Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Clorpromazina

Clorpromazina

(Oral; Injetável) (substância ativa)

Referência: Amplictil (Sanofi–Aventis)

Genérico: não

Similar: Clopsina (UCI); Clorpromaz (União Química); Longactil (Cristália)

 

cloridrato de clorpromazina

Uso oral

Comprimido 25 mg: Amplictil

Comprimido 100 mg: Amplictil

Solução gotas 4% (40 mg/mL) (1 gota=1 mg): Amplictil

 

Uso injetável

Injetável (solução) 25 mg/5 mL: Amplictil

 

Armazenagem antes de aberto

Temperatura ambiente (15-30°C).

Proteção à luz: sim, necessária.

 

O que é

antipsicótico; antiemético [fenotiazina; propilamina].

 

Para que serve

psicose; esquizofrenia; náusea e vômito.

 

Como age

bloqueia os impulsos gerados pela dopamina nas sinapses, parecendo ser este o mecanismo antipsicótico. Tem também fortes efeitos antiemético, anticolinérgico, hipotensor e sedativo; tem efeito extrapiramidal fraco ou médio.

As fenotiazinas diminuem o limiar convulsivo, suprimem o reflexo da tosse e aumentam a concentração de prolactina.

 

Como se usa

Uso oral – Doses

•doses em termos de cloridrato de Clorpromazina.

•com alimento.

•não tomar antiácido ou antidiarréico junto com o produto. Esperar pelo menos 2 horas antes de fazê-lo.

psicose

Adultos

iniciar com 30 a 75 mg por dia, divididos em 2 ou 4 doses. As doses podem ser aumentadas 2 vezes por semana, em 20 a 50 mg, até os sintomas serem controlados.

Limite de dose para adultos: 1 g por dia.

Crianças acima de 6 meses de idade

0,55 mg por kg de peso corporal a cada 4 a 6 horas. náusea e vômitos (prevenção ou tratamento):

Adultos

10 a 25 mg a cada 4-6 horas, enquanto necessário.

Crianças acima de 6 meses de idade

0,55 mg por kg de peso corporal a cada 4 a 6 horas.

 

Uso injetável – Preparação

Clorpromazina (solução) 25 mg/25 mL – Via intramuscular

Administração: nas nádegas (quadrante superior externo).

 

Uso injetável - Doses

• doses em termos de cloridrato de Clorpromazina.

Adultos

psicose (em pacientes muito agitados): 25 mg, via intramuscular. Se necessário, após 1 hora aplicar mais 25 ou 50 mg. As doses podem ir sendo gradualmente aumentadas com o passar dos dias, até um máximo de 400 mg a cada 4 a 6 horas.

Crianças acima de 6 meses de idade náusea e vômitos (prevenção ou tratamento)

0,55 mg por kg de peso corporal, via intramuscular, a cada 4 a 6 horas.

Limite de doses para crianças com menos de 5 anos de idade ou naquelas pesando menos de 23 kg: 40 mg por dia.

Limite de doses para crianças de 5 a 12 anos de idade ou naquelas pesando de 23 a 46 kg: 75 mg por dia.

 

Cuidados especiais

Risco na gravidez

classificação atualmente não disponibilizada; mas não é recomendada pelos riscos potenciais de problemas neurológicos para a criança.

 

Amamentação

eliminado no leite; não amamentar.

 

Não usar o produto

doença cardiovascular grave; doença cerebrovascular; coma; dano cerebral ou depressão do sistema nervoso central; depressão da medula óssea; discrasia sanguínea; criança com menos de 6 meses de idade; hipersensibilidade a fenotiazina.

 

Avaliar riscos x Benefícios

dermatose; diminuição do cálcio no sangue; disfunção hepática ou renal; doença cardíaca (arritmia, insuficiência cardíaca congestiva, angina do peito, doença valvular, bloqueio cardíaco); doença de Parkinson; doença respiratória; encefalite; epilepsia; feocromocitoma; glaucoma; hipertrofia prostática; idoso; paciente exposto a extremo calor e a inseticida fosforado; reação alérgica a derivados da fenotiazina; retenção urinária; síndrome de abstinência alcoólica; síndrome de Reye (doença grave no fígado e cérebro); trauma craniano.

 

Reações que podem ocorrer (sem incidência definida):

alteração no eletrocardiograma (ECG); alteração ocular (a pigmentação da retina muda após muito tempo de uso do produto); anemia e outras alterações do sangue; arritmia cardíaca; aumento da dor anginosa (após injeção intramuscular); aumento da pressão intraocular; aumento de peso; aumento do apetite; aumento das mamas (em ambos os sexos); aumento ou diminuição dos batimentos cardí- acos; boca seca; cansaço; constipação intestinal; diarreia; dilatação das pupilas; diminuição do desejo sexual; dor de cabeça; erupção na pele; exacerbação dos sintomas psicóticos; falta de apetite; hiperprolactinemia; hipersensibilidade (erupção na pele, febre, urticária, edema, cor amarelada na pele ou nos olhos); inibição da ejaculação; insônia; menstruação abundante; náusea; necrose muscular; parada cardíaca; queda de pressão ao se levantar; retenção urinária; sensibilidade à luz; sintomas extrapiramidais (distonia, incapacidade de permanecer sentado, torcicolo, dificuldade de movimentação); sedação; pseudoparkinsonismo; sonolência; síndrome neuroléptica maligna (reação a drogas neurolépticas caracterizada por aumento de temperatura, rigidez e coma) (pode ser fatal, se não tratada); tontura; visão borrada; vômito; zumbido nos ouvidos.

 

Atenção ao utilizar outros produtos.

A clorpromazina

•pode ter sua absorção diminuída por: antiácido. Respeitar um intervalo entre os dois de pelo menos 2 horas.

•pode aumentar a atividade anticolinérgica e agravar os sintomas parkinsonianos com: anticolinérgico com antidepressivo tricíclico, antiparkinsoniano. Usar junto com muito cuidado.

•pode diminuir o limiar de convulsão com: anticonvulsivante. Monitorar o paciente.

•pode diminuir os efeitos de fenotiazina com: barbiturato; lítio. Monitorar o paciente.

•pode diminuir o efeito anti-hipertensor com: anti-hipertensor de ação central.

•pode aumentar a depressão do sistema nervoso central com: álcool; depressor do sistema nervoso central. Associar com cuidado.

•pode causar reações graves com: terapia eletroconvulsiva; insulina.

•pode aumentar os efeitos neurológicos com: lítio. Monitorar o paciente.

•pode causar sedação excessiva e hipotensão com: meperidina. Não associar.

•pode aumentar os níveis de e ter seus níveis aumentados por: propanolol. Monitorar o paciente.

•pode diminuir o efeito de anticoagulantes orais com: varfarina. Monitorar o tempo de protrombina e o INR.

 

Outras considerações importantes

•não ingerir bebida alcoólica.

•cuidado ao dirigir ou executar tarefas que exijam atenção.

•pelo risco de choque de calor: evitar banhos muito quentes; não fazer saunas; não praticar exercícios extenuantes, principalmente no calor; não se expor ao sol; evitar medicamentos para resfriados e alergias com atividade anticolinérgica.

•pelo risco de hipotermia (queda da temperatura): evitar exposição prolongada ao frio.

•pelo risco de fotossensibilidade: evitar exposição ao sol; bronzeamento artificial. Usar filtros solares, roupas protetoras e óculos escuros.

•ingerir alimentos ricos em fibras, ingerir grande quantidade de líquidos.

•para aliviar a secura da boca, usar gomas ou chicletes sem açúcar.

•pelo risco de tontura: levantar devagar da cama ou da cadeira. Evitar mudanças bruscas de posição. Cuidado ao subir ou descer escadas.

•evitar exposição a pesticidas ou inseticidas.

•cuidado com cirurgias, inclusive procedimentos odontológicos (necessário avaliar os medicamentos a serem utilizados).

•as formas líquidas podem causar irritação se entrarem em contato com a pele.

•durante aplicação injetável, é necessário controlar a pressão arterial.

REMÉDIOS COM CLORPROMAZINA EM SUA COMPOSIÇÃO

Clopsina
Clorpromaz
Longactil

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal