FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Avaliação de Achados de Mamografia

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 05/03/2020

Comentários de assinantes: 0

Caso

 

Uma paciente procura outro médico após realizarmamografia a pedido do primeiro com quem se consultou. Ela não havia gostadomuito do atendimento dele, o que a motivou a procurar outro médico. Tem 52anos, e realizou alguns exames por check-up e traz uma mamografia,conforme a Figura 1, que descreve um nódulo irregular, hiperdenso, com margensmal delimitadas, e localizado no terço posterior do quadrante superolateral damama esquerda, onde a paciente relata ter percebido um nódulo em autoexame.

 


Figura1 - Detalhe da mamografia mostrando o nódulo descrito.

 

Discussão

 

As principais anormalidades em mamografias incluemmassas, calcificações, assimetria e distorção arquitetural. A importânciadesses achados depende de sua aparência radiológica, bem como da idade e etniado paciente. Porém, o achado mais específico de malignidade é uma massa focalespiculada. O valor preditivo positivo de uma massa com margem espiculada é de81% e, com forma irregular, é de 73%.

A densidade de uma massa não calcificada também éimportante, pois 70% das massas com alta densidade são malignas. Microcalcificaçõesagrupadas (partículas de cálcio de vários tamanhos e formas medindo entre 0,1 a1mm de diâmetro e numerando mais de 4 a 5/cm3) são vistas em,aproximadamente, 60% dos cânceres detectados por meio da mamografia. Histologicamente,estas representam calcificações intraductais em áreas de tumor necrótico oucalcificações dentro de tumores secretores de mucina.

Microcalcificações de ramificação linear têm umvalor preditivo mais alto para malignidade do que microcalcificações granulares(isto é, calcificações irregulares não lineares de tamanho e formatovariáveis), particularmente para DCIS (carcinoma ductal in situ) de altograu. No entanto, todos os cânceres de mama costumam apresentar o tipo granularde calcificações.

 

O Breast Imaging Reporting and Data System (BI-RADS)foi desenvolvido pelo American College of Radiology para padronizar o formatode um relatório de mamografia. As categorias de avaliação final do BI-RADSpadronizam o relato dos achados mamográficos e as recomendações para manejo adicional(isto é, triagem de rotina, curto intervalo de acompanhamento ou biópsia). Éimportante notar que a categoria BI-RADS se refere apenas aos achados de imageme não leva em conta os achados clínicos ou a apresentação. Segue aclassificação a seguir:

 

·              BI-RADS 1:Negativo - Este é um exame completamente negativo. A mulher deve continuar commamografia de rastreamento e exame clínico das mamas com base nas diretrizesatuais de triagem.

·              BI-RADS 2:Achados benignos - Nódulos benignos, como fibroadenomas ou cistos, oucalcificações vasculares ou parenquimatosas benignas. Não há preocupação commalignidade e nenhuma ação adicional precisa ser tomada.

·              BI-RADS 3:Achado provavelmente benigno - Essa categoria é usada quando há um achado quenão apresenta características benignas características, mas a probabilidade demalignidade é menor que 2%. Exemplos de lesões nessa categoria incluem umaassimetria parenquimatosa, calcificações ou um nódulo que não apresentacaracterísticas clássicas de imagem benigna. Esses achados são seguidos emintervalos menores que 1 ano para avaliar a estabilidade. Geralmente, a lesão éacompanhada por mamografia diagnóstica e/ou ultrassonografia em intervalos de 6meses a 1 ano e, anualmente, por um período adicional de 2 anos ou a cada 6 mesespor um total de 2 anos.

·              BI-RADS 4:anormalidade suspeita; a biópsia deve ser considerada - Esta categoria implicaque há uma lesão com características suspeitas de malignidade. A chance de queo achado de imagem seja um câncer varia entre 2 e 94%. A categoria BI-RADS 4 émuito ampla, e os achados são compatíveis tanto com o DCIS quanto com o câncerde mama invasivo. Subdivisões dessa categoria foram introduzidas paratransmitir o nível de preocupação para que o paciente e seu clínico possamtomar uma decisão informada em relação ao gerenciamento. Essas subcategoriassão BI-RADS 4A (chance de malignidade de 2 a 9%); 4B (chance de malignidade 10a 49%); e 4C (chance de malignidade de 50 a 94%).

·              BI-RADS 5:Altamente sugestivo de malignidade; ação apropriada deve ser tomada - As lesõesque apresentam características de imagem preocupantes clássicas, como especulações,calcificações pleomórficas e retração da pele, são colocadas nessa categoria. Asuspeita de malignidade é de 95 a 100%.

·              BI-RADS 6:malignidade comprovada por biópsia; devem ser tomadas medidas apropriadas - Issoinclui pacientes com cânceres comprovados por biópsia estabelecidos que aindaprecisam ser extirpados cirurgicamente e que apresentam imagens adicionais paraavaliar a mama contralateral ou avaliar a resposta à quimioterapia neoadjuvanteou que se apresentam para segunda opinião com interpretação, de fora, deestudos de imagem.

 

Bibliografia

 

1.            American College of Radiology. American College of Radiology BreastImaging Reporting and Data System BI-RADS, 5th ed, D'Orsi CJ, Sickles EA,Mendelson EB, Morris EA, et al. (Eds),American Colege of Radiology, Reston, VA 2013

2.            Stomper PC. Breast imaging. In: Atlas of Breast Cancer, Hayes DF (Ed),Mosby, Philadelphia 2000.

3.            Liberman L, Abramson AF, Squires FB, Glassman JR, Morris EA, Dershaw DD.The breast imaging reporting and data system: positive predictive value ofmammographic features and final assessment categories. AJR Am J Roentgenol.1998 Jul;171(1):35-40.

4.            Woods RW, Sisney GS, Salkowski LR, Shinki K, Lin Y, Burnside ES. Themammographic density of a mass is a significant predictor of breast cancer. Radiology. 2011Feb;258(2):417-25.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal

×

Em função da pandemia do Coronavírus informamos que não estaremos prestando atendimento telefônico temporariamente. Permanecemos com suporte aos nossos inscritos através do e-mail info@medicinanet.com.br.