FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Clorpropamida

Clorpropamida (Oral) (substância ativa)

Referência: Diabinese (Pfizer)

Genérico: não

Similar: Diabecontrol (Sanval); Glicoben (Cazi); Glicorp (Neo Química); Pramdalin (Ducto)

 

Uso oral

Comprimido 250 mg: Diabinese

 

O que é

antidiabético oral [sulfonilureia de 1a geração].

 

Para que serve

diabetes mellitus tipo 2 (não dependente de insulina); diabetes insi- pidus (central parcial).

 

Como age

no diabetes mellitus, estimula a liberação de insulina das células beta funcionantes das ilhotas do pâncreas. Em pacientes com diabetes insipidus central parcial, potencializa o hormônio antidiurético que existe em pequemas quantidades. Absorção: rápida e boa. Biotransformação: no fígado. Ação - pico: 2 a 4 horas; duração: 24 a 72 horas. Eliminação: urina (inalterado e metabólitos).

 

Como se usa

Uso oral – Doses

• doses em termos de Clorpropamida. diabetes tipo 2

Adultos

iniciar com 250 mg em dose única diária. Se necessário, ajustar a dose em 50 a 125 mg a cada 3 a 5 dias. Dose de manutenção: 100 a 500 mg, em dose única diária.

Limite de dose para adultos: 750 mg por dia.

Idosos

iniciar com 100 a 125 mg, em dose única diária; se necessário, ajustar a dose em 50 a 125 mg a cada 3 a 5 dias.

Crianças: eficácia e segurança não estabelecidas. diabetes insipidus (central parcial)

Adultos

100 a 250 mg, em dose única diária; se necessário, ajustar a dose a cada 3 a 5 dias.

Limite de dose para adultos: 500 mg por dia.

Crianças: eficácia e segurança não estabelecidas.

 

Cuidados especiais

Risco na gravidez

Classe C

(a Clorpropamida cruza a placenta; a insulina permite um melhor controle da glicemia durante a gravidez do que as sulfonilureias)

 

Amamentação

sem dados.

 

Não usar o produto

acidose importante; cetoacidose diabética com ou sem coma; cirurgia de grande porte; coma diabético; coma não cetótico hiperosmolar; outra condição que cause grande flutuação de glicose; outra condição que mude rapidamente as necessidades de insulina; queimadura grave; traumatismo grave; diabetes tipo 1; grave dano renal, hepático ou da tireoide; insuficiência cardíaca congestiva.

(todas as condições acima são mais bem controladas com insulina ao invés de sulfonilureia)

 

Avaliar riscos x Benefícios:

alergia a sulfonilureia, sulfonamida ou diurético tiazídico; condição que prejudique a absorção de alimentos, diarreia grave, obstrução intestinal, paralisia do estômago ou vômitos prolongados (exigem modificação das doses ou mudança para insulina); condição que cause hiperglicemia (febre alta, infecção grave, mudanças hormonais femininas, estresse psicológico, hiperadrenalismo não bem controlado) (podem exigir doses maiores ou mudança para insulina); condição que cause hipoglicemia (insuficiência suprarrenal, debilidade física, má nutrição, insuficiência hipofisária não adequadamente controlada) (reduzir doses); diminuição da função renal (risco maior de hipoglicemia prolongada); doença do fígado (a hipoglicemia pode ser grave); hipertireoidismo não adequadamente controlado (pode exigir doses maiores); hipotireoidismo não adequadamente controlado (pode exigir doses menores); insuficiência cardíaca congestiva (pode agravar por retenção de líquido); história de porfiria hepática.

 

Reações mais comuns (sem incidência definida):

hipoglicemia leve; ganho de peso; mudanças no paladar; tontura; sonolência; manifestações gastrintestinais; dor de cabeça; aumento do volume e frequência da micção (urina).

 

Atenção ao utilizar outros produtos.

A clorpropamida

•pode aumentar a atividade hipoglicêmica com: IMAO (inibidor da monoamina-oxidase); anti-inflamatórionão esteroide. Monitorar o nível de glicose.

 

Outras considerações importantes

•não ingerir bebida alcoólica.

•fazer dieta alimentar e exercícios durante o tratamento.

•se ocorrerem sintomas de hipoglicemia (queda da glicose) tomar medidas básicas imediatas (chupar bala, beber ou comer algum alimento açucarado) e reportar o fato ao médico.

•evitar sol em excesso.

•o medicamento não é eficaz para crianças dependentes de insulina.

•determinar rotineiramente os níveis de glicose.

•avaliar o paciente semanalmente durante as primeiras 6 semanas de uso do produto.

•avaliar com frequência a função hepática no início da terapia com o produto.

REMÉDIOS COM CLORPROPAMIDA EM SUA COMPOSIÇÃO

Clorpromini
Clorpropamida
Diabecontrol
Diabinese
Glicorp

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal