ao fígado após superdosagem por paracetamol. Os sintomas iniciais de superdosagem potencialmente hepatotóxica podem incluir: náuseas, vômitos, diaforese e mal-estar geral. Evidências clínicas e laboratoriais de toxicidade hepática podem não ser aparentes até 48 a 72 horas após ingestão. Em adultos e adolescentes, independentemente da quantidade de paracetamol ingerida, deve-se administrar acetilcisteína imediatamente. A terapia com a acetilcisteína deve ser iniciada e continuada por um ciclo completo de tratamento. Sua eficácia depende de quão precoce for a sua administração, com resultados benéficos principalmente em pacientes tratados até 16 horas após a superdosagem. Se a dosagem plasmática de paracetamol não for acessível e se a dose estimada de paracetamol ingerida exceder a 150 mg/kg, a terapia com a acetilcisteína deve ser iniciada e continuada por um ciclo completo de tratamento. Não esperar pelos resultados das análises dos níveis de paracetamol para iniciar o tratamento com a acetilcisteína. Os seguintes procedimentos adicionais são recomendados: o estômago deve ser esvaziado imediatamente por lavagem ou indução de vômito com xarope de ipeca. O exame sorológico de paracetamol deve ser obtido o mais rápido possível, mas não antes das 4 horas seguintes da ingestão. Devem-se obter relatos sobre a função hepática no início e em intervalos repetidos de 24 horas.

Características farmacológicas

O paracetamol é um analgésico que produz alívio rápido e eficaz da dor; age através da inibição da síntese de prostaglandinas. A cafeína é um estimulante suave do sistema nervoso central que contribui para o alívio de alguns tipos de dores de cabeça. A associação de cafeína e paracetamol promove ação mais acelerada e eficaz do analgésico. EXCEDRIN pode ser usado mesmo em presença de problemas gastrintestinais.

Resultados de eficácia

-

Modo de usar

-

Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

Não há recomendações específicas para pacientes idosos.

Armazenagem

Manter o medicamento em temperatura ambiente (entre 15 e 30C) e protegido da umidade.

Dizeres legais

Reg. MS – 1.0068.1046 Farm. Resp.: Marco A.J. de Siqueira – CRF-SP 23.873 Fabricado por Bristol-Myers Squibb Company – Mount Vernon – Indiana – EUA Embalado por Bristol-Myers Squibb Farmacêutica Ltda. Rua Carlos Gomes, 924 – Santo Amaro – São Paulo – SP CNPJ 56.998.982/0001-07 – Indústria Brasileira Importado e distribuído por Novartis Biociências S.A. Av. Ibirama, 518 – Complexos 441/3 – Taboão da Serra – SP CNPJ 56.994.502/0098-62 – Indústria Brasileira

Data da bula

Sep 5 2008 12:00AM

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal