FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

11 Avaliação das Atividades de Controle da Tuberculose nas UBS

Última revisão: 31/03/2011

Comentários de assinantes: 0

Reproduzido de:

MANUAL TÉCNICO PARA O CONTROLE DA TUBERCULOSE: CADERNOS DE ATENÇÃO BÁSICA – 6ª ed., revista e atualizada [Link Livre para o Documento Original]

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Secretaria de Atenção à Saúde

Departamento de Atenção Básica

Série Cadernos de Atenção Básica – Série A. Normas e Manuais Técnicos, nº 148

BRASÍLIA / DF – 2002

 

11. Avaliação das Atividades de Controle da Tuberculose Desenvolvidas nas Unidades Básicas de Saúde

 

A avaliação das atividades de tuberculose compreende a avaliação da situação epidemiológica da tuberculose e das medidas de controle que são utilizadas. A avaliação das medidas de controle permite estimar a extensão do alcance das metas e objetivos planejados e, para tal, é importante que estes tenham sido definidos previamente e que indicadores epidemiológicos e operacionais tenham sido estabelecidos para a estimativa dessas metas. A Área Técnica de Pneumologia Sanitária propõe o acompanhamento contínuo e permanente das metas estabelecidas no Plano Nacional de Controle da Tuberculose através dos indicadores de busca, diagnóstico e acompanhamento dos casos de tuberculose e os indicadores de resultado de tratamento, a partir de dados provenientes das unidades de saúde dos municípios (ver quadros abaixo). O Livro de Registro e Acompanhamento de casos de tuberculose e o Livro de laboratório (Anexo III) permitem acompanhar a evolução e o resultado do tratamento dos doentes e analisar os resultados e a qualidade das atividades de controle desenvolvidas nas unidades básicas de saúde. A análise realizada no nível local (UBS, PSF, distritos e municípios), permite redirecionar as estratégias de controle mais rapidamente, aprimorando, dessa forma, a vigilância à tuberculose. Por exemplo, uma baixa proporção de sintomáticos respiratórios examinados e alta proporção de baciloscopias para diagnóstico positivas indicam utilização insuficiente da baciloscopia, com demora diagnóstica que resulta em um maior risco de transmissão e maior gravidade dos casos.

Uma baixa proporção de negativação baciloscópica indica falta de controle baciloscópico ou atraso na negativação devido a tratamentos irregulares, falta de supervisão da tomada dos medicamentos, casos avançados com grande população bacteriana ou resistência bacteriana.

Nos níveis municipal, estadual e federal os dados coletados nos diversos sistemas de informação, tais como o SINAN, SIAB, SIM, SIA/SUS, SIHSUS, SIS-PNI, bem como dados sociodemográficos devem ser utilizados para uma análise mais ampliada da situação da tuberculose nesses níveis.

 

AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES DE CONTROLE DA TUBERCULOSE DESENVOLVIDAS NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

INDICADORES DE BUSCA, DIAGNÓSTICO E ACOMPANHAMENTO DOS CASOS DE TUBERCULOSE

VARIÁVEL

INDICADOR

OBJETIVO E OPERACIONALIZAÇÃO

I DETECÇÃO: número e proporção de adultos sintomáticos respiratórios detectados que realizaram baciloscopia de escarro.

1.1 Número de sintomáticos respiratórios detectados entre todos os adultos que se consultam na UBS por qualquer motivo;

1.2 Percentual de pacientes com baciloscopia positiva entre todos os sintomáticos respiratórios examinados.

Necessário para dar idéia de cobertura do Programa e para o planejamento de recursos para os serviços.

Dados do Registro Geral das UBSs e do Livro de Laboratório.

II QUALIDADE DO DIAGNÓSTICO: número de casos de tuberculose diagnosticados no último trimestre segundo localização, resultado da baciloscopia e tratamento anterior.

A avaliação dessa variável é adequada quando:

    mais de 50% dos casos diagnosticados são de localização pulmonar e com baciloscopia positiva;

    todos os casos pulmonares em adultos realizaram baciloscopias de escarro.

2.1 Localização:

    percentual de casos pulmonares;

    percentual de casos extrapulmonares.

2.2 Baciloscopia:

    percentual de positivos;

    percentual de negativos.

2.3 Tratamento anterior:

    percentual de casos novos;

    percentual de casos de retratamento.

Verificar se os profissionais de saúde estão utilizando, prioritariamente, a baciloscopia para efetuar o diagnóstico.

Verificar a tendência do percentual de casos de retratamento (indicador de acompanhamento dos casos).

Dados do Livro de Registro e Acompanhamento dos casos de tuberculose.

III- RESULTADO DO TRATAMENTO:

Proporção de casos novos de tuberculose pulmonar bacilíferos tratados, segundo critério de alta.

Realiza-se a análise da coorte que inclui todos os casos novos pulmonares positivos registrados no trimestre um ano antes.

Considera-se uma avaliação adequada quando se obtêm mais de 85% de “sucesso” (alta por cura e alta por completar o tratamento) e menos de 5% de alta por abandono.

3.1 Percentual de altas por cura (comprovada por negativação da baciloscopia).

3.2 Percentual de altas por completar o tratamento.

3.3 Percentual de altas por abandono.

3.4 Percentual de altas por mudança de diagnóstico.

3.5 Percentual de altas por óbito.

3.6 Percentual de altas por falência.

3.7 Percentual de altas por transferência.

Verificar a qualidade do acompanhamento dos casos e supervisão do tratamento.

Analisar a tendência do percentual de sucesso do tratamento.

Dados do Livro de Registro e Acompanhamento dos casos de tuberculose.

 

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO

Consta no documento:

“É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte.”

O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal