FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Antitoxinas de Bactérias e Vírus

Última revisão: 04/04/2010

Comentários de assinantes: 0

>Reproduzido de:>>>>>

>Formulário Terapêutico Nacional 2008: Rename 2006 [>Link Livre para o Documento Original>>]>>>>>

>Série B. Textos Básicos de Saúde>>>>>

>MINISTÉRIO DA SAÚDE>>>>>

>Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos>>>>>

>Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos>>>>>

>Brasília / DF2008>>>>>

>>> >>>>

>>Antitoxinas de Bactérias e Vírus>400>>>>>>

>>> >>>>

>>SORO ANTIBOTULÍNICO AB>>>>>>>

>Apresentação>>

>      >>>Solução injetável.>>>>

>      >>>Cada mililitro da solução neutraliza, no mínimo, 375 UI de toxina botulínica tipo A e 275 UI de toxina botulínica tipo B.>>>>

>>> >>>>

>Indicação>>

>      >>>Tratamento de intoxicações por toxinas secretadas pelos bacilos botulínicos A e B (>Clostridium botulinum >A e B).>>>>

>>> >>>>

>Esquemas de Administração>>

>>Adultos e Crianças>>>>>>>

>1.    >>>>Profilaxia do botulismo A e B, para pacientes que ingeriram alimentos suspeitos de contaminação por toxina botulínica dos tipos A e B>>>>>

>      >>>4 a 20 mL da solução original, diluídos a 1:10 em soro fisiológico, por via intravenosa, de acordo com, se possível, uma avaliação da quantidade de alimento ingerido.>>>>

>      >>>A necessidade de aplicação de uma segunda dose é avaliada pelo aparecimento de sinais ou sintomas da doença.>>>>

>>> >>>>

>2.    >>>>Tratamento do botulismo A e B>>>>>

>      >>>20 mL da solução original, diluídos a 1:10 em soro fisiológico, por via intravenosa. A solução de antitoxina deve ser aplicada lentamente e sempre sob estrita vigilância médica e de enfermagem. A necessidade de administração de doses adicionais, relativas às recomendadas, deverá ser avaliada conforme evolução do quadro clínico.>>>>

>      >>>Continuar o tratamento até o desaparecimento dos sintomas. Em casos mais graves (midríase, ptose palpebral, disfagia), transportar o paciente para um centro que disponha de pulmão de aço para prevenir a ocorrência de síncope respiratória.>>>>

>>> >>>>

>>SORO ANTIBOTULÍNICO E>>>>>>>

>Apresentação>>

>      >>>Solução injetável.>>>>

>      >>>Cada mililitro da solução neutraliza, no mínimo, 425 UI de toxina botulínica tipo E.>>>>

>>> >>>>

>Indicação>>

>      >>>Tratamento de intoxicação por toxinas secretadas pelo bacilo botulínico E (>Clostridium botulinum >E).>>>>

>>> >>>>

>Esquemas de Administração>>

>>Adultos e Crianças>>>>>>>

>1.    >>>>Profilaxia do botulismo E, para pacientes que ingeriram alimentos suspeitos de contaminação por toxina botulínica dos tipos E>>>>>

>      >>>4 a 20 mL da solução original, diluídos a 1:10 em soro fisiológico, por via intravenosa, de acordo com, se possível, uma avaliação da quantidade de alimento ingerido.>>>>

>      >>>A necessidade de aplicação de uma segunda dose é avaliada pelo aparecimento de sinais ou sintomas da doença.>>>>

>>> >>>>

>2.    >>>>Tratamento do botulismo E>>>>>

>      >>>20 mL da solução original, diluídos a 1:10 em soro fisiológico, por via intravenosa. A solução de antitoxina deve ser aplicada lentamente e sempre sob estrita vigilância médica e de enfermagem. A necessidade de administração de doses adicionais, relativas às recomendadas, deverá ser avaliada conforme evolução do quadro clínico.>>>>

>      >>>Continuar o tratamento até o desaparecimento dos sintomas. Em casos mais graves (midríase, ptose palpebral, disfagia), transportar o paciente para um centro que disponha de pulmão de aço para prevenir a ocorrência de síncope respiratória.>>>>

>>> >>>>

>>SORO ANTIDIFTÉRICO (SAD)>>>>>>>

>Apresentação>>

>      >>>Solução injetável 1.000 UI/mL.>>>>

>      >>>Cada mililitro da solução neutraliza, no mínimo, 1.000 UI de toxina diftérica.>>>>

>>> >>>>

>Indicação>>

>      >>>Tratamento de intoxicação por toxinas secretadas pelo bacilo diftérico (>Corynebacterium diphtheriae>).>>>>

>>> >>>>

>Esquemas de Administração>>

>>Adultos e Crianças>>>>>>>

>      >>>Casos leves e moderados: 20-40 mL, por via intramuscular (injetar em vários músculos) ou intravenosa lenta.>>>>

>      >>>Casos graves: 40-80 mL, por via intramuscular (injetar em vários músculos) ou intravenosa lenta. A necessidade de administração de doses adicionais, relativas às recomendadas, deverá ser avaliada de acordo com a evolução do quadro clínico.>>>>

>      >>>A aplicação do soro antidiftérico, profilaticamente, em indivíduos não vacinados, pode ser feita a critério médico. Nesse caso, são sugeridas doses de 1-2 mL para crianças e 3-4 mL para adultos, por vias intramuscular ou intravenosa.>>>>

>>> >>>>

>>SORO ANTI-RÁBICO (SAR)>>>>>>>

>Apresentação>>

>      >>>Solução injetável 200 UI/mL.>>>>

>      >>>Cada mililitro da solução neutraliza, no mínimo, 200 UI de vírus da raiva.>>>>

>>> >>>>

>Indicação>>

>      >>>Ferimentos graves (mordeduras na face, cabeça, mãos e pés; ferimentos múltiplos ou extensos; ferimentos profundos; lambedura de mucosas) provocados pela mordedura de animal suspeito.>>>>

>>> >>>>

>Esquemas de Administração>>

>>Adultos e Crianças>>>>>>>

>      >>>40 UI/kg, por via intramuscular (injetar em vários músculos), em dose única, não ultrapassando o total de 3.000 UI.>>>>

>      >>>Parte da dose recomendada, sempre que possível, deverá ser infiltrada ao redor dos ferimentos provocados pela mordedura. O restante deve ser administrado por via intramuscular (glúteo), em região corporal que não seja a mesma da administração da vacina contra raiva. Na impossibilidade de administrar o soro anti-rábico de imediato, a vacinação deverá ser iniciada e o soro ser aplicado o mais rapidamente possível, até o dia do início da vacinação. Após este período, o emprego do soro anti-rábico não é mais indicado.>>>>

>>> >>>>

>Precauções>>

>      >>>Lavar imediatamente o ferimento provocado pela mordedura com água corrente em abundância e sabão.>>>>

>      >>>Desinfetar o ferimento com anti-sépticos (ex.: iodo).>>>>

>      >>>Não suturar as lesões, salvo indicação de sutura reparadora.>>>>

>      >>>Não utilizar a mesma seringa para aplicação do soro e da vacina.>>>>

>      >>>Não aplicar soro e vacina na mesma região anatômica.>>>>

>>> >>>>

>>SORO ANTITETÂNICO (SAT)>>>>>>>

>Apresentação>>

>      >>>Solução injetável.>>>>

>      >>>Cada mililitro neutraliza, no mínimo, 1.000 UI de toxina produzida pelo bacilo tetânico (>Clostridium >tetani).>>>>

>>> >>>>

>Indicação>>

>      >>>Tratamento de envenenamento por toxinas secretadas pelo bacilo tetânico (>Clostridium tetani>).>>>>

>>> >>>>

>Esquemas de Administração>>

>>Adultos e Crianças>>>>>>>

>      >>>Profilaxia do tétano: em indivíduos não vacinados contra o tétano (com o toxóide tetânico), com vacinação incompleta ou vacinados mais de cinco anos, sem dose de reforço, aplicar 5.000 UI, por via intramuscular, e iniciar a vacinação ou revacinação segundo as doses recomendadas.>>>>

>      >>>Tratamento do tétano: administrar de 20.000 a 100.000 UI (20 a 100 mL da solução), podendo-se aplicar metade da dose por via intramuscular (distribuído em vários músculos) ou subcutânea e metade por via intravenosa. Em casos mais graves, aplicar no dia seguinte mais 50.000 UI (50 mL da solução) por via intramuscular (distribuído em vários músculos).>>>>

>      >>>Profilática ou curativamente, a necessidade de administração de doses adicionais, relativas às recomendadas, deverão ser avaliadas pelo tipo de ferimento suspeito (profundidade, extensão, tecidos necrosados) ou com a evolução do quadro clínico.>>>>

>> >>>

>>SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO>>>>>>>

>Consta no documento:>>>>

>Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”>>>>

>O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.>>>>

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal