Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Diuréticos

Última revisão: 24/05/2010

Comentários de assinantes: 0

Reproduzido de:

Formulário Terapêutico Nacional 2008: Rename 2006 [Link Livre para o Documento Original]

Série B. Textos Básicos de Saúde

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos

Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos

Brasília / DF – 2008

 

13.4.1 Diuréticos

 

Após o estudo ALLHAT,198 o papel dos Diuréticos ficou assentado na terapia da hipertensão, pois, em comparação a anlodipino, lisinopril e doxazosina (braço do estudo precocemente abandonado), clortalidona mostrou melhor desempenho em desfechos como incidência de doença arterial coronariana fatal, infarto não-fatal, mortalidade por todas as causas, acidente cerebrovascular e eventos cardiovasculares em diferentes extratos de gênero, raça e em pacientes com e sem diabetes melito. Postula-se que sua particular eficácia na prevenção de acidente cerebrovascular possa dever-se a propriedades específicas. Pela soma das evidências reforça-se a idéia de que Diuréticos são a primeira escolha para o tratamento da hipertensão arterial105.

Espironolactona – antagonista de aldosterona e diurético poupador de potássio – pode ser associada a Diuréticos espoliadores de potássio para corrigir a perda desse íon, com a vantagem adicional de incrementar o efeito diurético pela correção do hiperaldosteronismo secundário induzido pelo uso crônico desses agentes. Em hipertensão refratária a tratamento, a administração de 25 mg/dia de espironolactona em adição a outros três anti-hipertensivos em média determinou queda significativa da pressão arterial199.

Hidroclorotiazida, em baixas doses, mostrou-se eficaz em prevenir tanto doença arterial coronariana quanto cerebrovascular. É o agente preferencial para iniciar a terapia da maioria dos hipertensos. Pode ser usado em monoterapia ou em associação com anti-hipertensivos de outras classes para evitar a pseudotolerância. A comparação entre hidroclorotiazida (25 mg/dia) e clortalidona (12,5 mg/dia) em hipertensos virgens de tratamento mostrou que clortalidona reduziu mais a pressão arterial sistólica, evidenciada por MAPA ambulatorial. Essa diferença não ficou evidente em medidas convencionais de pressão arterial em consultório200.

 

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO

Consta no documento:

“Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”

O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal