Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Vacina Dupla dt" obteve 31 resultados.

Página:  de 4

18/06/2012

Remédios

Vacina Contra Difteria e Tétano

...iátrica. 1 dose aos 2 meses, 4 meses e 6 meses de idade. 1º reforço com 15 meses de idade. 2º reforço com 5 a 6 anos de idade. Depois disso, reforços a cada 10 anos, com vacina dupla de adultos. Cuidados especiais Risco na gravidez Classe C. Amamentação Não há evidências de riscos para a criança. Não usar o produto Doença febril; hipersensibilidade ao produto; infecção tetânica......

Ver Índice

02/08/2010

Medicamentos Injetáveis - Utilização Segura

Vacina contra Difteria e Tétano

...S IMPORTANTES • Adiar a imunização se o paciente apresentar poliomielite súbita; infecção respiratória aguda (ou outra infecção ativa); doença febril. • Pacientes que estejam tomando agentes imunossupressores (corticosteroides, antimetabólitos, agentes alquilantes ou radioterapia), pacientes imunodeprimidos ou que tenham recebido recentemente aplicações de imunoglobulina podem não resp......

Ver Índice

20/08/2013

Revisões

Imunização em pacientes adultos

...entes e imunodeprimidas, sem história bem definida da doença e/ou de vacinação anterior; 2. pessoas com imunossupressão celular grave, independentemente de história anterior. b. Que tenha havido contato significativo com o vírus varicela zoster, isto é: 1. contato domiciliar contínuo – permanência junto ao doente durante pelo menos uma hora em ambiente fechado; 2. contato hospitala......

Ver Índice

18/06/2012

Remédios

Vacina Contra Difteria, Tétano e Coqueluche

... Como se usa USO INJETÁVEL ADMINISTRAÇÃO: Via Intramuscular. USO INJETÁVEL – DOSES CRIANÇAS: aos 2 meses, 4 meses e 6 meses de idade. 1º reforço com 15 meses de idade. 2º reforço com 5 a 6 anos de idade. Com 15 anos de idade, e a partir daí a cada 10 anos, reforços com a vacina dupla, difteria e tétano (DT) para adultos. Cuidados especiais Risco na gravidez Classe C. Nã......

Ver Índice

02/08/2010

Medicamentos Injetáveis - Utilização Segura

Vacina contra Difteria, Tétano e Coqueluche

...AÇÃO: Via Intramuscular. USO INJETÁVEL – DOSES Crianças Aos 2 Meses, 4 Meses e 6 Meses de Idade · 1º reforço com 15 meses de idade. · 2º reforço com 5 a 6 anos de idade. · Com 15 anos de idade, e a partir daí a cada 10 anos, reforços com a vacina dupla, difteria e tétano (DT) para adultos. CUIDADOS ESPECIAIS Risco na Gravidez Classe C: Não há estudos adequados em mulh......

Ver Índice

03/07/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Difteria

...ortanto, sob o risco de adquirir a doença, quer sejam moradores do mesmo domicílio ou não. • A investigação de comunicantes deve ser feita na residência, creche, escola, orfanatos, quartéis e outros locais que possibilitaram o contato íntimo com o caso. • Assim, além dos comunicantes domiciliares, devem ser considerados os colegas da mesma classe, os que usam o mesmo meio de transpo......

Ver Índice

24/06/2009

Biblioteca Livre

CAPÍTULO 4 – Sistema de Vigilância Epidemiológica de Eventos Adversos Pós-vacinais

...te, mas sem evidência de reação inflamatória 9 Enduração Tipo de reação com endurecimento no local de aplicação 13 Episódio hipotônico hiporresponsivo Palidez ou cianose perioral, hipotonia (“flacidez”) e diminuição de resposta a estímulos de curta duração 17 Exantema Erupção cutânea generalizada com ou sem prurido 10 Febre maior ou igual a 39,5°C Verifi......

Ver Índice

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita

...e Rubéola, e desses 1.854 (92,5%) encerrados pelo critério laboratorial. Durante 2008, o Brasil realizou-se uma ampla campanha de vacinação contra Rubéola quando foram imunizados 65,9 milhões de pessoas atingindo-se cobertura 94,06% da população meta. Este esforço tem o propósito de eliminar a circulação do vírus da Rubéola com vistas a se evitar os casos da SRC. Vigilância Epidemiológica Obj......

Ver Índice

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita

...eso mais os seguintes sinais clínicos ou complicações, de forma isolada ou associada: catarata/glaucoma congênita ou cardiopatia congênita ou surdez. é preconizado que todos os casos suspeitos de SRC tenham amostras coletadas para se proceder ao diagnostico laboratorial. · Aborto ou perda fetal devido à infecção pelo vírus da rubéola - Caso de abortamento ou de natimorto resultante de gestaçã......

Ver Índice

12/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Tétano Neonatal

...al do SUS. PRIMEIRAS MEDIDAS A SEREM ADOTADAS Assistência Médica ao Paciente Hospitalização imediata do recém-nato. Qualidade da Assistência Praticamente, todos os casos necessitam de internação em unidades de terapia intensiva, de maior complexidade ou unidades especiais com atendimento por profissionais médicos e de enfermagem qualificados. Alguns cuidados são necessários com relação ......

Ver Índice

Página:  de 4

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal