Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Última revisão: 31/05/2009

Comentários de assinantes: 0

Reproduzido de:

Dermatologia na Atenção Básica de Saúde / Cadernos de Atenção Básica Nº 9 / Série A - Normas de Manuais Técnicos; n° 174 [Link Livre para o Documento Original]

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Secretaria de Políticas de Saúde

Departamento de Atenção Básica

Área Técnica de Dermatologia Sanitária

BRASÍLIA / DF – 2002

 

Verrugas

CID-10: B07

 

DESCRIÇÃO DAS VERRUGAS

Proliferações benignas contagiosas que surgem a partir de uma infecção viral na epiderme ou na mucosa. As lesões são geralmente assintomáticas, porém algumas, como as lesões plantares, podem ser dolorosas. Podem cursar com o aumento de número e tamanho das lesões, apresentar infecção bacteriana secundária e involuir espontaneamente. Classificam-se as Verrugas de acordo com sua localização e morfologia. Há 5 diferentes tipos: vulgar, plantar, filiforme, plana e genital.

 

Verruga Vulgar

Representam 70% de todas as Verrugas e se manifestam por pápulas com hiperceratoses que aparecem em qualquer lugar, sendo mais comuns nos dedos (periungueais) e dorso das mãos.

 

Figura 1: Verruga vulgar.

 

Verruga Plantar

Representam 24% dos casos de Verrugas e manifestam-se por pápulas arredondadas com hiperceratose de crescimento endofitico evidenciando uma área central irregular envolta por um anel hiperceratótico, denominado vulgarmente de “olho de peixe”. Normalmente não ultrapassam a superfície da pele porque a pressão do corpo durante a deambulação vai achatando-as e empurrando-as para o interior, ficando a área ao redor amarelada e muito dolorosa, dificultando a deambulação. Esse tipo de verruga profunda é chamado de mirmécia. As lesões podem se agrupar formando placas com hiperceratoses, Verrugas em mosaico: geralmente apresentam pontos negros que são vasos sangüíneos.

 

Figura 2: Verruga plantar.

 

 

Verruga Plana

Observada em cerca de 3,5% dos casos de Verrugas: apresentam-se como pápulas planas pequenas, com pouca hiperceratose, em geral múltiplas e de localização preferencial na face de crianças, dorso das mãos de adultos, área da barba (homens) e pernas (mulheres).

 

Verruga Filiforme

Representam 2% dos casos de Verrugas: em geral são lesões isoladas, ou pouco numerosas, semelhantes a espículas que surgem perpendicularmente ou obliquamente à superfície cutânea. Áreas de predileção: face, pescoço e comissuras da boca.

 

Verruga Anogenital

Também chamada condiloma acuminado são pápulas vegetantes, não ceratósicas, rosadas e úmidas, que aumentam em número e coalescern formando placas vegetantes na mucosa da genitália masculina e feminina e ao redor do ânus. Podem durar de poucas semanas a muitos anos. Até 70% das infecções genitais pelo HPV podem ser subclínicas.

 

Epidermodisplasia Verruciforme

É forma rara, causada por alguns tipos de HPV em indivíduos com defeito na imunidade celular. Como resultado, há disseminação das lesões verrucosas, em geral planas, e pela ação oncogênica dos vírus, desenvolvimento de carcinomas, principalmente em áreas expostas ao sol. Em cerca de 25% dos casos há ocorrência familiar. Inicia-se na infância ou na adolescência.

 

Condiloma Acuminado Gigante de Buschke e Loewenstein

Ocorre pelo crescimento exuberante das lesões, formando massas vegetantes em torno da glande, às vezes obstruindo a vulva e ou o ânus. Histologicamente, geralmente é um carcinoma espinocelular bem diferenciado.

 

SINONÍMIA DAS VERRUGAS

“Berruga”.

 

ETIOLOGIA DAS VERRUGAS

Os vírus que causam Verrugas pertencem à família Papillomavirus humano HPV (existem mais de 60 tipos).

 

      Verruga vulgar: HPV 1, 2, 4, 26-29.

      Verruga plantar: HPV 1, 4 e 63.

      Verruga plana: HPV 2, 3, 10, 26-29 e 41.

      Verruga filiforme: HPV 2, 3, 10, 23-29 e 41.

      Verruga anogenital: HPV não associados a displasia 6, 11, 30, 43, 44 e 55. HPV associados ao câncer 16, 18, 31, 32, 33, 35, 39, 42, 51-54.

 

RESERVATÓRIO

O homem.

 

MODO DE TRANSMISSÃO DAS VERRUGAS

O modo de transmissão é através do contato entre pessoas e, algumas vezes, indiretamente: também pode ser por autoinoculação. Pequenos traumatismos predispõem à infecção. Acredita-se que cada nova lesão seja resultado de autoinoculação. 0 grau de infectividade é alto nas Verrugas genitais, embora haja poucos vírus nessas lesões e, baixo, nas Verrugas comuns e plantares, embora as plantares apresentem uma grande quantidade de vírus. São considerados fatores de risco: dermatite atópica, imunossupressão, promiscuidade. A gravidez estimula o crescimento de Verrugas e condilomas pré-existentes. Parece haver transmissão no uso de piscinas.

 

PERÍODO DE INCUBAÇÃO

Varia de 2 a 6 meses.

 

PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE DAS VERRUGAS

Desconhece-se. Imagina-se que enquanto houver lesão.

 

COMPLICAÇÕES DAS VERRUGAS

Disseminação em pacientes suscetíveis e imunodeprimidos.

 

DIAGNÓSTICO DAS VERRUGAS

Clínico, epidemiológico e laboratorial (Colpocitologia - teste do acido acético 5% - aplicado na área genital, opacifica o epitélio displásico ou metaplásico – imuno-histoquímica: tipagem viral através da biópsia de pele e emprego de técnicas de biologia molecular - histopatologia).

 

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

Verrugas Genitais

  Condiloma plano: forma lesões pápulo-erosivas, hipertróficas e maceradas, cor da pele, em áreas genitais ou perianais. Causada pelo Treponema pallidum fazendo parte do período secundário da sífilis. Nesses casos o VDRL é positivo.

  Molusco contagioso: dermatovirose que se manifesta por pápulas peroladas com depressão central.

  Carcinoma espinocelular: inicia-se por uma pápula quase sempre com superfície ceratásica, podendo evoluir para uma úlcera ou erosão, ou ainda como uma lesão vegetante ou úlcero-vegetante.

  Papulose bownóide: clínicamente as lesões parecem benignas mas ao exame histopatológico, encontram-se atipias celulares na epiderme, estando fortemente associada ao HPV16. São pápulas pequenas, usualmente múltiplas, às vezes pigmentadas, presentes nas superfícies cutâneas ou mucosas da região anogenital: na maioria das vezes há história de tratamento anterior de Verrugas genitais com podofilina, que possivelmente estimula a ação oncogênica dos HPV. A evolução para carcinoma é observada em menos de 5% dos casos.

  Coroa hirsuta do pênis (pápulas peroladas): minipápulas, hemisféricas, cônicas ou aplanadas, às vezes filiformes, localizadas no sulco bálano-prepucial ou na coroa da glande; assintomáticas, raras na criança e freqüentes no adulto; não necessitam de tratamento.

 

Verrugas Plana e Vulgar

  Líquen plano: pápulas poligonais, achatadas, de superfície lisa, brilhante e cor vermelho violácea. Na superfície há estrias ou pontuações esbranquiçadas em rede (estrias de Wickham), geralmente tem distribuição simétrica; as lesões mucosas ocorrem em 11% dos casos; pode haver prurido.

  Ceratose seborréica: pápulas circunscritas, ligeiramente elevadas, verrucosas, cuja cor varia do castanho claro ao escuro, recobertas por escamas aderentes, córneas e graxentas que, quando retiradas, mostram superfície mamilonada ou sulcada.

  Ceratose actínica: lesões máculo-papulosas, recobertas por escamas aderentes, secas, duras, de superfície áspera, de cor amarela a castanho escura, freqüentes nas áreas expostas à luz solar de pessoas idosas ou adultos de meia-idade de pele clara.

  Carcinoma espinocelular: pode se apresentar como úlcera ou como lesão de crescimento irregular, refratária ao tratamento para verruga.

  Dermatose papulosa nigra: variante da ceratose seborréica, ocorre mais em mulheres negras, representada por pápulas pretas, ligeiramente elevadas, localizadas na face, particularmente na região malar.

 

Verrugas Filiformes

  Acrocórdon: geralmente surge na meia-idade, quase sempre em mulheres e principalmente no período pós-gravidez; pápulas filiformes da cor da pele ou castanho-preta, principalmente no pescoço, porção superior do tronco e axilas.

 

TRATAMENTO DAS VERRUGAS

Observações Gerais

Evitar tratamentos agressivos que podem resultar em dor e cicatrizes inestéticas. Expectativa de sucesso de 60-90%,em qualquer forma de tratamento, não havendo nenhum estudo na literatura médica atual que demonstre a forma mais efetiva de tratamento.

 

Tratamento Tópico

      Ceratolíticos: utilizados para Verrugas vulgares, planas, palmares e plantares, periungueais. Podem causar dor, ardor, erosão ou inflamação.

-      Ácido salicilíco: principal agente queratolítico utilizado em Dermatologia, que exerce essa ação em concentrações superiores à 4%. Quando em excesso, absorvido pela pele, pode produzir quadro tóxico: nauseas, vômitos, dispnéia, tinidos e alucinações. a) Ácido salicílico 16%: aplicar compressas com água morna e lixar; proteger a pele ao redor da lesão com vaselina, aplicar o medicamento e cobrir com esparadrapo. Aplicação diária até desaparecimento das lesões; b) Ácido salicílico 27'%: mais utilizada para lesões palmo-plantares e periungueais; c) Ácido salicílico 40%: “patches” que são aplicados sobre a lesão com curativo oclusivo, devendo ser removidos após 48h. Mais utilizado para Verrugas plantares.

-      Podofilina: indicada para condilomas acuminados (verruga genital) em solução alcoólica a 25%. É um antimitótico e não deve ser usado em gestantes.

      • Cáusticos químicos: ácido nítrico fumegante, ácido tricloroacético - 50-75%.

      • Eletrocauterização: com bisturi elétrico.

      • Criocirurgia: com nitrogênio líquido.

Observação: Excisão e sutura das lesões devem ser evitadas pela disseminação do vírus.

 

Cirúrgico

Opção terapêutica para casos específicos (falha terapêutica, Verrugas filiformes e periorificiais) e devem ser reservadas para uso no nível secundário ou terciário.

 

CARACTERÍSTICAS EPIDEMIOLÓGICAS DAS VERRUGAS

As Verrugas são encontradas em 7 a 10% da população e podem ocorrer em qualquer idade, porém são mais freqüentes em crianças e adultos jovens.

 

OBJETIVOS DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

Não se aplica.

 

NOTIFICAÇÃO

Não é doença de notificação compulsória.

 

MEDIDAS DE CONTROLE DAS VERRUGAS

Explicar a etiologia da doença, enfatizando que algumas pessoas são mais susceptíveis. Orientar os pacientes quanto ao uso adequado do medicamento (quando for possível o uso domiciliar) por tratar-se de substância cáustica. Orientar quanto ao risco da auto-inoculação. Incentivar que familiares com quadro semelhante procurem o atendimento.

Desestimular uso de produtos populares agressivos, chamando atenção para o caráter autolimitado da doença. Evitar uso de piscinas. Deve ser explicado que o desaparecimento da lesão não significa a erradicação completa da doença. As recidivas são freqüentes. Pacientes do sexo feminino com Verrugas genitais ou parceiras de pacientes masculinos com Verrugas genitais devem ser monitoradas anualmente através de exame colpocitológico e exame ginecológico devido ao risco de câncer do trato genital causado por alguns tipos de vírus. Em crianças com lesões anogenitais, deve ser levantada a possibilidade de abuso sexual.

 

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO

Consta no documento:

“Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”

O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal