FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Insuficiencia Adrenal Parte 1 22 Min" obteve 24 resultados.

Página:  de 3

Aulas

Insuficiência adrenal (Parte 1) - 22 min

...Nesta aula, a dra. Antonela Catania discute a avaliação, o diagnóstico e o tratamento da insuficiência adrenal.......

Conteúdo em vídeo

Aulas

Insuficiência adrenal (Parte 2) - 28 min

...Na 2ª parte desta aula, a dra. Antonela Catania segue a discussão sobre a avaliação, o diagnóstico e o tratamento da insuficiência adrenal.......

Conteúdo em vídeo

25/10/2013

Revisões Internacionais

Distúrbios do equilíbrio ácido-base – Stuart L. Linas

...o geralmente é desnecessária nos casos de cetoacidose, pois aparentemente não há diferença em termos de mortalidade entre pacientes tratados com bicarbonato de sódio e indivíduos-controle. Neste contexto, a terapia com bicarbonato de sódio pode atuar como fator de risco de desenvolvimento subsequente de edema cerebral.25 Nota do editor: Na primeira hora de tratamento a reposição de liquido pode ......

Ver Índice

29/06/2016

Revisões Internacionais

asma

...eríodos de mais exposições aos aeroalérgenos. Os efeitos colaterais locais incluem: a glossite, dor de garganta, rouquidão, disfonia e candidíase oral. A candidíase oral ocorre em 5 a 15% dos pacientes que usam glicocorticoides inalatórios. Lavar a boca com água após cada uso, utilizar um espaçador (no caso do inalador de doses medidas), ou a realização de ambas as ações podem diminuir a incidênci......

Ver Índice

29/03/2009

Revisões

Síndrome de Cushing

...o diferencial entre adenomas e carcinomas é feito por um conjunto de 9 critérios histológicos, os critérios de Weiss. Tumores com menos de 3 critérios são adenomas e não apresentam risco de disseminação metastática; por outro lado, a presença de mais de 3 critérios de Weiss indica o diagnóstico de adenocarcinoma adrenal. Os adenomas são os tumores do córtex adrenal mais comuns na idade adulta. A......

Ver Índice

07/05/2013

Revisões Internacionais

Doenças do metabolismo do cálcio e doença óssea metabólica – Carolyn Becker

...hecido responsável pela HMH é a proteína relacionada ao paratormônio (PTHrP).19 Normalmente, a PTHrP parece atuar como fator parácrino em uma variedade de tecidos (p. ex., ossos, pele, mama, útero e vasos sanguíneos). Esta proteína está envolvida na manipulação do cálcio celular, contração da musculatura lisa, além do crescimento e desenvolvimento. A porção aminoterminal da PTHrP é homóloga àquela......

Ver Índice

18/12/2015

Revisões

Crises de feocromocitoma

...rrer. A segurança da cirurgia num paciente com deterioração da CF permanece incerta. Referências 1-Whitelaw BC et al. Phaeochromocytoma crisis. Clinical Endocrinology 2014; 80:13-22. 2-Pacak, K., Eisenhofer, G., Ahlman, H. et al. (2007) Pheochromocytoma: recommendations for clinical practice from the First International Symposium. October 2005. Nature clinical practice Endocrinology &......

Ver Índice

15/09/2016

Revisões

Choque Circulatório

...l, mas todas as estratégias para atingir esse objetivo têm limitações. Após a correção da hipoxemia e anemia grave, o débito cardíaco é o principal determinante da oferta de oxigênio, mas o débito cardíaco ideal é difícil de definir. As medições de saturação de oxigênio no sangue venoso misto (SvO2) podem ser úteis na avaliação da adequação do equilíbrio entre a demanda e oferta de oxigênio. As me......

Ver Índice

23/11/2010

Casos Clínicos

Sarcoidose

...s, a dose deve ser diminuída lentamente até atingir a dose de manutenção (5 a 10 mg/dia), que deve ser mantida por pelo menos 12 meses. Após término do tratamento, os pacientes devem ser monitorados para possibilidade de reagudização da doença. Alguns pacientes necessitam de tratamento contínuo. Para sarcoidose cardíaca ou neurológica, doses mais altas devem ser utilizadas (60 a 80 mg de prednison......

Ver Índice

20/01/2014

Revisões Internacionais

Ressuscitação cardíaca – Terry J. Mengert

...a não retorna mesmo após a instituição das intervenções iniciais apropriadas. Esta situação impõe uma questão decisiva aos ressuscitadores: por que este paciente está morrendo bem agora? O desafio intelectual desta questão, que os ressuscitadores devem diligentemente tentar responder e à beira do leito, é acrescido da intensidade emocional que permeia a maioria das ressuscitações cardíacas. Os pr......

Ver Índice

Página:  de 3

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal