FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Rubeola e Sindrome da Rubeola Congenita" obteve 33 resultados.

Página:  de 4

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita

... Após 28 dias IgM + Confirmar o caso IgM – Não se pode afirmar que não houve infecção; realizar IgG IgG + Confirmar o caso IgG – Descartar o caso Quadro 28. Gestante assintomática contato de Rubéola Coleta da amostra Resultado Classificação do caso Até 28 dias IgM + Acompanhar – recém-nascido (RN) suspeito de SRC IgM – Realizar......

Ver Índice

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita

...de fértil vacinada, deve adiar a gestação por 30 dias. Ressalta-se que estudos realizados até o momento, acompanhando mulheres gravidas vacinadas inadvertidamente com a vacina contra a Rubéola, não observaram malformações compatíveis com a SRC. SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO Consta no documento: “Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, des......

Ver Índice

12/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Síndrome da Rubéola Congênita

...e dos profissionais da vigilância epidemiológica e/ou dos laboratórios centrais ou de referência viabilizar, orientar ou mesmo realizar estas coletas. Não se deve aguardar os resultados dos exames para o desencadeamento das medidas de controle e outras atividades da investigação, embora eles sejam imprescindíveis para a confirmação de casos e para nortear o encerramento das investigações. Se......

Ver Índice

11/11/2015

Biblioteca Livre

V

...cinação em caso de doença aguda que possa limitar a resposta imune. t Adiar a vacinação por pelo menos 3 meses após transfusão de sangue ou plasma, ou administração de imunoglobulinas. t Pacientes HIV positivos sem evidência de imunidade contra o sarampo podem ser vacinados se não apresentarem sinais de imunossupressão grave (avaliar níveis de CD4); crianças HIV positivas devem ser vacinadas se ......

Ver Índice

30/05/2010

Revisões

Doenças exantemáticas na infância

...convalescença. 7. Tratamento: o uso de antiviral (aciclovir) deve ser considerado nas primeiras 24 horas do aparecimento das lesões nas seguintes situações: · pacientes maiores de 12 anos de idade; · imunodeprimidos; · portadores de distúrbios crônicos cutâneos ou pulmonares; · crianças com varicela não devem receber salicilatos pelo risco aumentado de síndrome de......

Ver Índice

08/03/2012

Revisões Internacionais

Sarampo, caxumba, rubéola, parvovírus, poxvírus – Martin S. Hirsch, MD

...de a corrente sanguínea, pode disseminar-se para pele e órgãos distais ou, por via transplacentária, para o feto em desenvolvimento. Antes do aparecimento das erupções, o vírus pode permanecer em lavados de garganta ou no sangue por vários dias e, após o início dessas manifestações, por até 2 semanas. Em casos raros de artropatia associada à rubéola, o vírus pode persistir nos leucócitos periféric......

Ver Índice

01/02/2010

Revisões

Icterícia

...ca da icterícia Aumento da produção de bilirrubina Hemólise Eritropoiese ineficaz Diminuição da captação hepática/transporte de bilirrubina Drogas Sepse Distúrbio da conjugação da bilirrubina (atividade diminuída da enzima glicuronosil-transferase) Deficiência hereditária: síndrome de Gilbert; síndrome de Crigler-Najjar tipo II; síndrome de Crigler-Najjar tip......

Ver Índice

04/10/2016

Revisões Internacionais

Distúrbios Leucocitários Não Malignos

...2002;69:67. 59. Henter JI, Horne A, Aricó M, et al. HLH-2004: diagnostic and therapeutic guidelines for hemophagocytic lymphohistiocytosis. Pediatr Blood Cancer 2007;48:124. 60. Trapani JA, Voskoboinik I. Infective, neoplastic, and homeostatic sequelae of the loss of perforin function in humans. Adv Exp Med Biol 2007;601:235. 61. Filipovich A, McClain K, ......

Ver Índice

31/05/2009

Biblioteca Livre

Rubéola

...O homem. MODO DE TRANSMISSÃO DA RUBÉOLA Direto, através do contato com secreções nasofaríngeas de pessoas infectadas. PERÍODO DE INCUBAÇÃO De 14 a 21 dias, com duração média de 17 dias, podendo variar de 12 a 23 dias. PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE DA RUBÉOLA De 5 a 7 dias antes do início do exantema e de 5 a 7 dias após. DIAGNÓSTICO DA RUBÉOLA É clínico, laboratorial e epidemi......

Ver Índice

23/06/2009

Biblioteca Livre

CAPÍTULO 1 – Vigilância Epidemiológica

...roduzidos pelo sistema de vigilância. Essas normas devem primar pela clareza e constar de manuais, ordens de serviço, materiais instrucionais e outros, disponíveis nas unidades do sistema. Tem especial importância a definição de caso de cada doença ou agravo, visando padronizar os critérios diagnósticos para a entrada e classificação final dos casos no sistema. Em geral, os casos são classificado......

Ver Índice

Página:  de 4

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal