Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Última revisão: 31/05/2009

Comentários de assinantes: 2

Reproduzido de:

Dermatologia na Atenção Básica de Saúde / Cadernos de Atenção Básica Nº 9 / Série A - Normas de Manuais Técnicos; n° 174 [Link Livre para o Documento Original]

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Secretaria de Políticas de Saúde

Departamento de Atenção Básica

Área Técnica de Dermatologia Sanitária

BRASÍLIA / DF – 2002

 

Larva Migrans

CID-10: B83.0

 

DESCRIÇÃO DA LARVA MIGRANS

Erupção linear, serpiginosa, eritematosa, discretamente elevada, e muito pruriginosa conseqüente do deslocamento da larva na pele (Figura 1). As áreas mais afetadas são pés, pernas e nádegas. Algumas vezes observa-se quadro eritêmato-papuloso que dificulta o diagnóstico.

 

Figura 1: Larva Migrans.

 

 

SINONÍMIA

Dermatite serpiginosa, bicho geográfico.

 

ETIOLOGIA DA LARVA MIGRANS

Larvas das espécies Ancylostoma caninum, Ancylostoma brasiliensis e Strongiloides stercoralis.

 

RESERVATÓRIO

Cães e gatos.

 

MODO DE TRANSMISSÃO DA LARVA MIGRANS

Adquirida pelo contato da pele com solo contaminado por fezes de animais.

 

PERÍODO DE INCUBAÇÃO

Não há.

 

PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE DA LARVA MIGRANS

Não há transmissão pessoa a pessoa.

 

COMPLICAÇÕES DA LARVA MIGRANS

Impetiginização com infecção secundária.

 

DIAGNÓSTICO DA LARVA MIGRANS

Clínico e epidemiológico.

 

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

Eeczema de contato e alergia a picada de insetos. Piodermites e Tinha dos pés: principalmente nas formas papulosas e eczematizadas o diagnóstico é difícil.

 

TRATAMENTO DA LARVA MIGRANS

Uma ou poucas lesões: usa-se a pomada de Tiabendazol a 5% três vezes ao dia, durante 10 dias. Muitas lesões: usar o tiabendazol sistêmico na dose de 25 mg/kg de peso, duas vezes ao dia, 5 a 7 dias. Albendazol 400 mg/dia em dose única ou repetido durante três dias consecutivos. Ivermectina na dose única de 200 mg/kg.

 

CARACTERÍSTICAS EPIDEMIOLÓGICAS DA LARVA MIGRANS

Pode ocorrer em surtos em creches, escolas. Freqüente em praias.

 

OBJETIVOS DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

Não é objeto de vigilância epidemiológica.

 

NOTIFICAÇÃO

Não é doença de notificação compulsória.

 

MEDIDAS DE CONTROLE DA LARVA MIGRANS

Proibir cães e gatos em praias. Evitar áreas arenosas, sombreadas e úmidas. Nas escolas e creches, as areias para diversão devem ser protegidas contra os dejetos de cães e gatos.

 

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO

Consta no documento:

“Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”

O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.

Comentários

Por: Atendimento MedicinaNET em 28/02/2012 às 15:23:14

"Prezada Daniela, Este conteúdo é uma reprodução autorizada de um manual do Ministério da Saúde. O original traz a mesma informação, de modo que não cabe a nós, nem nos é permitido, fazer tal correção. De todo modo, agradecemos seu contato. Atenciosamente, Atendimento MedicinaNET"

Por: Daniela Cristina da Silva Dantas em 27/02/2012 às 09:59:58

"A dose de ivermectina para tratamento é de 200 microgramas/kg, não 200mg/kg, favor corrigir. Abs!"

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal