Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Ciclofosfamida

Última revisão: 06/02/2010

Comentários de assinantes: 0

Reproduzido de:

Formulário Terapêutico Nacional 2008: Rename 2006 [Link Livre para o Documento Original]

Série B. Textos Básicos de Saúde

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos

Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos

Brasília / DF – 2008

 

Ciclofosfamida

 

José Gilberto Pereira

 

Na Rename 2006: itens 6.1.1 e 7.1

 

APRESENTAÇÕES

      Pó para solução injetável 200 mg e 1 g.

      Comprimido 50 mg.

 

INDICAÇÕES2,4,5

      Câncer de não-pequenas células de pulmão.

      Câncer de mama.

      Carcinoma ovariano.

      Doença de Hodgkin (estádios III e IV).

      Glomerulonefrite lúpica proliferativa.

      Granulomatose de Wegener.

      Histiocitose maligna.

      Leucemia linfocítica crônica.

      Leucemia mielóide aguda e crônica.

      Linfoma de Burkitt.

      Linfoma de células de Mantle (estádios III e IV).

      Linfoma maligno (pequenas e grandes células).

      Linfoma maligno nodular ou difuso (pequenas células).

      Linfoma não-Hodgkin.

      Micose fungóide avançada.

      Mieloma múltiplo.

      Neuroblastoma disseminado.

      Osteossarcoma.

      Rabdomiosarcoma.

      Retinoblastoma.

      Sarcoma de Ewing.

      Síndrome nefrótica (em pacientes não tolerantes a corticosteróides).

      Tumor refratário de células germinativas (previamente a transplante de medula óssea).

      Vasculite cerebral.

 

CONTRA-INDICAÇÕES4,5

• Hipersensibilidade à Ciclofosfamida.

• Mielossupressão grave.

 

PRECAUÇÕES2,4,5

      O fármaco associa-se a carcinogênese, mutagênese, infertilidade, toxicidade cardíaca, cistite hemorrágica, aumento de infecções, interferência na cicatrização de feridas, leucopenia, trombocitopenia, tumor de medula óssea com infiltração celular.

      Cautela em pacientes com quimioterapia ou radioterapia prévias, insuficiência hepática, adrenalectomia.

      Em insuficiência renal, é necessário o ajuste de dose (ver apêndice D).

      Sensibilidade cruzada com outros alquilantes para risco de reações anafiláticas.

      Lactação (ver apêndice B).

      Categoria de risco na gravidez (FDA): D (ver apêndice A).

 

ESQUEMAS DE ADMINISTRAÇÃO5

Adultos

      Câncer de não-pequenas células de pulmão: metotrexato 80 mg/m²/dia nos dias 1 e 8; Ciclofosfamida 800 mg/m² no dia 1; cisplatina 80 mg/m² no dia 1. Repetir o ciclo a cada 3 semanas.

      Câncer de mama: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Ou ácido folínico 100 mg/m²/dia e fluoruracila 340 mg/m²/dia nos dias de 1 a 3; mitoxantrona 12 mg/m²/dia, por via intravenosa, e Ciclofosfamida 600 mg/m²/dia no dia 1; G-CSF nos dias de 5 a 12. Repetir por 3 ciclos; alternativamente, idarrubicina 35 mg/m²/dia, por vioa oral, no dia 1 e Ciclofosfamida 200 mg/m²/dia, por via oral, nos dias de 3 a 6. Repetir o ciclo a cada 4 semanas, ou até uma dose máxima cumulativa de 400 mg/m² de idarrubicina.

      Carcinoma ovariano: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Ou regime CAP, Ciclofosfamida 600 mg/m², doxorrubicina 40 mg/m², cisplatina 100 mg/m², a cada 4 semanas.

      Doença de Hodgkin (estádios III e IV): (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção; ou regime MOPP, clormetina, vincristina, procarbazina, prednisona.

      Glomerulonefrite lúpica proliferativa: Ciclofosfamida 0,5 a 1 g/m² e prednisona para terapia de indução; manutenção com azatioprina 1 a 3 mg/kg/dia, por via oral.

      Granulomatose de Wegener: terapia de indução Ciclofosfamida 2 mg/kg/dia, por via oral, e prednisona 1 mg/kg/dia, por via oral; para manutenção utilizar azatioprina.

      Histiocitose maligna: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Ou regime COPBLAM, Ciclofosfamida, vincristina, prednisona, bleomicina, doxorrubicina e procarbazina.

      Leucemia linfocítica crônica: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Leucemia mielóide aguda: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Leucemia mielóide crônica: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Linfoma de Burkitt: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Linfoma maligno (pequenas e grandes células): (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Linfoma maligno nodular ou difuso (pequenas células): (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Linfoma não-Hodgkin: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Ou regime MACOP-B, doxorrubicina 50 mg/m², Ciclofosfamida 350 mg/m², metotrexato 400 mg/m², vincristina 1,4 mg/m², bleomicina 10 U/m², em associação com sulfametoxazol-trimetoprima e prednisona.

      Micose fungóide avançada: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Mieloma múltiplo: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Ou regime HiperVAD, Ciclofosfamida 300 mg/m², por via intravenosa, a cada 12 horas nos dias de 1 a 6, mesna 600 mg/m²/dia por 3 dias; após 12 horas do final da Ciclofosfamida iniciar vincristina 2 mg/m² e doxorrubicina 50 mg/m² como infusão intravenosa por 48 horas; repetir vincristina 2 mg/m² por via intravenosa rápida no dia 11; dexametasona 20 mg/m²/dia, por via oral, nos dias de 1 a 5 e nos dias de 11 a 14.

      Neuroblastoma disseminado: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Rabdomiosarcoma: regime VAC, Ciclofosfamida, doxorrubicina, vincristina, dactinomicina; a dosagem ótima ainda não foi estabelecida.

      Retinoblastoma: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Regime combinado de Ciclofosfamida e doxorrubicina, associado ou não a vincristina, ou teniposídeo, ou cisplatina.

      Sarcoma de Ewing: regime VAC, Ciclofosfamida, doxorrubicina, vincristina, dactinomicina; a dosagem ótima ainda não foi estabelecida.

      Tumor refratário de células germinativas (previamente ao transplante de medula óssea): ciclo único com carboplatina 1,5 g/m²/dia, etoposídeo 1,2 g/m²/dia e Ciclofosfamida 60 a 150 mg/kg/dia.

      Vasculite cerebral: 500 a 2.000 mg/m², por via intravenosa, ou 1 a 2 mg/kg, por via oral, a cada 1-3 meses.

 

Crianças

      Doença de Hodgkin (estádios III e IV): (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção; ou regime MOPP, clormetina, vincristina, procarbazina, prednisona.

      Glomerulonefrite proliferativa (Lúpus): inicialmente Ciclofosfamida 500 a 750 mg/m²/mês, titular a dose mensalmente até o máximo de 1 g/m². Doses menores de prednisona são requeridas para este regime de tratamento.

      Leucemia linfocítica crônica: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Leucemia linfóide aguda: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, po via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Leucemia mielóide aguda: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Ou regime CAT, Ciclofosfamida 500 mg/m² a cada 12 horas em 6 doses nos dias de 1 a 3, topotecano 1,25 mg/m²/dia, em infusão intravenosa contínua nos dias de 2 a 6, citarabina 2 g/m²/dia em infusão intravenosa por 4 horas nos dias de 2 a 6. Repetir o tratamento a cada 3 a 4 semanas.

      Leucemia mielóide crônica: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Linfoma de Burkitt: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Linfoma de células de Mantle (estádios III e IV): (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Linfoma maligno (pequenas e grandes células): (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Linfoma maligno nodular ou difuso (pequenas células): (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Linfoma não-Hodgkin: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Ou regime LSA2L2, Ciclofosfamida, metotrexato intratecal, vincristina, daunorrubicina, prednisona, citarabina, asparaginase, tioguanina, carmustina e hidroxiuréia.

      Micose fungóide avançada: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção.

      Mieloma múltiplo: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Ou regime HiperVAD, Ciclofosfamida 300 mg/m², por via intravenosa, a cada 12 horas nos dias de 1 a 6, mesna 600 mg/m²/dia por 3 dias; após 12 horas do final da Ciclofosfamida iniciar vincristina 2 mg/m² e doxorrubicina 50 mg/m² como infusão intravenosa por 48 horas; repetir vincristina 2 mg/m² IV rápida no dia 11; dexametasona 20 mg/m²/dia via oral nos dias de 1 a 5 e nos dias de 11 a 14.

      Neuroblastoma disseminado: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Ou regime MADDOC, clormetina, doxorrubicina, cisplatina, dacarbazina, vincristina e Ciclofosfamida.

      Osteossarcoma: Ciclofosfamida 500 mg/m²/dia IV e etoposídeo 100 mg/m²/dia, por 5 dias.

      Rabdomiosarcoma: regime VAC, Ciclofosfamida, doxorrubicina, vincristina, dactinomicina; a dosagem ótima ainda não foi estabelecida.

      Retinoblastoma: (monoterapia) 40 a 50 mg/kg, por via intravenosa, doses divididas em 2 a 5 dias; ou 10 a 15 mg/kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias; ou 3 a 5 mg/kg, por via intravenosa, duas vezes por semana; ou 1 a 5 mg/kg/dia, por via oral, para doses iniciais e manutenção. Regime combinado de Ciclofosfamida e doxorrubicina, associado ou não a vincristina, ou teniposídeo, ou cisplatina.

      Síndrome nefrótica (em pacientes não tolerantes aos adrenocorticosteróides): 2 mg/kg/dia por 12 semanas.

 

Reajuste em Insuficiência Renal

      DCE entre 50-10 mL/minuto: 75% da dose usual.

      DCE inferior a 10 mL/minuto: 50% da dose usual.

      DCE superior a 10 mL/minuto: dose usual a cada 12 horas.

      DCE inferior a 10 mL/minuto: dose usual a cada 18-24 horas.

 

ASPECTOS FARMACOCINÉTICOS CLINICAMENTE RELEVANTES5,6

      Pico de efeito: 1 hora.

      Metabolismo: hepático.

      Excreção: renal (5 a 25% em forma inalterada).

      Meia-vida de eliminação: 3 a 12 horas.

 

EFEITOS ADVERSOS4,5

      Alopecia.

      Náuseas e vômitos.

      Mielossupressão.

      Leucopenia.

      Acidose metabólica (31%).

      Cistite hemorrágica.

      Nefrotoxicidade (6%).

      Amenorréia, azoospermia, oligozoospermia.

      Cardiomiopatias.

      Pneumonia intersticial.

      Suscetibilidade a infecções.

      Síndrome de Stevens-Johnson.

      Necrólise epidérmica tóxica (raro).

      Neurotoxicidade (12%).

 

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS5

      Aumento de efeito de Ciclofosfamida: alopurinol.

      Diminuição de efeito de ciclosfofamida: ciclosporina, nevirapina, ondansetrona.

      O uso concomitante com mesna protege da cistite hemorrágica.

      O uso concomitante de vacinas com vírus vivos pode resultar em aumento do risco de infecção.

      O uso concomitante com tamoxifeno pode resultar em aumento do risco de tromboembolia.

      O uso concomitante com pentostatina pode resultar em cardiotoxicidade.

      O uso concomitante com etanercepte pode resultar no aumento da incidência de tumores sólidos não cutâneos.

      O uso concomitante com trastuzumabe pode resultar no aumento do risco de disfunções cardíacas.

 

ORIENTAÇÕES AOS PACIENTES4,5

      Orientar para aumentar abundamentemente a ingestão de líquidos.

      Alertar para a possibilidade de ocorrer infertilidade em homens e mulheres.

      Orientar para evitar imunizações sem notificação prévia.

      Alertar para evitar contato com pessoas acometidas de infecções.

      Advertir para adotar cuidado ao usar escova de dentes, fio dental, palito de dentes.

      Alertar para não tocar olhos ou interior do nariz sem lavar previamente as mãos.

      Alertar para cuidado em relação a não se cortar ao usar objetos afiados como barbeadores, cortador de unhas.

 

ASPECTOS FARMACÊUTICOS4-6

      Armazenar comprimidos e frascos de Ciclofosfamida em temperaturas entre 15 e 25°C.

      Não expor a solução a luz e congelamento.

      Para infusão intravenosa, reconstituir o pó com água estéril para injeção (livre de álcool benzílico); a solução permanece estável por 24 horas em temperaturas entre 15 e 30°C e por 6 dias se mantida sobre refrigeração (2 a 8°C).

      Para injeção intravenosa direta, reconstituir o pó em solução injetável de cloreto de sódio 0,9%.

      Se ao final da dissolução ainda se observar a presença de cristais, a solução deve ser aquecida por 15 minutos em temperaturas de 50 a 60°C.

      Uma solução oral extemporânea de Ciclofosfamida pode ser produzida a partir da quantidade desejada do pó liofilizado para injeção diluído em elixir aromático. A solução permanece estável por 2 semanas se acondicionada em frasco de vidro e mantida sob refrigeração.

      A mistura de Ciclofosfamida e mesna é compatível, mas permanece estável por até 24 horas em temperaturas entre 15 e 30°C.

      Compatível com: diversos antineoplásicos, anfotericina B e lansoprazol.

      Incompatível com: álcool benzílico.

 

ATENÇÃO: ocorrência de cistite hemorrágica, minorada pelo uso de mesna. Pode determinar mielossupressão grave.

 

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO

Consta no documento:

“Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”

O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal