FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Mesotelioma Pleural" obteve 15 resultados.

Página:  de 2

07/05/2012

Casos Clínicos

Mesotelioma pleural

...o na Figura 1. A citologia oncótica do líquido pleural é não costuma ser positiva (cerca de 10% em alguns trabalhos). A imagem é, na maioria dos casos, do lado direito do tórax, como foi o caso deste paciente, e a maioria dos pacientes não apresenta asbestose pulmonar. O diagnóstico é difícil e depende da histologia. Mesotelioma pleural Rodrigo Antonio Brandão Neto Mesotelioma pleural Imagem da ......

Ver Índice

10/02/2014

Revisões Internacionais

Doença pulmonar ocupacional e ambiental

...) estimula os macrófagos alveolares e as células epiteliais alveolares de tipo I e das vias terminais a liberarem fatores quimiotáticos que atraem neutrófilos para o ducto alveolar (b). Os oxidantes, mieloperoxidase e enzimas proteolíticas lesam diretamente a parede alveolar (c); os fatores de crescimento intensificam a proliferação mesenquimal e a produção de colágeno (d); e a lesão alveolar aume......

Ver Índice

04/02/2015

Remédios

Pemetrexede

...emperatura ambiente (15 - 30°C): 24 horas. Diluição Diluente: Cloreto de Sódio 0,9%. Volume: 100 mL. Estabilidade após diluição com Cloreto de Sódio 0,9% temperatura ambiente (15 - 30°C): 24 horas. Tempo de infusão: 10 minutos. Uso injetável – Doses • doses em termos de pemetrexede. Adultos mesotelioma pleural: 500 mg por metro quadrado, por infusão intravenosa durante 10 minutos. O ......

Ver Índice

01/08/2010

Medicamentos Injetáveis - Utilização Segura

Pemetrexede

... a amarelo ou verde-amarelado. Estabilidade após reconstituição com Cloreto de Sódio 0,9%: temperatura ambiente (15 - 30°C): 24 horas DILUIÇÃO Diluente: Cloreto de Sódio 0,9%. Volume: 100 mL Estabilidade após diluição com Cloreto de Sódio 0,9%: temperatura ambiente (15 - 30°C): 24 horas TEMPO DE INFUSÃO: 10 minutos USO INJETÁVEL – DOSES Adultos Mesotelioma Pleural 500 mg/m2, p......

Ver Índice

08/12/2009

Revisões

Introdução à Radiologia

...tos, estudando patologias mais raras que não foram vistas no seu dia-a-dia junto com os assistentes. O maior empenho dos serviços de radiologia que oferecem residência deve ser fazer o residente pensar. A radiologia é uma especialidade “pensante”, e não “decorante”. O residente, e também o radiologista mais velho, sempre se deparam com casos dos quais não têm a menor noção do que se trata. Poré......

Ver Índice

26/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Anexo B

...lização é importante pelo fato de descreverem características adicionais relacionadas com exposição à poeira e com outras etiologias. O emprego desses símbolos é obrigatório. Alguns dos símbolos implicam interpretações, em vez de apenas descrições do que é visto na radiografia. Uma radiografia torácica póstero-anterior, por si só, pode não ser suficiente para justificar uma interpretação definiti......

Ver Índice

09/10/2018

Revisões

Síndrome da Veia Cava Superior

...os de alterações neurológicas ou comprometimento da laringe, está claro que outros fatores podem contribuir para o aparecimento dos sintomas como metástases cerebrais ou compressão traqueal. Etiologia As causas infecciosas eram, há 50 anos, a maior etiologia de SVCS, destacando-se como etiologias infecciosas o aneurisma da aorta especialmente sifilítica e a tuberculose. Essas causas se tor......

Ver Índice

06/01/2010

Revisões

Síndrome da Veia Cava Superior

...a confluência da veia jugular interna esquerda e veia subclávia esquerda e a aurícula direita. Mede-se também o diâmetro da veia braquiocefálica esquerda (que será o diâmetro final do enxerto). Neste momento, expõe-se a veia safena e seu diâmetro também é medido. A partir de então, calcula-se o comprimento de veia safena necessária a partir da seguinte fórmula: diâmetro da veia braquiocefálica (mm......

Ver Índice

06/01/2010

Revisões

Síndrome da Veia Cava Superior

...o o paciente tosse, se abaixa ou pende o corpo para frente. O tempo médio de evolução entre aparecimento de sintomas e procura por atendimento médico varia entre 3,2 e 6,5 semanas para doenças malignas e 60 e 168 semanas para doenças benignas, portanto, um tempo de evolução mais curto aumenta a probabilidade de doença maligna. De maneira geral, quando ocorre obstrução aguda da veia cava, o quadr......

Ver Índice

26/08/2009

Biblioteca Livre

4 Recomendações

...à exposição a grandes quantidades de poeiras de sílica recém-fraturadas, caracterizada por um dano alveolar difuso e exsudação de material eosinofílico lipoproteináceo no espaço aéreo e na inflamação intersticial. Habitualmente se manifesta após meses ou poucos anos de exposição. Ocupações de risco: operações de jateamento com areia, moagem de pedra. Métodos diagnósticos: • História ocu......

Ver Índice

Página:  de 2

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal