Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Efeitos Colaterais de Invega

Dados de estudos clínicos A segurança de Invega foi avaliada em 1205 pacientes com esquizofrenia que participaram em 3 estudos clínicos de dose fixa, duplo-cegos, controlados com placebo, de 6 semanas de duração. A informação apresentada a seguir para os pacientes tratados com Invega é baseada nos dados agrupados de pacientes que receberam Invega na dose diária recomendada de 3, 6, 9 ou 12 mg. Os termos para sistemas corporais e evento adverso/reação adversa são baseados no dicionário MedDRA. Dados de estudos clínicos: Eventos adversos em estudos de curta-duração, com dose-fi xa, controlados com placebo. A Tabela 1 mostra todos os eventos adversos emergentes durante o tratamento, independente da causalidade, com incidência =1% dos pacientes tratados com Invega nesses estudos, e para os quais a incidência nos pacientes tratados com Invega foi maior que nos pacientes tratados com placebo. Tabela 1: Eventos adversos emergentes do tratamento, independente da causalidade, relatados por >= 1% dos pacientes com esquizofrenia em qualquer grupo Invega e que ocorreram em incidência maior que no grupo placebo nos 3 estudos clínicos de dose fi xa, duplo-cegos, controlados com placebo, de 6 semanas de duração. Sistema corporal ou classe de órgão Placebo 3 mg 6 mg 9 mg 12 mg (N=355) (N=127) (N=235) (N=246) (N=242) n (%) n (%) n (%) n (%) n (%) Transtornos cardíacos Bloqueio atrioventricular de 1.º grau 5 (1,4) 2 (1,6) 0 6 (2,4) 2 (0,8) Bradicardia 3 (0,8) 0 3 (1,3) 3 (1,2) 4 (1,7) Bloqueio de ramo 6 (1,7) 4 (3,1) 3 (1,3) 7 (2,8) 1 (0,4) Palpitações 0 2 (1,6) 2 (0,9) 0 3 (1,2) Arritmia sinusal 0 3 (2,4) 2 (0,9) 2 (0,8) 1 (0,4) Taquicardia sinusal 15 (4,2) 11 (8,7) 9 (3,8) 10 (4,1) 17 (7,0) Taquicardia 10 (2,8) 3 (2,4) 17 (7,2) 18 (7,3) 18 (7,4) Sistema corporal ou classe de órgão Placebo 3 mg 6 mg 9 mg 12 mg (N=355) (N=127) (N=235) (N=246) (N=242) n (%) n (%) n (%) n (%) n (%) Transtornos oculares Olho seco 0 2 (1,6) 0 1 (0,4) 1 (0,4) Rotação ocular 0 0 0 5 (2,0) 0 Visão borrada 4 (1,1) 1 (0,8) 1 (0,4) 0 5 (2,1) Transtornos gastrintestinais Dor abdominal 3 (0,8) 0 4 (1,7) 2 (0,8) 2 (0,8) Dor abdominal alta 2 (0,6) 1 (0,8) 6 (2,6) 5 (2,0) 4 (1,7) Diarréia 8 (2,3) 1 (0,8) 2 (0,9) 3 (1,2) 6 (2,5) Transtornos gastrintestinais Boca seca 2 (0,6) 3 (2,4) 8 (3,4) 2 (0,8) 7 (2,9) Dispepsia 14 (3,9) 3 (2,4) 6 (2,6) 5 (2,0) 12 (5,0) Náusea 19 (5,4) 8 (6,3) 9 (3,8) 10 (4,1) 10 (4,1) Hipersecreção salivar 1 (0,3) 0 1 (0,4) 3 (1,2) 10 (4,1) Desconforto estomacal 1 (0,3) 2 (1,6) 3 (1,3) 1 (0,4) 2 (0,8) Dor de dente 4 (1,1) 2 (1,6) 5 (2,1) 6 (2,4) 5 (2,1) Vômito 17 (4,8) 2 (1,6) 6 (2,6) 9 (3,7) 12 (5,0) Transtornos gerais Astenia 3 (0,8) 2 (1,6) 1 (0,4) 5 (2,0) 5 (2,1) Fadiga 5 (1,4) 2 (1,6) 2 (0,9) 4 (1,6) 5 (2,1) Pirexia 4 (1,1) 1 (0,8) 1 (0,4) 5 (2,0) 4 (1,7) Infecções e inflamações Bronquite 1 (0,3) 0 3 (1,3) 1 (0,4) 2 (0,8) Nasofaringite 10 (2,8) 4 (3,1) 5 (2,1) 4 (1,6) 6 (2,5) Rinite 1 (0,3) 0 3 (1,3) 0 1 (0,4) Infecções e inflamações Infecção vias aéreas superiores 2 (0,6) 1 (0,8) 2 (0,9) 3 (1,2) 2 (0,8) Infecção viral 1 (0,3) 0 1 (0,4) 2 (0,8) 3 (1,2) Ferimento, envenenamento e complicações de procedimento Queda 1 (0,3) 0 3 (1,3) 0 0 Exames Aumento de alanina aminotransferase 4 (1,1) 1 (0,8) 4 (1,7) 2 (0,8) 2 (0,8) Aumento de creatina fosfoquinase 5 (1,4) 1 (0,8) 4 (1,7) 0 1 (0,4) Aumento da insulina no sangue 2 (0,6) 3 (2,4) 3 (1,3) 2 (0,8) 1 (0,4) Aumento da pressão arterial 2 (0,6) 3 (2,4) 1 (0,4) 1 (0,4) 3 (1,2) Aumento de triglicérides no sangue 1 (0,3) 2 (1,6) 1 (0,4) 0 0 ECG: intervalo QT corrigido prolongado* 9 (2,5) 4 (3,1) 9 (3,8) 7 (2,8) 12 (5,0) ECG: onda T anormal 4 (1,1) 3 (2,4) 2 (0,9) 4 (1,6) 2 (0,8) ECG: inversão da onda T 3 (0,8) 0 1 (0,4) 3 (1,2) 2 (0,8) ECG anormal 0 0 0 4 (1,6) 2 (0,8) Aumento da frequência cardíaca 2 (0,6) 4 (3,1) 2 (0,9) 1 (0,4) 3 (1,2) Aumento do peptídeo-C da insulina 3 (0,8) 2 (1,6) 3 (1,3) 2 (0,8) 0 Redução do peso 3 (0,8) 2 (1,6) 0 0 0 Aumento do peso 5 (1,4) 1 (0,8) 0 4 (1,6) 4 (1,7) Transtornos metabólicos e nutricionais Redução do apetite 0 2 (1,6) 1 (0,4) 1 (0,4) 2 (0,8) Aumento do apetite 1 (0,3) 2 (1,6) 0 3 (1,2) 3 (1,2) Transtornos músculo-esqueléticos e de tecido conjuntivo Artralgia 3 (0,8) 0 4 (1,7) 2 (0,8) 0 Lombalgia 3 (0,8) 1 (0,8) 2 (0,9) 3 (1,2) 5 (2,1) Rigidez muscular 0 1 (0,8) 0 3 (1,2) 1 (0,4) Dor no pescoço 1 (0,3) 0 0 0 3 (1,2) Dor em extremidade 4 (1,1) 0 2 (0,9) 0 5 (2,1) Dor no ombro 0 1 (0,8) 3 (1,3) 2 (0,8) 2 (0,8) Transtornos do sistema nervoso Acatisia 14 (3,9) 5 (3,9) 7 (3,0) 20 (8,1) 23 (9,5) Vertigem 14 (3,9) 7 (5,5) 11 (4,7) 11 (4,5) 12 (5,0) Discinesia 3 (0,8) 0 1 (0,4) 1 (0,4) 4 (1,7) Distonia 2 (0,6) 01 (0,8) 3 (1,3) 9 (3,7) 9 (3,7) Transtorno extrapiramidal 8 (2,3) 6 (4,7) 5 (2,1) 17 (6,9) 18 (7,4) Cefaléia 42 (11,8) 14 (11,0) 29 (12,3) 34 (13,8) 35 (14,5) Hipertonia 4 (1,1) 3 (2,4) 3 (1,3) 10 (4,1) 8 (3,3) Parkinsonismo 0 0 1 (0,4) 5 (2,0) 3 (1,2) Sedação 13 (3,7) 1 (0,8) 12 (5,1) 8 (3,3) 15 (6,2) Sonolência 12 (3,4) 6 (4,7) 8 (3,4) 17 (6,9) 11 (4,5) Síncope 1 (0,3) 1 (0,8) 2 (0,9) 3 (1,2) 1 (0,4) Tremor 12 (3,4) 4 (3,1) 6 (2,6) 11 (4,5) 8 (3,3) Transtornos psiquiátricos Agressividade 4 (1,1) 2 (1,6) 1 (0,4) 3 (1,2) 2 (0,8) Ansiedade 29 (8,2) 12 (9,4) 16 (6,8) 14 (5,7) 11 (4,5) Depressão 1 (0,3) 0 3 (1,3) 1 (0,4) 1 (0,4) Pesadelos 0 0 1 (0,4) 3 (1,2) 1 (0,4) Ideação suicida 4 (1,1) 2 (1,6) 2 (0,9) 1 (0,4) 1 (0,4) Transtornos respiratório, torácico e mediastínico Tosse 4 (1,1) 4 (3,1) 4 (1,7) 7 (2,8) 4 (1,7) Congestão nasal 3 (0,8) 1 (0,8) 3 (1,3) 2 (0,8) 2 (0,8) Transtornos de pele e de tecido subcutâneo Prurido 4 (1,1) 0 3 (1,3) 2 (0,8) 0 Transtornos vasculares Hipotensão 1 (0,3) 2 (1,6) 1 (0,4) 2 (0,8) 2 (0,8) Hipotensão ostostática 3 (0,8) 3 (2,4) 3 (1,3) 6 (2,4) 9 (3,7) * Quando foi aplicado um fator de correção apropriado, QTc linear derivado, não houve casos de prolongamento de QTc. Dados de estudos clínicos: reações adversas ao fármaco em estudos de curta-duração, com dose-fi xa, controlados com placebo. As reações adversas mais frequentes, relatadas por = 2% dos pacientes tratados com Invega incluíram: cefaléia (13,2%), taquicardia (6,6%), acatisia (6,5%), taquicardia sinusal (5,5%), transtorno extrapiramidal (5,4%), sonolência (4,9%), vertigem (4,8%), sedação (4,2%), tremor (3,4%), hipertonia (2,8%), distonia (2,6%), hipotensão ortostática (2,5%) e boca seca (2,4%). As reações adversas que parecem estar relacionadas à dose foram: aumento do peso, cefaléia, hipersecreção salivar, vômito, discinesia, acatisia, distonia, transtorno extrapiramidal, hipertonia e Parkinsonismo. As reações adversas descritas a seguir foram relatadas pelos pacientes com esquizofrenia, tratados com Invega (n=850) nos 3 estudos clínicos de dose fi xa, duplo-cegos, controlados por placebo, de 6 semanas de duração. Os seguintes termos e frequências foram aplicados: muito comum (=10%), comum (frequente) (=1% a <10%), incomum (infrequente) (=0,1% a <1%), raro (=0,01% a <0,1%) e muito raro (<0,01%). A maioria dos eventos adversos foram de gravidade leve a moderada. Avaliações: comum: aumento de peso; incomum: eletrocardiograma anormal. Transtornos cardíacos: comum: taquicardia sinusal, taquicardia atrioventricular, bloqueio de primeiro grau, bloqueio de ramo, bradicardia; incomum: palpitações, arritmia sinusal. Transtornos oculares: incomum: rotação ocular. Transtornos gastrintestinais: comum: dor abdominal alta, boca seca, hipersecreção salivar, vômito. Transtornos gerais: comum: astenia, fadiga; incomum: edema. Transtornos do sistema imunológico: incomum: reação anafi lática. Transtornos metabólicos e nutricionais: incomum: aumento do apetite Transtornos de músculo-esquelético e de tecido conjuntivo: incomum: rigidez muscular. Transtornos do sistema nervoso: muito comum: cefaléia; comum: acatisia, vertigem, distonia, transtorno extrapiramidal, hipertonia, Parkinsonismo, sedação, sonolência, tremor; incomum: vertigem postural, discinesia, convulsão do tipo grande mal, síncope. Transtorno psiquiátrico: incomum: pesadelo. Transtorno do sistema reprodutor e de mamas: incomum: amenorréia, secreção mamária, disfunção erétil, galactorréia, ginecomastia, menstruação irregular. Transtornos vasculares: comum: hipotensão ortostática; incomum: hipotensão, isquemia. Pacientes idosos A segurança de Invega foi avaliada em 81 pacientes idosos com esquizofrenia (idade =65 anos) que receberam doses fl exíveis (n=76) ou fi xas (n=5) de Invega na faixa de 3 a 12 mg uma vez ao dia por até 6 semanas durante os estudos duplo-cegos, controlados com placebo. Embora esse conjunto de dados não permita uma comparação direta sistemática entre pacientes idosos e não idosos, o perfi l de segurança foi similar nas duas populações. No entanto, com base nesses dados limitados e consistente com a prática clínica geral, não é possível excluir uma maior sensibilidade de indivíduos mais idosos a reações adversas. Eventos de interesse particular para a classe Sintomas extrapiramidais: os dados agrupados dos 3 estudos clínicos de dose fi xa, controlados com placebo, de 6 semanas de duração não revelaram diferenças nos eventos extrapiramidais que surgiram com o tratamento, comparando-se o placebo (11%) e Invega 3 e 6 mg (13% e 10%, respectivamente). Sintomas extrapiramidais relacionados à dose foram observados nas duas dosagens maiores de Invega (25% e 26% para as doses de 9 e 12 mg, respectivamente). Os sintomas extrapiramidais incluíram uma análise agrupada dos seguintes termos: discinesia, distonia, hipercinesia, Parkinsonismo e tremor. Ganho de peso: nos dados agrupados dos 3 estudos clínicos de dose fi xa, controlados com placebo, de 6 semanas de duração, as proporções de pacientes que atingiram o critério de ganho de peso =7% do peso corporal foram comparadas e revelaram uma incidência similar de ganho de peso para Invega 3 mg (7%) e 6 mg (6%) em comparação ao placebo (5%) e uma maior incidência de ganho de peso para 9 mg (9%) e 12 mg (9%). Exames laboratoriais: Prolactina sérica: com base nos dados agrupados dos 3 estudos clínicos de dose fi xa, controlados com placebo, de 6 semanas de duração, foram observados aumentos medianos na prolactina sérica em pacientes de ambos os sexos que receberam Invega. Os aumentos médios máximos da concentração de prolactina sérica foram observados, em geral, no 15º dia do tratamento, mas permaneceram acima dos níveis da linha de base ao fi nal do estudo. Estudos Clínicos: reações adversas à droga em estudo de longa-duração, controlado por placebo: a segurança de Invega foi também avaliada em estudo de longa-duração, delineado para avaliar manutenção do efeito de Invega em adultos com esquizofrenia. Em geral, os tipos, freqüências e gravidades das reações adversas à droga, relatados durante a fase inicial, aberta, de 14 semanas deste estudo, foram comparáveis à aqueles relatados no estudo de curto prazo, por 06 semanas, com dose-fi xa, controlado por placebo. As reações adversas à droga relatadas durante a fase de longo prazo, duplo-cega deste estudo foram similares em tipo e gravidade às observadas na fase aberta, inicial, com duração de 14 semanas; entretanto, em geral ocorreram em freqüências menores. Informações de segurança relacionados à risperidona: a paliperidona corresponde a um metabólito ativo da risperidona. O perfi l de liberação da droga e as propriedades farmacocinéticas de Invega são consideralvemente diferentes das observadas com formulações de liberação imediata, para admnistração via oral, contendo risperidona. As informações de segurança relatadas com risperidona em estudos clínicos e em experiência pós-comercialização que não foram relatadas com Invega podem ser encontradas na bula de medicamentos contendo risperidona.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal