FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Fenitoína Sódica

Última revisão: 02/05/2010

Comentários de assinantes: 0

>Reproduzido de:>>>>>

>Formulário Terapêutico Nacional 2008: Rename 2006 [>Link Livre para o Documento Original>>]>>>>>

>Série B. Textos Básicos de Saúde>>>>>

>MINISTÉRIO DA SAÚDE>>>>>

>Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos>>>>>

>Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos>>>>>

>Brasília / DF2008>>>>>

>>> >>>>

>>Fenitoína Sódica>>>>>

>> >>>

>Larissa Niro>>>>>

>>> >>>>

>>Na Rename 2006: item 12.1>>>>>

>>> >>>>

>>APRESENTAÇÕES>>>>>>>

>      >>>Comprimido 100 mg.>>>>

>      >>>Solução injetável 50 mg/mL.>>>>

>      >>>Suspensão oral 25 mg/mL.>>>>

>>> >>>>

>>INDICAÇÕES>1,5>>>>>>>>

>      >>>Convulsões generalizadas tônico-clônicas primárias, parciais simples e complexas.>>>>

>      >>>Estado de mal epilético.>>>>

>>> >>>>

>>CONTRA-INDICAÇÕES>1,5>>>>>>>>

>      >>>Hipersensibilidade às hidantoínas.>>>>

>      >>>Porfiria.>>>>

>      >>>Arritmias cardíacas (bloqueio A-V e outras).>>>>

>      >>>Crises de ausência.>>>>

>      >>>Crises mioclônicas.>>>>

>>> >>>>

>>PRECAUÇÕES>1,5>>>>>>>>

>      >>>Hipersensibilidade a fenitoína e compostos relacionados deve ser investigada antes de iniciar o tratamento.>>>>

>      >>>Recomendar intensificação da higiene dental/bucal e acompanhamento odontológico.>>>>

>      >>>Cuidado nas cirurgias dentárias e tratamento odontológico de emergência.>>>>

>      >>>Pacientes idosos são mais susceptíveis a efeitos adversos e toxicidade (hipotensão e bloqueio atrioventricular). Uso de menores doses.>>>>

>      >>>Monitorar hemograma, transaminases hepáticas, fosfatase alcalina, cálcio, vitamina B12, folato, glicemia e função tireoideana que podem alterar-se com fenitoína.>>>>

>      >>>Categoria de risco na gravidez (ADEC): D (ver apêndice A).>>>>

>      >>>Cautela em pacientes com diabetes melito (hiperglicemia), insuficiência cardíaca congestiva, insuficiência hepática e doença renal.>>>>

>      >>>Evitar a retirada abrupta (pode precipitar estado de mal epiléptico).>>>>

>> >>>

>>ESQUEMAS DE ADMINISTRAÇÃO>1,4,5>>>>>>>>>>

>Adultos>>

>>Convulsões Generalizadas Tônico-clônicas Primárias, Parciais Simples e Complexas>>>>>>>

>      >>>Dose de ataque de 13-14 mg/kg, a cada 8-12 horas.>>>>

>      >>>Manutenção com 300-400 mg/dia.>>>>

>      >>>Dose máxima de 600 mg/dia.>>>>

>>> >>>>

>>Estado de Mal Epilético>>>>>>>

>      >>>15-20 mg/kg, em infusão intravenosa, à velocidade de 50 mg/minuto, a cada 20-30 minutos até cessar a crise.>>>>

>      >>>Dose de manutenção: 100 mg, por vias oral ou intravenosa, a cada 6-8 horas.>>>>

>> >>>

>Crianças>>

>>Convulsões Generalizadas Tônico-clônicas Primárias, Parciais Simples e Complexas>>>>>>>

>      >>>Até 6 anos: dose de ataque de 15-20 mg/kg, a cada 8-12 horas; manutenção com 125 mg (5 mL da suspensão oral), 3 vezes ao dia, com ajuste de dose a cada 7-10 dias, se necessário (dose máxima de 625 mg/dia).>>>>

>      >>>Maiores de 6 anos: a dose mínima do adulto (300 mg/dia).>>>>

>> >>>

>>Estado de Mal Epilético>>>>>>>

>      >>>10-15 mg/kg, em infusão intravenosa, à velocidade de 1-3 mg/kg/minutos, a cada 20-30 minutos, até cessar a crise.>>>>

>> >>>

>Observações>>>>>

>      >>>Para pacientes obesos, a dose de ataque deve ser calculada com base no peso corporal ideal mais 1,33 vezes o excesso de sobrepeso.>>>>

>      >>>Nas situações de emergência, se deve usar a via intravenosa. A administração é lenta. O fármaco pode ser diluído em solução salina, pois cristaliza em solução glicosada.>>>>

>      >>>A injeção intravenosa deve ser feita diretamente numa veia de grande calibre, com uma agulha de calibre grande ou cateter.>>>>

>      >>>A infusão intermitente é preferível à contínua.>>>>

>      >>>O tempo de infusão deve ser no máximo 1 hora. O equipo deve ser enxaguado com solução injetável de cloreto de sódio 0,9% antes e após a administração da solução de fenitoína. Usar filtro de 0,22 a 0,45 micrômetros no equipo.>>>>

>> >>>

>>ASPECTOS FARMACOCINÉTICOS CLINICAMENTE RELEVANTES>4,5>>>>>>>>

>      >>>Absorção oral variável segundo idade e forma farmacêutica empregada. Em neonatos, é incompleta e errática. A mesma apresentação deve ser prescrita sempre para o mesmo paciente.>>>>

>      >>>A absorção intramuscular é muito lenta, mas completa (92%). A solução de fenitoína para uso injetável apresenta pH 12. Se for administrada por via intramuscular (meio com pH 7,4), a solubilidade do agente é reduzida, ocorrendo precipitação de cristais no músculo, com absorção muito lenta e errática.>>>>

>      >>>Distribuição para líquido cerebroespinhal, saliva, sêmen, líquidos gastrintestinais, bile e leite materno; também atravessa a placenta, com concentrações séricas fetais iguais às da mãe.>>>>

>      >>>Pico sérico: 8 a 12 horas (concentrações terapêuticas:10 a 20 microgramas/mL).>>>>

>      >>>Início de efeito: 24 horas (fenitoização oral).>>>>

>      >>>Metabolização hepática (auto-inibição enzimática), variável com idade.>>>>

>      >>>Excreção renal, aumentada pela alcalinização da urina.>>>>

>      >>>Meia-vida: 7-42 horas (adultos), 5-18 horas (crianças), 20-60 horas (recém-nascidos a termo), longa e variável (prematuros).>>>>

>      >>>Cinética de ordem zero, variável com as doses.>>>>

>> >>>

>>EFEITOS ADVERSOS>1,5>>>>>>>>

>      >>>Prurido, erupção cutânea, síndrome de Stevens-Johnson, dermatose bolhosa, erupção purpúrea, escarificação, necrose epidérmica tóxica, hirsutismo, acne.>>>>

>      >>>Agranulocitose, leucopenia, trombocitopenia, pancitopenia indicam imediata suspensão do tratamento, hiperplasia linfóide.>>>>

>      >>>Lúpus eritematoso sistêmico.>>>>

>      >>>Febre.>>>>

>      >>>Constipação, hiperplasia gengival, náuseas, vômitos.>>>>

>      >>>Hepatotoxicidade, hepatite medicamentosa, alterações transitórias de transaminases.>>>>

>      >>>Osteomalácia.>>>>

>      >>>Arritmias cardíacas.>>>>

>      >>>Hipocalcemia, deficiência de vitamina B12 e folato.>>>>

>      >>>Confusão mental, nervosismo, nistagmo, ataxia, problemas de coordenação, prejuízo cognitivo, encefalopatia, cefaléia, sonolência, fala arrastada, parestesia, vertigem, coreoatetose (efeitos dose-dependentes que melhoram com redução ou fracionamento da dose diária).>>>>

>      >>>Nefrotoxicidade.>>>>

>> >>>

>>INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS>5>>>>>>>>

>      >>>Aumento da concentração plasmática de fenitoína com: carbamazepina, fenobarbital, voriconazol.>>>>

>      >>>Redução da concentração plasmática de fenitoína com: ácido valpróico, vigabatrina, dexametasona, metotrexato.>>>>

>      >>>Fenitoína aumenta a concentração plasmática de: cloranfenicol, cimetidina, omeprazol, isoniazida, cumarínicos, dissulfiram, sulfonamidas, amiodarona.>>>>

>      >>>Fenitoína diminui a concentração plasmática de: salicilatos, ácido fólico, teofilina, quetiapina, lopinavir/ritonavir, imatinibe, delarvidina, lidocaína, contraceptivos orais.>>>>

>      >>>Fenitoína induz o metabolismo hepático de anticoncepcionais orais, diminuindo a eficácia desses últimos, o que acarreta até 8% de falha. Outros métodos contraceptivos devem ser recomendados.>>>>

>> >>>

>>ORIENTAÇÕES AOS PACIENTES>4>>>>>>>>

>      >>>Orientar para notificação imediata de ocorrência de gravidez.>>>>

>      >>>Orientar para aumentar a freqüência da higiene bucal e consultas ao dentista.>>>>

>      >>>Alertar para a ocorrência de hirsutismo, principalmente em meninas.>>>>

>      >>>Alertar para que o uso prolongado de altas doses pode determinar menor aproveitamento escolar, especialmente em crianças.>>>>

>      >>>Alertar para evitar uso de bebidas alcoólicas.>>>>

>      >>>Orientar para a possível necessidade de empregar método anticoncepcional adicional porque a associação com fenitoína pode reduzir a eficácia de contraceptivos hormonais.>>>>

>      >>>Orientar para a administração dos comprimidos preferencialmente com alimentos.>>>>

>      >>>Orientar para não partir nem mastigar os comprimidos de fenitoína.>>>>

>      >>>Ensinar a empregar um medidor graduado para determinar o correto volume da preparação líquida oral.>>>>

>      >>>Orientar para a necessária agitação do frasco, se suspensão oral, antes de administrar a dose.>>>>

>      >>>Orientar e ensinar a pacientes diabéticos a monitorizar seguidamente os níveis glicêmicos.>>>>

>      >>>Alertar para não interromper o tratamento.>>>>

>      >>>Alertar que pode afetar a capacidade de realizar atividades que exigem atenção e coordenação motora como operar máquinas e dirigir.>>>>

>> >>>

>>ASPECTOS FARMACÊUTICOS>4,5>>>>>>>>

>Formas Orais>>

>      >>>Devem ser estocadas a temperaturas entre 15 e 30°C e protegidas da luz. Não expor a extremos de temperatura sob risco de deterioração e perda de estabilidade.>>>>

>      >>>Os comprimidos de fenitoína não devem ser amassados, partidos ou triturados.>>>>

>      >>>Não estão garantidas bioequivalência e biodisponibilidade entre diferentes especialidades farmacêuticas do comprimido de fenitoína, devido à variável quantidade do sulfato de cálcio utilizado como adjuvante nas preparações.>>>>

>      >>>A forma ácida da fenitoína possui 8% a mais de fenitoína (base) do que a forma sódica.>>>>

>      >>>A forma sódica de fenitoína contém 0,35 mEq (8 mg) de sódio por 100 mg.>>>>

>      >>>A suspensão oral de fenitoína possui liberação imediata, portanto não deve ser administrada uma única vez ao dia, mas sim dividida em 2 a 3 doses diárias.>>>>

>A suspensão oral deve ser agitada antes da utilização da dose.>>>>

>> >>>

>Formas Parenterais>>

>      >>>Armazenar preferencialmente entre 15 e 30°C, em recipiente bem fechado, protegido da luz. Não congelar ou expor a temperatura superior a 40°C.>>>>

>      >>>Sob baixas temperaturas, a solução de fenitoína pode formar um precipitado que usualmente se dissolve após ser aquecido a temperatura ambiente; entretanto, não utilizar se a solução não estiver límpida.>>>>

>      >>>O preparo da solução para infusão deve ser feito imediatamente antes da administração, pela adição da fenitoína a 50 mL de cloreto de sódio 0,9% injetável.>>>>

>      >>>A mistura da fenitoína sódica com outros fármacos num mesmo equipo é contra-indicada.>>>>

>      >>>Após o preparo, coloração levemente amarelada pode surgir, sem, no entanto, alterar a potência da fenitoína.>>>>

>      >>>A solução de fenitoína é cáustica para os tecidos, por isso o extravasamento deve ser evitado.>>>>

>>> >>>>

>>ATENÇÃO: interações da fenitoína com expressivo número de fármacos e substâncias proscrevem o uso concomitante de medicamentos.>>>>>>

>> >>>

>>SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO>>>>>>>

>Consta no documento:>>>>

>Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”>>>>

>O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.>>>>

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal