FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Estreptoquinase

Estreptoquinase

(injetável) (substância ativa)

Referência: streptase (CSL Behring)

Genérico: não

Similar: solustrep (Bergamo)

 

Uso injetável

Injetável (pó) 250.000 UI: streptase

Injetável (pó) 750.000 UI: streptase

Injetável (pó) 1.500.000 UI: streptase; Solustrep

 

Armazenagem antes de aberto

Temperatura ambiente (15-30°C).

 

O que é

fibrinolítico; antitrombótico; trombolítico [enzima trombolítica; estreptococo (fibrinolisina do): a Estreptoquinase é produto secretado por estreptococos beta-hemolíticos do grupo C; é um produto antigênico].

 

Para que serve

embolia pulmonar; embolismo; infarto agudo do miocárdio; oclusão de cânula arteriovenosa (desobstrução); trombose arterial.

 

Como age

ativa o sistema fibrinolítico endógeno. Facilita mecanismos que farão a transformação de plasminogênio em plasmina. A plasmina destroi coágulos de fibrina.

 

Como se usa

Uso injetável – Preparação

Estreptoquinase (pó) 250.000 UI – Infusão intravenosa reconstituição

Diluente: Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%. Volume: 5 mL.

Estabilidade após reconstituição refrigeração (2-8°C): 8 horas

Diluição

Diluente: Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%. Volume: 100 mL.

Estabilidade após diluição com Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%

refrigeração (2-8°C): 24 horas.

Tempo de infusão

doses inferiores a 250.000 UI: até 60 minutos.

doses superiores a 250.000 UI: 24 a 72 horas, com bomba de infusão.

 

Estreptoquinase (pó) 750.000 UI – Infusão intravenosa

Reconstituição

Diluente: Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%. Volume: 5 mL.

Estabilidade após reconstituição refrigeração (2-8°C): 8 horas.

Diluição

Diluente: Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%. Volume: 100 mL.

Estabilidade após diluição com Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%

refrigeração (2-8°C): 24 horas.

Tempo de infusão

doses inferiores a 250.000 UI: até 60 minutos.

doses superiores a 250.000 UI: 24 a 72 horas, com bomba de infusão.

 

Estreptoquinase (pó) 1.500.000 UI – Infusão intravenosa

Reconstituição

Diluente: Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%. Volume: 5 mL.

Estabilidade após reconstituição refrigeração (2-8°C): 8 horas.

Diluição

Diluente: Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%. Volume: 100 mL.

Estabilidade após diluição com Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%

refrigeração (2-8°C): 24 horas.

Tempo de infusão

doses inferiores a 250.000 UI: até 60 minutos.

doses superiores a 250.000 UI: 24 a 72 horas, com bomba de infusão.

 

Uso injetável – Doses

• doses em termos de Estreptoquinase.

Adultos

embolia pulmonar; infarto agudo do miocárdio; trombose arterial; trombose venosa profunda; embolismo: 1.500.000 UI, por infusão intravenosa.

desobstrução da cânula arteriovenosa: 250.000 UI em 2 mL de solução, lentamente no ramo ocluído da cânula (clampear a cânula por 2 horas depois aspirá-la e lavá-la com solução salina e a seguir reconectá-la).

 

Cuidados especiais

Risco na gravidez

Classe C

 

Amamentação

não se sabe se é eliminado no leite; problemas não documentados.

 

Não usar o produto

acidente vascular cerebral; aneurisma cerebral; aneurisma dissecante; cirurgia toráxica recente; dentro de 2 meses após neurocirurgia (intracraniana ou espinhal); hipertensão grave não controlável; história de reação anafilática ou reação alérgica grave; malformação arteriovenosa; sangramento ativo; traumatismo recente do sistema nervoso central; tumor cerebral.

 

Avaliar riscos x Benefícios

biópsia de orgãos nos últimos 10 dias; cirurgia maior nos últimos 10 dias; condição com risco de sangramento; defeito da coagulação; doença cerebrovascular; doença grave do fígado; endocardite bacteriana; enxerto de dacron em fraturas; estenose mitral; hipertensão moderada; história de reação alérgica leve; idoso; infecção estreptocócica recente; infecção próxima do trombo, do catéter intravenoso ou da cânula arteriovenosa ocluída (risco de disseminar a infecção); lesão gastrintestinal ou úlcera nos últimos 10 dias; pericardite aguda; pós-parto imediato (até 10 dias após o parto); procedimento neurocirúrgico há mais de 2 meses; procedimento invasivo recente; punção venosa nos últimos 10 dias; ressuscitação cardiorrespiratória recente; retinopatia hemorrágica; sangramento gastrintestinal recente (nos últimos 10 dias); sangramento geniturinário recente (nos últimos 10 dias); trauma recente; tuberculose ativa; uso anterior de anistreplase ou Estreptoquinase (no último ano).

 

Reações mais comuns (sem incidência definida):

Cardiovascular: pressão baixa.

Sistema nervoso central: febre.

 

Atenção ao utilizar outros produtos

A estreptoquinase

•pode aumentar o risco de hemorragia se utilizado com: anticoagulante; cefamandol; cefoperazona; plicamicina; ácido valproico; cefotetano; anti-inflamatório não esteroide; inibidor da agregação plaquetária (aspirina; dipiridamol; sulfimpirazona, ticlopidina); enoxaparina; heparina.

•pode ter sua ação antagonizada ou antagonizar as ações de: agente antifibrinolítico (como o ácido aminocapróico; aprotinina; ácido tranexâmico).

 

Outras considerações importantes

•não adicionar nenhuma outra medicação junto com a Estreptoquinase.

REMÉDIOS COM ESTREPTOQUINASE EM SUA COMPOSIÇÃO

Kabikinase
Solustrep
Streptase
Streptokin
Streptonase
Unitinase

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal