FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Crianca de 1 Ano e 5 Meses Com Febre ha 5 Dias" obteve 117 resultados.

Página:  de 12

20/01/2021

Casos Clínicos

Criança de 1 Ano e 5 Meses com Febre Há 5 Dias

...sico, apresenta roncos à ausculta em hemitóraxdireito. A imagem em ultrassonografia demonstra consolidação em pulmão direito.Estudos indicammaior sensibilidade da ultrassonografia point of care do que daradiografia de tórax para diagnóstico de pneumonias, detectando consolidação emquase 90% dos casos e hepatização em 35 a 40% dos casos. Nessa situação, aconsolidação parece ser volumosa e densa, o ......

Ver Índice

21/06/2013

Biblioteca Livre

Protocolo de Tratamento de Influenza – 2013

... • Rouquidão; • Hiperemia conjuntival. As queixas respiratórias, com exceção da tosse, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantém-se, em geral, por três a quatro dias após o desaparecimento da febre. A rouquidão e a linfadenopatia cervical são mais comuns em crianças. A tosse, a fadiga e o mal-estar frequentemente persistem pelo período de uma a duas semanas e ra......

Ver Índice

11/11/2015

Biblioteca Livre

V

...ações plasmáticas de ambos os fármacos. t Felbamato: pode resultar no aumento das concentrações plasmáticas de valproato. A redução da dose do valproato pode ser necessária. t Fenitoína: pode resultar na alteração das concentrações plasmáticas de ambos os fármacos. Monitorar o paciente quanto à eficácia e efeitos tóxicos da fenitoína. Se possível, o monitoria das concentrações plasmáticas de fen......

Ver Índice

11/11/2015

Biblioteca Livre

C

... (solução oral) ou 12 horas (comprimido), aumentada semanalmente em 200 mg por dia, administrado por via oral, a cada 6 a 8 horas até obter resposta clinica. Dose de manutenção usual 800 a 1.000 mg, por via oral, a cada 6 a 8 horas para crianças até 15 anos, e até 1.200 mg, por via oral, a cada 6 a 8 horas para crianças acima de 15 anos. Adultos Convulsões parciais simples e complexas e secun......

Ver Índice

12/01/2009

Revisões

Bronquiolite em Pediatria

... de Infecção Hospitalar, juntamente com a equipe médica, devem estar orientadas a reforçar as medidas de controle principalmente nas estações de maior incidência da doença, uma vez que pode ser responsável por significativa morbidade nosocomial24. Os pacientes com fatores de risco para a gravidade e complicações da doença, citados anteriormente, devem evitar os locais de aglomeração de pessoas, ......

Ver Índice

19/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Coqueluche

... Departamento de Vigilância Epidemiológica 8ª edição revista BRASÍLIA / DF – 2010 Coqueluche CID 10: A37 ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS Descrição Doença infecciosa aguda, transmissível, de distribuição universal, que compromete especificamente o aparelho respiratório (traqueia e brônquios) e se caracteriza por paroxismos de tosse seca. Ocorre sob as formas endêmica e epidêmic......

Ver Índice

19/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Coqueluche

...gente sobreviver fora do hospedeiro. Período de Incubação Em média, de 5 a 10 dias, podendo variar de 1 a 3 semanas e, raramente, ate 42 dias. Período de Transmissibilidade Para efeito de controle, considera-se que esse período se estende de 5 dias apos o contato com um do ente (final do período de incubação) ate 3 semanas apos o inicio dos acessos de tosse típicos da doença (fase paroxí......

Ver Índice

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita

... e laboratorial. O feto infectado é capaz de produzir anticorpos específicos da classe IgM e IgG para Rubéola, antes mesmo do nascimento. A presença de anticorpos IgM específicos para Rubéola no sangue do recém-nascido e evidencia de infeccao congênita, haja vista que esse tipo de imunoglobulina não ultrapassa a barreira placentária. Os anticorpos IgM podem ser detectados em 100% das crianças com ......

Ver Índice

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita

...ênitas: parvovírus B19, toxoplasmose, sífilis, malária, citomegalovírus, herpes, varicela-zoster, HIV, hepatite B, enterovírus, dentre outras. Tratamento Não há tratamento especifico. Características Epidemiológicas Antes da introdução da vacina nos programas de imunização, ocorriam surtos de Rubéola a cada 3 – 6 anos, com consequente aumento no numero de casos da SRC nesses períodos. No......

Ver Índice

07/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Meningites

...uto e prolongado, tem sido adotada como eficaz medida na prevenção de casos secundários. Está indicada para os contatos íntimos de casos de doença meningocócica e meningite por Haemophilus influenzae e também para o paciente, no momento da alta, no mesmo esquema preconizado para os contatos, exceto se o tratamento foi com ceftriaxona, pois há evidências de que esta droga é capaz de eliminar o meni......

Ver Índice

Página:  de 12

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal

×
×

Em função da pandemia do Coronavírus informamos que não estaremos prestando atendimento telefônico temporariamente. Permanecemos com suporte aos nossos inscritos através do e-mail info@medicinanet.com.br.