Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Dano ao Paciente" obteve 345 resultados.

Página:  de 35

21/03/2010

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Classificação Internacional para a Segurança do Paciente da OMS – Caracterização Clínica

... Grau de Dano Leve Ex.: a enfermeira coloca uma bolsa de sangue em um paciente homônimo àquele que deveria receber esta bolsa, e o paciente desenvolve uma reação alérgica (coceira no corpo), que precisa de uma avaliação de um médico que prescreve uma dose de anti-alérgico, cessando os sintomas. Moderado Ex.: a enfermeira coloca uma bolsa de sangue em um paciente homônimo àquele......

Ver Índice

22/08/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Medicações com Maior Potencial de Dano ao Paciente

...s concentrados, e formulações de liberação imediata ou sustentada) · Agentes bloqueadores neuromusculares (por exemplo: succinilcolina, rocurônio, vecurônio) · Radiocontrastes IV · Soluções de nutrição parenteral total Tabela 3: Medicações Específicas · Injeção de colchicina (atualmente fora de uso) · Epoprostenol IV ·......

Ver Índice

22/08/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Medicações com Maior Potencial de Dano ao Paciente

...ar via epidural ou intratecal · Hipoglicemiantes orais · Medicações inotrópicas IV (por exemplo, digoxina, milrinona) · Formas lipossomais de medicamentos (por exemplo, Anfotericina B) · Sedação moderada (por exemplo, midazolam) · Sedação moderada, por via oral, para crianças (por exemplo, hidrato de cloral) · Narcót......

Ver Índice

08/08/2012

Revisões Internacionais

Lúpus eritematoso sistêmico – Michael D. Lockshin

...õe alto risco de desenvolvimento de doença tromboembólica. Mulheres que possuem anticorpos contra os antígenos SS-A ou SS-B correm risco de dar à luz a crianças com síndrome lúpica neonatal. Doença crônica e complicações O aspecto mais importante do tratamento para os pacientes com lúpus de longa duração é a prevenção ou supervisão do dano às artérias, rins, ossos e cérebro, ao invés do cont......

Ver Índice

02/04/2014

Revisões

Esclerose sistêmica

...ngiotensina.7 Anteriormente ao uso dos fármacos IECAs (captopril, enalapril, ramipril), a CRE era a causa mais comum de morte dos pacientes com ES.2,4,5,15 Em indivíduos com CRE, há microangiopatia trombótica semelhante ao que ocorre na nefroesclerose maligna, púrpura trombocitopênica, nefrite por radiação, rejeição crônica à transplante e síndrome antifosfolipídeos.6 A biópsia renal não possibili......

Ver Índice

12/07/2012

Revisões Internacionais

Testículos e distúrbios testiculares – Elizabeth G. Nabel

...iltrativas (p. ex., sarcoidose, hemocromatose) geralmente produzem manifestações sugestivas do diagnóstico em outros sistemas orgânicos. Tumores, cistos, lesões infiltrativas, sangramento agudo para dentro da hipófise (apoplexia) e infarto hipofisário (síndrome de Sheehan) com frequência são acompanhados de deficiências de outros hormônios hipotalâmicos ou hipofisários, e usualmente resultam em pe......

Ver Índice

03/11/2008

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Passagem de caso da UTI para a enfermaria

... pacientes de UTI são os mais sujeitos a iatrogenias, tanto por sua complexidade, quanto por sua gravidade. A maior parte dessas iatrogenias está ligada à prescrição médica. Erros de comunicação ou de manutenção do plano assistencial, relacionados à passagem do caso que sai da UTI, podem resultar em iatrogenias quando o paciente chega à enfermaria e muitos estudos já estão demonstrando isso. É ne......

Ver Índice

03/11/2008

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Passagem de caso da UTI para a enfermaria

...ro Simples – não causa dano ao paciente. As passagens de caso com Erros Críticos ou Graves foram consideradas com “potencial de dano ao paciente”, enquanto que aquelas com Erros Simples ou sem erros foram consideradas como de “pouco dano ao paciente”. Após análise, o enfermeiro levava a ficha de alta do paciente para ser corrigida pelo interno. Resultados Durante o perí......

Ver Índice

23/03/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Erros com medicações em UTI

...letrólitos 0 1 dano permanente 0 Antimicrobianos 0 2 dano permanente 2 danos permanentes Sedação/Analgesia 0 0 1 morte / 1 dano permanente Outros 2 mortes 1 morte / 1 dano permanente 1 morte Em um paciente, 2 erros subseqüentes levaram a morte. Em outro paciente, 3 erros subseqüentes levaram a dano permanente. A mortalidade em 28 dias fo......

Ver Índice

23/03/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Erros com medicações em UTI

...tão 0,63 (0,50 – 0,81) < 0,01 Identificação da Seringa pela Enfermeira 0,61 (0,44 – 0,86) < 0,01 Presença de Sistema de Comunicação de Eventos 0,67 (0,53 – 0,84) < 0,01 Prescrição Eletrônica 0,43 ( 0,23 – 0,82) 0,01 Aplicação para a Prática Clínica Dentro do contexto de segurança dos pacientes sempre é importante sabermos COMO e POR......

Ver Índice

Página:  de 35

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal